GhostBusters

GhostBusters - Poster 1

É já em 2014 que os mais famosos (e divertidos) caça-fantasmas do Cinema celebram 30 anos (como o tempo passa).

GhostBusters são incontornáveis na pop culture do final Século XX.

Tiveram direito a dois filmes e a séries de animação.

Aproveitei a quadra natalícia para me divertir com os sustos causados pelas peripécias destes “caçadores”.

GhostBusters - Poster 4

 GhostBusters – Os Caça-Fantasmas (1984)

Peter Venkman, Ray Stanz e Egon Spengler são três peritos em parapsicologia. Devido a uma série de broncas, a faculdade retira-lhes a bolsa e os três “cientistas” são obrigados a desenrascar-se por conta própria. Formam um negócio que visa resolver todo o tipo de casos ligados ao paranormal. Nova Iorque começa a ser assolada por uns estranhos acontecimentos e criaturas. Who You Gonna Call? GhostBusters.

 

“GhostBusters” surgiu no Verão de 1984 e tornou-se logo um notável fenómeno. Contra todas as expectativas, tornou-se o maior sucesso desse Verão (com mais de 200 milhões de Dólares nas bilheteiras americanas), derrotando pesos pesados como “Indiana Jones and The Temple of Doom” e “Gremlins”.

Há motivos?

Sim, e muitos.

“GhostBusters” combina o terror com o humor, carregando mais no último e o resultado é perfeito.

Graças a um excelente ritmo, bons efeitos visuais (que ainda hoje resultam – por lá anda o mestre Richard Edlund; atenção ao excelente uso de matte paintings), a equilibrada combinação de géneros tão opostos (apesar do humor, há momentos capazes de susto – a aparição das criaturas), personagens carismáticos, um impecável elenco em verdadeiro estado de graça, uma fabulosa banda sonora e um argumento bem estruturado e que até brinca com questões muito sérias (a afirmação do empreendedorismo individual – tema tão querido na Era Reagan -, a forma como se cria estrelado nos media, a ligação entre religião e celebridade, o lado idiota da política), o filme é pure entertainment em estado de graça. Daquele que já raramente se faz.

Ivan Reitman confirmava o seu talento para o género. Bill Murray, Dan Aykroyd (um dos co-autores do argumento), Harold Ramis (um dos co-autores do argumento; já tinha escrito para Reitman o louco “Stripes”, também com Murray), Rick Moranis (uma revelação nesse ano como o fantástico “Streets of Fire” de Walter Hill) confirmavam-se como excelentes comediantes. Sigourney Weaver vinha de “Alien” e aqui mostrava como podia ser divertida e sexy (veja-se o momento em que ela está possuída, naquele vestido vermelho).

Nota alta para a fotografia do veterano Lazlo Kovacs e para a música do lendário Elmer Bernstein.

Diversão, sustos, espectáculo, personagens com quem seria divertido conviver.

Não há que ter medo. “GhostBusters” é um clássico e uma pérola.

E quase 30 anos depois, o seu poder continua inabalável.

 

Esteve nomeado para “Melhores Efeitos Visuais” nos Oscars 1985. Perdeu para “Indiana Jones and The Temple of Doom”. Perdeu também a “Melhor Canção” (para Stevie Wonder e “I Just Called to Say ´I Love You`” de “The Woman in Red”). Nos Globos de Ouro 1985, perdeu para “Romancing The Stone”, na categoria de “Melhor Filme – Comédia ou Musical”.

“Melhor Canção”, nos BAFTA 1985.

“Melhor Filme de Fantasia”, pela Academia de Filmes de Sci-Fi, Fantasia e Terror.

“Melhor Filme de Família”, nos Prémios Young Artist 1985

 

Tudo começou em 1982. Ivan Reitman, Joe Medjuck e Michael C. Gross planeavam uma versão de “The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy”. Bill Murray e Dan Aykroyd estavam ponderados para protagonistas. Aykroyd falou no projecto “GhostBusters” e este começou a desenvolver-se.

Inicialmente, o filme teria localização no futuro. Mas isso obrigaria a um gigantesco orçamento. Aykroyd e Ramis mudaram o argumento para se passar na actualidade.

Murray ficou com o personagem que era inicialmente destinado a John Belushi. O elenco inicial seria John Belushi, Dan Aykroyd e Eddie Murphy. Belushi faleceu e Murphy preferiu fazer “Beverly Hills Cop” (o maior sucesso USA do ano). Novas decisões de casting foram feitas. John Candy foi pensado para o personagem que seria interpretado por Moranis. Reitman não gostou das ideias de Candy para o personagem.

Murray aceitou participar no filme, na condição da Columbia lhe financiar o remake de “Razor`s Edge”.

Ramis ficou com o personagem depois de se terem rejeitado possibilidades como Christopher Walken, John Lithgow, Christopher Lloyd e Jeff Goldblum.

Michael Keaton recusou as duas ofertas que lhe fizeram (os personagem de Murray e de Ramis)

Chevy Chase foi sondado mas recusou (ficaria com o personagem de Murray). Chase justificou-se pela diferença de tom no guião inicial e final. Segundo ele, se o filme fosse de acordo como guião inicial, “GhostBusters” seria um filme mais sério, negro e assustador.

