A Noite do Desespero (1990)

Desperate Hours - Poster 3

 

Título original – Desperate Hours

 

O clássico de William Wyler (já aqui visto) já tinha (bom) estatuto.

Mesmo assim, alguém se lembrou de um remake.

Michael Cimino assina. Dino De Laurentiis produz.

Um óptimo elenco protagoniza.

Continuar a ler

Horas de Desespero (1955)

The Desperate Hours - Poster 3

 

Título original – The Desperate Hours

 

William Wyler é um dos grandes Senhores do Cinema.

O seu talento e mestria davam para vários géneros.

Ei-lo, em grande, no suspense.

E com um excelente elenco a ajudar.

Continuar a ler

Raparigas Rebeldes de Paradise Hills (2019)

 

Título original – Paradise Hills

 

De Espanha (mais concretamente, da Catalunha) chega este original filme.

Continuar a ler

O Último Resgate (1971)

The Grissom Gang - Poster 6

 

Título original – The Grissom Gang

 

O romance de James Hedley Chase tinha boa reputação no meio.

Já tinha sido alvo de uma adaptação ao Cinema em 1948 (já aqui vista).

Robert Aldrich sempre foi um Mestre de cinema duro, viril e másculo.

Eis a sua versão do romance de Chase.

Continuar a ler

No Orchids for Miss Blandish (1948)

No Orchids for Miss Blandish - Poster 1

 

Um thriller que mostra o lado romântico dos gangsters.

Baseia-se no best-seller de James Hadley Chase.

Continuar a ler

Avatar (2009) – 10 Anos

 

Planeta Pandora. Um Marine paraplégico tem como missão infiltrar-se na raça local para que a Humanidade lhes extraia as riquezas do planeta. Mas o militar vai-se dividir nas suas lealdades ao descobrir as intenções dos seus superiores e a (verdadeira) riqueza daquele mundo e gentes.

 

Pegando num tema clássico para Actioners e Policiais (o infiltrado que descobre os valores do “inimigo”), bem como Westerns (o branco a valorizar o nativo), o filme faz uma viagem a dois “admiráveis mundos novos” – Pandora é um mundo belo, vasto, fascinante, deslumbrante e raro, que nos deixa com vontade de descobrir (há fauna, flora e linguagem própria); a forma de visualização (3-D) atinge níveis de detalhe, espectáculo e um “realismo” que nunca se tinha atingido antes em Cinema.

 

James Cameron regressa ao Cinema 12 anos depois da consagração de “Titanic” e fá-lo de forma magistral.

Fiel ao seu Cinema, argumento tem a sua profundidade e mensagem (abordam-se os excessos do militarismo, o absurdo do Império USA e a forma como ele contamina os mundos que conquista, a ecologia e a necessidade de preservar ecossistemas para preservação de espécies e da Humanidade), há (imenso) sentido de espectáculo na visualização, as set pieces são estonteantes e elaboradas (a batalha final), com o nunca visto em matéria de efeitos visuais (a tecnologia usada continua a fazer escola).

 

Vários cuts – 162 minutos (Theatrical Cut), 171 (a Special Edition), 178 (o Extended Cut).

 

Cameron já anunciou “Avatar 2”, “Avatar 3”, “Avatar 4” e “Avatar 5”. Para 2021, 2022, 2024 e 2025, respectivamente.

Cameron promete o nunca visto em matéria de espectáculo e efeitos visuais, mostrando muitas novidades sobre Pandora.

(Acredito)

 

Clássico moderno.

Uma revolução em Cinema.

Continuar a ler

Exterminador Implacável – Destino Sombrio (2019)

 

Título original – Terminator: Dark Fate

 

“The Terminator” é uma das melhores sagas do Cinema.

Verdadeiro prodígio de action & stunts, é também notável no uso de efeitos visuais (desde practical effects de uma incrível eficácia até uns visual effects inovadores e impressionantes) e de robótica (há grandes achievements nessa área), aliado a uma poderosa narrativa sobre os males da Tecnologia e o facto do Homem ser o criador da sua destruição.

 

Tudo começou em 1984 (numa produção modesta), com sequelas em 1991 (na época, o filme mais caro de sempre, com uns impressionantes e inovadores efeitos visuais que tudo mudaram no Cinema; é ainda a “Capela Sistina” das sequelas e do Sci-Fi Actioner), 2003, 2009 e 2015 (um misto de reboot, remake e homenagem aos dois primeiros episódios).

 

James Cameron ficou com o seu (bom) nome ligado à saga (escreveu, produziu e realizou os dois primeiros episódios) e não parou de inovar, tecnologicamente, o Cinema.

Arnold Schwarzenegger encontrou uma segunda pela que lhe assentou na perfeição – criar uma máquina assassina indestrutível e imparável, sem emoções ou remorsos.

Schwarzie só esteve de fora no episódio 4, Jim limitou-se aos primeiros dois.

 

Eis o episódio que retoma a saga a partir do episódio 2.

James Cameron, Arnold Schwarzenegger e Linda Hamilton estão de volta.

Continuar a ler