Wolverine – Os Filmes

Wolverine - Comic - 1

 

Wolverine sempre foi o mutante preferido dos X-Men.

Não admira que tenha ganho a sua bd autónoma.

Com o Cinema, procurou-se seguir o mesmo rumo.

Já se fizeram dois filmes.

 

 

X-Men Origins - Wolverine - Poster 3

X-Men Origins: Wolverine” (2009)

 

Terminada a trilogia dos X-Men, era hora de cumprir o prometido – títulos autónomos que explicariam as origens de alguns dos personagens.

Para começar, a origin story do mais popular dos mutantes – Wolverine.

 

James Logan descobre na sua infância, já nos meados de 1800, que tem um poder especial – pelas mãos saem-lhe umas garras de osso.

Em fuga permanente com o seu irmão Victor, Logan chega até ao Século XX e nossos dias, sempre em acção nos eventos mais violentos – Guerra Civil Americana, Primeira Guerra Mundial, Segunda Guerra Mundial e Vietnam. As acções heróicas dos dois são do interesse de um misterioso Coronel, que os recruta para um grupo operacional muito especial.

Farto da violência que aquele trabalho exige, Logan retira-se para um lugar onde vive pacificamente (é lenhador) e com uma profunda relação sentimental.

Mas o passado não o larga e o seu antigo líder propõe-lhe participar num programa especial de desenvolvimento orgânico que o pode tornar indestrutível.

Mas tal vai ter um preço muito alto para Logan.

X-Men Origins - Wolverine - Image 1

Ainda que dentro do universo “X-Men”, este novo filme cai mais no campo do action thriller que da sci-fi. Com conspirações militares e clínicas, o filme conta a clássica a história do indivíduo “normal” (bom, com poderes especiais) que quer fugir a um passado violento e construir um futuro pacifico, tendo de retomar a sua essência violenta (e animalesca) para repor a ordem e a paz.

Bom entretenimento, com o devido ênfase na componente emocional de Wolverine, mostrando vários eventos da sua vida que explicam a sua atitude vista na trilogia anterior, a sua origem e algumas questões levantadas em “X-Men 2”.

Tal como em “X-Men 3”, fica a sensação que devido à curta duração do filme se perdeu a capacidade de gerar a devida força dramática que o argumento permitia.

Alguns mutantes, com relevo no futuro, surgem aqui em fase jovem.

Hugh Jackman em grande forma, a mostrar o quando Wolverine já lhe é uma segunda pele.

Danny Huston e Liev Schreiber são tenebrosos vilões.

Gavin Hood assina de forma meramente ilustrativa, mas eficaz, sabendo criar bons momentos de acção (a perseguição do helicóptero) e espectáculo (o duelo final da instalação nuclear).

Em suma, um bom actioner, bom entretenimento, mas longe da excelência alcançada em filmes com outros super-heróis (“Superman”, “Spider-Man 2”) ou mesmo dentro do universo dos mutantes (“X-Men 2”).

X-Men Origins - Wolverine - Image 2

Atenção ao genérico inicial (a forma como se conta grande parte da vida de Wolverine, apenas em imagens, sem diálogos), a um momento no final (a aparição de um importantíssimo personagem) e a uma cena pós-genérico final (que explica a presença de um personagem em “X-Men 2”).

 

“X-Men Origins: Wolverine” está no mercado português e o DVD anda a bom preço. Procurem uma edição com 3 discos – há um para filme, outro para extras e o terceiro é um muito completo documentário sobre o universo X-Men (bd e filmes).

 

Mutantes em cena – Wolverine, Sabretooth, Kayla Frost, Emma Frost, Gambit, Deadpool, Cyclops, Wraith, Blob, Bolt, Zero, Silverfox.

 

Realizador: Gavin Hood

Argumentistas: David Benioff, Skip Woods

Elenco: Hugh Jackman, Liev Schreiber, Ryan Reynolds, Danny Huston          , Lynn Collins, Taylor Kitsch

 

Orçamento – 150 milhões de Dólares

Receitas – 179 (USA); 373 (mundiais)

 

Trailer

 

“Melhor Música”, nos Prémios BMI 2010.

X-Men Origins - Wolverine - Image 3

O argumento inspirou-se em três comics de Wolverine – “Wolverine” (1982), “Weapon X” (1991) e “Origin” (2001).

David Ayer (“Street Kings”) escreveu uma primeira versão do argumento.

David Benioff (“Game of Thrones”) queria um filme mais negro, violento e adulto. Jackman não concordou e insistiu num tom que pudesse ser acessível a menores (adolescentes, entenda-se). Skip Woods (“The A-Team”) entrou em cena para o suavizar.

