A Terra em Perigo (1956)

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - Poster 3

 

Título Original – Invasion of the Body Snatchers

 

É um dos mais relevantes títulos de sci-fi terror de sempre.

O conceito é fascinante.

Originou um conjunto de novas versões.

 

Um jovem médico descobre que há uma sensação de paranóia na sua povoação. Várias pessoas afirmam que alguns dos entes próximos não são os próprios.

Mas a verdade é ainda mais aterradora. Umas vagens geram clones de humanos. O propósito? Invadir a Terra, substituir os humanos existentes por réplicas isentas de emoções e sentimentos.

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 1

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 2

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 3

Na época, “Invasion of the Body Snatchers” foi visto como uma alegoria sobre o Comunismo (fala-se num mundo igual e sem diferenças) e o McCarthismo (diferentes mentalidades não são permitidas).

Mas o filme é, acima de tudo, uma pérola de sci-fi terror.

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 4

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 5

A ideia traz o tema da paranóia (os humanos são possuídos e substituídos por clones, nunca se sabendo quem é verdadeiro e quem é cópia), o indivualismo em luta contra o colectivo (um tema habitual do Cinema do realizador Don Siegel), o medo, o terror e um tema clássico da sci-fi desta época (a existência de alienígenas e o propósito destes na conquista da Terra).

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 9

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 7

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 8

Don Siegel dirige com mão de mestre, dando ao filme um ritmo imparável, de tensão e medo constante, não se inibindo de bons sustos (a aparição das vagens, a eclosão dos clones, a descoberta de quem já foi substituído).

 

Boa prestação do elenco, principalmente de Kevin McCarthy, a ilustrar bem o medo, determinação e paranóia do seu personagem.

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 10

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 15

No meio de tanto terror, o filme ilustra a necessidade do ser humano ter emoções e sentimentos, bem como a diferença de mentalidades entre todos.

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 11

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 14

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 13

Depois deste filme, nunca mais se olhará para alguém da mesma maneira.

 

Um dos melhores filmes de terror e ficção científica de sempre e de todo o Cinema.

Um absoluto filme de culto.

Um enorme clássico.

Uma pequena grande obra-prima.

 

“Invasion of the Body Snatchers” tem edição portugesa (muito parca). A edição espanhola traz generosos extras (making of e um simpático e cinéfilo livrinho sobre o filme, o making of e o fenómeno de culto que gerou).

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - screenshot 12

Realizador: Don Siegel

Argumentistas: Daniel Mainwaring, Richard Collins (sem crédito), a partir do conto de Jack Finney (publicado como um serial na Collier’s magazine)

Elenco: Kevin McCarthy, Dana Wynter, Larry Gates, Carolyn Jones

 

Orçamento – 416.000 Dólares

Bilheteira – 3 milhões de Dólares (USA)

 

Trailer

 

A aparição das vagens

 

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - Poster 1

“Filme a Preservar”, pela National Film Preservation Board USA 1994.

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - lobbycard 1

Gig Young, Dick Powell, Joseph Cotten e Richard Kiley foram considerados como Miles Bennell (o personagem de Kevin McCarthy).

Anne Bancroft, Donna Reed, Kim Hunter e Vera Miles foram consideradas como Becky Driscoll (a personagem de Dana Wynter).

 

O argumentista Daniel Mainwaring teve problemas com a Comissão McCarthista. É por isso que se criou a ideia que o argumento é uma alegoria contra o Senador McCarthy.

O genérico indica que foi filmado em Superscope. Na verdade, foi filmado em 1.85:1, sendo depois sujeito a um processo laboratorial na post production que cortava parte do topo e fundo do negativo e criava a ideia de ser em scope. Siegel sempre se mostrou hostil a este processo. Algumas edições em DVD trazem os dois formatos, outras apenas o original, outras são no formato “tranaformado”.

Do orçamento, apenas 15.000 Dólares foram gastos em efeitos especiais.

Filmado em 23 dias.

 

Sam Peckinpah deu, supostamente, uma ajuda no argumento e nos diálogos. Ainda hoje há controvérsia sobre isto – há quem diga que o argumento foi quase todo reescrito por Peckinpah, outros afirmam que ele só deu uma ajudinha e não pode fazer mais pois o argumentista Daniel Mainwaring o ameaçou perante Writers Guild of America.

Cameo de Peckinpah – é o homem do gás.

 

O produtor Walter Wanger queria abrir o filme com uma citação de Winston Churchill, dita por Orson Welles. Não foi possível convencer Welles. Wanger tentou Ray Bradbury (prestigiado escritor de sci-fi), mas também levou um Não.

Uma montagem inicial tinha momentos de humor. Os primeiros test screenings mostraram que o público não gostava da combinação de terror e humor, pelo que se fez uma remontagem para eliminar os momentos cómicos.

Don Siegel não queria que o filme tivesse um desfecho optimista, mas foi forçado pelo estúdio a fazer um final e um prólogo que levasse a isso. Muito espectador preferiu que o filme tivesse o desfecho pessimista e trágico, que era a intenção original de Siegel.

Apesar de ter surgido um big fuss à volta de tal, Kevin McCarthy e Jack Finney sempre negaram que o filme fosse uma alegoria contra o McCarthismo e/ou o Comunismo. Vêm o filme apenas como um thriller de ficção científica e terror. Contudo, Siegel acha que as referências políticas são incontornáveis, devido aos tempos político-sociais que os USA atravessavam na época.

Invasion of the Body Snatchers - Book Cover 1

Tal como o conto de Finney, o filme ia-se chamar “The Body Snatchers”, mas tal poderia causar confusão com um outro filme, de título “The Body Snatcher”, uma produção de Val Lewton. Outros títulos ponderados foram “They Come from Another World”, “Better Off Dead”, “Sleep No More”, “Evil in the Night” e “World in Danger”.

O final do livro mostrava os alienígenas a abandonar o seu plano de conquista da Terra e a regressarem ao seu planata natal.

 

Em 2008, o American Film Institute colocava o filme na posição 9 dos “10 Melhores Filmes de Ficção Científica de Sempre”.

Kevin McCarthy retomaria o seu personagem na versão de 1978 de “Invasion of the Body Snatcher” e em “Looney Tunes”.

 

Invasion of the Body Snatchers - 1956 - Poster 2

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s