Ciclo Roberto Rossellini – Europa 51 (1952)

Europa 51 - Poster 1

AKA – The Greatest Love

Ingrid Bergman & Roberto Rossellini.

Um casal para a vida e para o Cinema.

Portanto…

Irene Girard é uma mulher habituada ao luxo. Depois da trágica morte do filho, Irene sente-se culpada por negligência sentimental a ele. Como forma de redenção, Irene decide dedicar-se aos outros. Mas tamanha dedicação leva-a a ser questionada pelos seus, presa pelas autoridades e até considerada como louca. No meio de tanta prisão (desde paredes a valores), Irene questiona-se sobre a sociedade em que vive.

Europa 51 - screenshot 4

Europa 51 - screenshot 1

Como explicar o vazio da vida e a necessidade de fazer algo por outros/nós?

É esse o dilema/drama da personagem de Ingrid Bergman.

E Rossellini traduz isso em mais que um filme. Na verdade, “Europa 51” acaba por ser um manifesto humanista sobre os dramas de valores da Europa e das “Europas”, seja em 51 ou qualquer ano anterior ou posterior. Mas mais importante, é que Rossellini faz do filme um autêntico mandamento religioso-social-moral.

Europa 51 - screenshot 5

Europa 51 - screenshot 8

Europa 51 - screenshot 6

Ingrid Bergman está sublime, um verdadeiro anjo feito figura santa, maravilhosamente fotografada e filmada, traduzindo aquilo que parece impossível à compreensão humana e científica – o que vai na alma humana.

Europa 51 - screenshot 3

Europa 51 - screenshot 2

Obra-prima absoluta. Mais que um filme, é um verdadeiro estado de alma.

Europa 51 - screenshot 7

Realizador: Roberto Rossellini

Argumentistas: Roberto Rossellini, Sandro De Feo, Mario Pannunzio, Ivo Perilli, Brunello Rondi, Federico Fellini (sem crédito), Diego Fabbri (sem crédito), Massimo Mida (sem crédito), Antonio Pietrangeli (sem crédito), Donald Ogden Stewart (sem crédito), Antonello Trombadori

Elenco: Ingrid Bergman, Alexander Knox, Ettore Giannini, Giulietta Masina

Europa 51 - Poster 3

Clips –

Europa 51 - lobbycard 1

Europa 51 - lobbycard 3

“Melhor Actriz Internacional” (Ingrid Bergman), nos Prémios Bambi 1953.

“Melhor Actriz” (Ingrid Bergman), pelos Jornalistas italianos de Cinema 1953.

“Prémio Internacional” (Roberto Rossellini), “Melhor Actriz” (Ingrid Bergman), em Veneza 1952.

Europa 51 - lobbycard 4

Fascinado por Francisco de Assis, Roberto Rossellini procurou que a figura do santo surgisse no filme.

Os cenários foram desenhados por Virgilio Marchi, um arquitecto já veterano mas com visões futuristas.

O filme foi alvo de censura por parte do governo italiano e muitas cenas foram retiradas.

  • Uma cena inicial, que mostrava uma greve.
  • Uma conversa onde se percebe que um homem (marido e pai) perdeu o emprego por causa de ter trabalhado para o governo de Mussolini.
  • Numa cena, uma criança suicida-se.
  • Uma conversa onde uma mulher considera que o Amor deve estar além da posição social.

Em 2013, a Criterion Collection editou uma versão restaurada (em imagem, som e das cenas apagadas pela censura).

Europa 51 - backstage 1 - Roberto Rossellini & Ingrid Bergman

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s