Até à escolha de Gavin Hood, foram considerados Bryan Singer (que já tinha assinado os dois primeiros “X-Men”), Brett Ratner (que assinou “X-Men 3”), Len Wiseman (“Die Hard 4”), Alexandre Aja (“The Hills Have Eyes”) e Zack Snyder (“Watachmen”).

Hugh Jackman escolheu Hood como realizador, pois encontrou paralelismos entre Wolverine e o protagonista do filme anterior de Hood, “Tsotsi”.

Vários foram os conflitos criativos entre realizador e estúdio, mas Richard Donner (produtor executivo e marido da produtora Lauren Shuler) entrou em cena e conseguiu acalmar as coisas.

Hood queria que Wolverine sofresse de traumas de guerra, mas o estúdio recusou por achar que tal seria um tema muito complicado para um filme deste tipo.

Jackman teve um trabalho de permanente colaboração com os argumentistas, pois queria que o filme fosse muito character driven.

Liev Schreiber foi recomendado por Jackman, com quem trabalhou em “Kate & Leopold”. Ambos desafiavam-se permanentemente a fazerem cada vez mais stunts. Schreiber venceu as candidaturas de Karl Urban e Gerard Butler.

Schreiber estava algo magro teve de usar um fato especial que lhe desse um físico mais imponente. Sentindo-se ridículo, Schreiber treinou a fundo para ter o físico adequado.

Schreiber considera o seu personagem como o mais terrível que já interpretou.

X-Men Origins - Wolverine - Image 9

Storm (ainda criança) aparece numa cena, mas ficou fora da montagem final. Contudo, ele pode ser vista na secção “Deleted Scenes” do DVD.

O filme faz referência a Deadpool, um personagem que já “luta” por um filme desde 2004 (seria realizado por David S. Goyer e protagonizado por Ryan Reynolds). Reynolds interpreta o personagem neste filme.

Gambit finalmente surge em filme, após andar sempre planeado e cancelado nos filmes anteriores.

Lynn Collins substituiu Michelle Monaghan, que teve de recusar por conflitos de agenda. Maggie Q foi também ponderada.

Em Março de 2009, chegou à internet uma cópia impecável do filme, já com os efeitos visuais completos. Teve um download total de 4.5 milhões. Um crítico da News (grupo a qual pertence a Fox, estúdio da saga e do filme) fez a sua crítica ao filme (visto a partir desse download) e até referiu o quanto era fácil apanhar o filme. Como “recompensa”, foi despedido e a sua crítica eliminada.

 

 

The Wolverine - Poster 5

The Wolverine (2013)

 

A saga do “mutante das garras” continua.

Agora já não estamos no passado e a dar explicações sobre as origens do herói.

Estamos no presente, nos rescaldos dos eventos de “X-Men 3”. Logan/Wolverine ainda não conseguiu recuperar, emocionalmente, do desfecho dos eventos nesse filme e da sua trágica e heróica decisão. Logan leva uma vida errante e solitária. Um dia é localizado por uma jovem japonesa que o convida a vir ao Japão. Logan vai reencontrar-se com um antigo inimigo (um oficial japonês, num campo de prisioneiros onde Logan esteve e que foi salvo pelo herói durante o bombardeamento a Nagasaki – recordo, como se viu no filme anterior, que Wolverine já cá anda desde o Século XIX e passou por diversas guerras). O homem dá a Logan a promessa de lhe retirar os poderes de transformá-lo num mortal. Mas Logan vê-se metido numa complicada intriga de contornos empresariais, criminais e familiares. Tal aventura vai servir para Logan redescobrir a sua essência (humana e heróica).

The Wolverine - Image 2

Entre o samurai movie, o thriller urbano e criminal à 70s, com uns laivos de western, o filme consegue um bom equilíbrio, dando sempre ênfase à componente humana da narrativa, mostrando um Wolverine fragilizado e em busca da sua essência humana e heróica, como forma de retomar o seu apego à vida e às pessoas.

Ritmo suave, mas nunca chato, que recorda o tom de alguns bons samurai movies.

Mas como Wolverine movie que é, há também boa acção, onde se conjuga o incrível (a luta no tejadilho do comboio rápido), o selvagem (a luta contra os guerreiros) e o espectacular (Wolverine em luta contra um robot feito do mesmo metal que as garras do herói).

Hugh Jackman continua em grande forma. As nipónicas Tao Okamoto e Rila Fukushima são um miminho. Quem impressiona é uma viperina Svetlana Khodchenkova.