Numa das campanhas de marketing, havia um spot que indicava um número telefónico. Do outro lado da linha ouvia-se uma gravação de Murray e Aykroyd, a dizer que caçavam fantasmas. Em 6 semanas, receberam-se cerca de 1000 chamadas por hora.

Muitas cenas foram improvisadas. Murray era o campeão do improviso.

O personagem de William Atherton (o fiscal do Ministério do Ambiente) foi de tal modo odiado, que Atherton considera que o filme lhe prejudicou a carreira.

Curiosamente, a cena passada na prisão foi filmada numa prisão que se acreditava como assombrada. Sem qualquer tipo de explicação, a película das cenas lá filmadas apareceu riscada.

Primeira aparição em Cinema do popular jornalista e apresentador televisivo Larry King.

O primeiro título era “Ghost Smashers”.

 

Trailer

Sigourney Weaver - GhostBusters - 2

O (possesso e sexy) momento de Sigourney

 

O (inesquecível) tema de Ray Parker Jr.

(realizado por Ivan Reitman; atenção à presença de celebridades como Chevy Chase, Irene Cara, John Candy, Melissa Gilbert, Jeffrey Tambor, George Wendt, Danny DeVito, Carly Simon, Peter Falk e Teri Garr)

 

  GhostBusters II - Poster 3

GhostBusters II (1989)

Sem grande surpresa, “GhostBusters” teve uma sequela. Chegou num ano cheio delas, que chegou mesmo a ser considerado como The Sequel Summer (“Indiana Jones and The Last Crusade”, “Lethal Weapon 2”, “A Nightmare on Elm Street V”, “Friday the 13th – Part VIII“, “Star Trek V”, “The Karate Kid – Part III”).

 

Passaram cinco anos. Dana Barrett foi mãe e está divorciada. Uma exposição de pintura onde participa parece estar na origem de uns estranhos acontecimentos que perturbam o bebé. Dado que os eventos também começam a afectar Nova Iorque, os Caça-Fantasmas retomam actividade, para salvar a cidade, Dana e o seu bebé.

 

A estrutura narrativa segue os meandros do original, há uma (ligeira) perda de magia, mas a diversão mantém-se.

O humor funciona bem, sendo mais forte que a componente fantasmagórica (que era mais carregada, narrativa e visualmente, no primeiro filme). Os actores continuam em sintonia, a divertir-se e a divertir-nos.

Apesar do maior humor, ainda há um par de momentos com impacto (a forma como o quadro com a imagem do vilão é filmada; o casaco de peles a ganhar vida).

Rick Moranis, Annie Potts e Ernie Hudosn têm mais importância e presença.

Na música, em vez do grande Elmer Bernstein temos o rotineiro Randy Edelman, que compõe uma simpática banda sonora (mas sem o poder da do original).

Slimer, o fantasma verde (o primeiro a ser capturado no filme original) surge em diversos momentos. Slimer tinha ganho boa popularidade com o primeiro filme e ainda mais com a sua presença constante (e divertida) na série televisiva de animação.

Como acontece quase sempre nas sequelas, há uma certa perda de vitalidade, mas “GhostBusters II” cumpre e diverte.

 

“Melhor Música para Filme”, nos Prémios BMI Film & TV 1990.

 

Atenção ao cameo de Jason Reitman, filho de Ivan. Jason tornar-se-ia realizador de Cinema (“Juno”, “Young Adult”).

Murray nunca ficou muito satisfeito com o filme. Acha que foi mais sobre muco do que a equipa.

 

Trailer

 

 

GhostBusters III - Poster 2

GhostBusters III (????)

Há já muito tempo que a terceira aventura anda anunciada.

Etan Cohen (“Tropic Thunder”,“Men in Black III”) é o argumentista. Na produção estão Dan Aykroyd, Harold Ramis e Ivan Reitman.

Escritas e reescritas, castings supostos, confusões, indecisões, etc. Tudo tem atrasado o processo. Sabe-se que Bill Murray não quer participar. Aykroyd e Ramis estão abertos a que seja um elenco totalmente novo e eles tenham apenas um pequena participação para fazer a ligação entre os filmes. Fala-se em rodagem em 2014 para estreia no Verão 2015.

Há uns anos, Sigourney Weaver indicou que o filme pode ser protagonizado pelo filho da sua personagem Dana. Oscar já é adulto e tornou-se um GhostBuster com uma nova equipa.

Aguardemos.

 

The Real Ghostbusters - Poster 1

The Real GhostBusters (1986-1991)

Um par de anos depois do filme original, o conceito chegou à televisão e à animação.

“The Real GhostBusters “durou 147 episódios, em 7 temporadas.

Também a vimos por cá.

Foi uma divertida exploração da saga, numa animação cuidada e adequada para a época.

 

A intro

 

E aqui fica um episódio, o primeiro

 

  Slimer & The Real Ghostbusters - Poster 1

Slimer! And the Real Ghostbusters (1988–1990)

Durou 33 episódios e centra-se em Slimer, o divertido (e guloso) fantasma verde.

Diversão pura, como sempre.

E Slimer é sempre hilariante e querido de se ver.

Slimer - 1

Intro

 

E aqui ficam 2 episódios

(em qualidade VHS, já gasta)

 

Site dos GhostBusters – http://www.ghostbusters.com/

Anúncios

One comment on “GhostBusters

  1. […] (já aqui visitado) é um dos maiores sucessos do Cinema dos […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s