Les Liens du Sang vs Blood Ties

Les Liens du Sang vs Blood Ties

 

Há semanas chegava às salas “Blood Ties”, título americano que era um remake do filme francês “Les Liens du Sang”.

Aproveitei para ver os dois e fazer a devida comparação.

Laços de Sangue - 2008

Les Liens du Sang – Laços de Sangue (2008)

 

O original francês que inspirou o recente remake. Guillaume Canet assina o remake e protagoniza o original.

 

Gabriel e François são irmãos. Mas separados pelos dois lados da Lei. Gabriel é um criminoso que sai da prisão, François é um devoto polícia.

O reencontro traz a esperança de um novo entendimento entre ambos, de uma nova harmonia familiar e de um novo rumo para Gabriel. Mas a difícil inserção leva-o a regressar à sua antiga actividade.

As escolhas pessoais, profissionais e sentimentais de cada um dos irmãos vão colocá-los em colisão.

 

Há uma boa nostalgia do polar clássico, entre Jean-Pierre Melville e Jacques Deray, algum punch na parte da narrativa que envolve o crime, onde a violência tem impacto, com consequências que deixam ninguém ileso.

Mas o que realmente importa ao realizador são as personagens, as suas motivações, condutas, relações e emoções.

Final incómodo (pelo que acontece) e algo insatisfatório (deixa um sentimento de revolta que exige vingança/justiça).

Muito bom trabalho de Guillaume Canet e François Cluzet.

Bom filme, que mostra que ainda há raízes vivas no polar.

 

Realização: Jacques Maillot

Argumento: Pierre Chosson, Jacques Maillot

Elenco: Guillaume Canet, François Cluzet, Clotilde Hesme, Marie Denarnaud

 

Trailer

 

O objectivo inicial era adaptar o romance “Blue River”, de Ethan Canin, sobre uma complicada relação entre dois irmãos, mas de índole mais familiar e até religioso. Mas este já tinha uma adaptação a caminho (deu origem a um telefilme). Maillot virou-se para o livro “Deux Frères – Flic et Truand”, dos irmãos Papet (Bruno e Michel, “por acaso” dois irmãos que viveram tal história – Michel era assassino, ladrão e falsificador, enquanto Bruno era agente de uma brigada de combate ao banditismo).

Sobre o livro e os Papet –

http://www.liberation.fr/portrait/1999/12/02/michel-et-bruno-papet-58-ans-et-56-ans-l-un-etait-flic-l-autre-truand-ils-se-racontent-a-quatre-main_292012

 

Maillot tentou fazer uma série televisiva de seis episódios, mas quando viu os entraves a tal, decidiu-se por um filme.

53 dias de filmagem, nas zonas de Paris, Lyon e Annecy.

 

Laços de Sangue - 2013

Blood Ties – Laços de Sangue (2013)

 

E eis o remake USA, realizado por Guillaume Canet, apoiado num extraordinário elenco.

 

Chris e Frank são irmãos, mas em caminhos opostos perante a Lei.

Chris saiu da prisão e procura um novo rumo. Frank é um honesto polícia.

A reunificação familiar vai lenta, bem como a reinserção de Chris. Rapidamente chega o reencontro com as suas antigas companhias e o apelo ao antigo modo de vida. Frank terá de decidir entre a lealdade à corporação ou ao irmão.

 

Um vigoroso drama familiar, com toques de policial urbano e criminal, de grande força humana e emocional.

Por aqui passa uma excelente filiação com o melhor do género à 70s, pelas mãos de Sidney Lumet e William Friedkin.

Há garra na intriga criminal/policial, e mais ainda no registo familiar e relacional.

Apesar de estar apenas como co-argumentista, James Gray deixa aqui a marca habitual do seu cinema (dramas familiares, sempre assombrados pelo mundo policial e criminal – “Little Odessa”, “The Yards”, “We Own The Night”).

Clive Owen domina com uma interpretação de grande intensidade, estilo e virilidade. Billy Crudup dá-lhe boa réplica, num registo estóico e frágil. O esplêndido elenco está ao mesmo nível.

Um dos melhores filmes de 2014.

 

Realização: Guillaume Canet

Argumento: Guillaume Canet, James Gray

Elenco: Clive Owen, Billy Crudup, Marion Cotillard, Mila Kunis, Zoe Saldana, Matthias Schoenaerts, James Caan, Noah Emmerich, Lili Taylor, Griffin Dunne, Eve Hewson.

 

Site – http://bloodtiesthefilm.com

 

 

Havendo um embate entre original e remake, é inevitável a comparação e o balanço.

O argumento de “Les Liens du Sang” é de tal modo bom, que poucas alterações sofre (há situações e diálogos iguais).

Mas “Blood Ties” defende-se impecavelmente.

Gray e Canet trazem boas novidades:

  • Há mais personagens (os irmãos têm uma irmã, que procura assegurar a ordem na casa).
  • Há uma alteração rácica numa personagem (relações inter-raciais eram algo controverso nos USA dos 70s).
  • Algumas situações têm um maior desenvolvimento (fomentando assim uma maior tenção emocional).
  • O final é diferente (sem ser mais “politicamente correcto” ou crowd pleasing, acaba por ser mais correcto, logico e ajustado, mas com a devida força emocional e deixando considerações diversas ao espectador).
  • O trabalho dos actores é melhor.

 

Posto isto, “Blood Ties” junta-se ao ilustre, raro e curto número de casos onde o remake é melhor que o original.

(mas “Les Liens du Sang” é recomendável)

Advertisements

2 comments on “Les Liens du Sang vs Blood Ties

  1. Vou ter de ver… e já tendo este “background”, vou ver com atenção!!

  2. hussardo diz:

    Lindo menino. Que cinéfilo tão devoto estás desde a Session 2 de “Godzilla”. Fica-te bem.
    E vais gostar dos dois filmes.
    Depois aguardo o teu comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s