Não sendo um superhero movie vintage, “The Wolverine” faz boa figura junto dos bons títulos do género e afirma-se como o melhor filme dedicado a este herói.

Film Review The Wolverine

Atenção a uma cena que surge durante o genérico final. Dois inesperados (principalmente um deles) personagens estão de volta ao universo dos mutantes e “empurram” Wolverine para “X-Men: Days of Future Past”.

 

“The Wolverine” está no mercado português, mas como foi lançado há pouco tempo, o preço ainda não é de saldo. A edição em Blu-Ray traz mais extras e um unrated extended cut (com mais 12 minutos).

 

Mutantes em cena – Wolverine, Yukio e Viper.

 

Realizador: James Mangold

Argumentistas: Mark Bomback, Scott Frank

Elenco: Hugh Jackman, Tao Okamoto, Rila Fukushima, Hiroyuki Sanada, Famke Janssen, Svetlana Khodchenkova

 

Site – http://www.thewolverinemovie.com

 

Orçamento – 120 milhões de Dólares

Receitas – 132 (USA); 414 (mundiais)

The Wolverine - Image 5

Estava para ser uma prequela a “X-Men”, mas decidiu-se para ser sequela a “X-Men 3”.

Baseado na mini-série escrita por Chris Claremont (todo um perito do universo X-Men) e desenhada por Frank Miller. Hugh Jackman é um grande fã dessa saga.

A mini-série:

http://www.secretcitycomedy.com/geeklab/game-review/wolverine-1982-marvel/

The Wolverine - Tao Okamoto

Darren Aronofsky (“Black Swan”) foi o primeiro realizador escolhido. A versão oficial diz que o realizador não queria estar longe de casa e família – as filmagens decorreram no Japão. Mas há quem afirme que o estúdio não gostou da reescrita que Aronofsky fez ao guião, que se traduziria num filme intenso e tremendamente violento (a nível sexual e de acção física).

Guillermo del Toro mostrou interesse na realização, mas não se quis submeter a um processo total de produção que duraria 2 a 3 anos.

Até se chegar a James Mangold (que já dirigiu Jackman no simpático “Kate & Leopold”, ao lado de Meg Ryan), ponderaram-se realizadores como José Padilha (“Tropa de Elite”), Doug Liman (“Mr. & Mrs. Smith”), Antoine Fuqua (“Trainig Day”), Mark Romanek (“The Wolfman”), Justin Lin (“Fast & Furious 5”).

The Wolverine - Rila Fukushima

Mangold põe no filme influências de filmes como “Jûsan-Nin No Shikaku”, a trilogia “Musashi Miyamoto Samurai”, “Shane”, “The Outlaw Josey Wales”, “The French Connection”, “Chinatown”, “For Whom Bell Doll”, “Chungking Express” e “Happy Together”(brilhantes influências – os resultados finais não estão ao nível, ainda que satisfatórios, mas elogia-se a tentativa).

Jessica Biel chegou a ser sondada, mas não se chegou a acordo.

The Wolverine - Svetlana Khodchenkova - 1

Para se preparar fisicamente, Jackman pediu conselhos a Dwayne “The Rock” Johnson. Treino intenso e 6000 calorias ao dia, 24 semanas, à base de frango, bife e arroz.

O filme foi lançado no Japão em meados de Setembro. Isto porque se a sua estreia coincidisse com a mundial, apanharia as cerimónias sobre os bombardeamentos nucleares a Hiroshima e a Nagasaki. O filme começa com imagens do bombardeamento a Nagasaki.

Jackman e Mangold tiveram longas conversas sobre o tom do filme e qual a classificação que o filme teria – PG-13 ou R. Optou-se pela primeira, para assim alcançar mais público. Contudo, o mercado doméstico recebeu um Unrated/Extended Cut.

 

 

The Wolverine - Image 1

Ainda teremos mais notícias de Wolverine.

Para além de “X-Men: Days of Future Past” (estreia esta semana), o herói regressará em “X-Men: Apocalypse” (Verão de 2016, com o qual termina a trilogia dedicada à origem dos X-Men) e um terceiro título autónomo (no Verão de 2017, que encerrará a trilogia dedicada ao mutante das garras).

 

Wolverine - Comic - 2

Sobre Wolverine:

http://marvel.com/universe/Wolverine_%28James_Howlett%29

Anúncios

2 comments on “Wolverine – Os Filmes

  1. […] episódios anteriores já aqui foram […]

  2. […] episódios anteriores já aqui foram […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s