Ciclo Roberto Rossellini – O Medo (1954)

 

O Medo - Poster 2

Título Original – La Paura

Título Alternativo – Non Credo Più All’Amore

Título Internacional – Fear

 

Rossellini & Bergman, novamente.

Agora com twist de suspense.

 

Irene Wagner é a esposa devota de Albert, um prestigiado cientista. Mas Irene tem um amante. Um dia, Irene vê-se alvo de uma chantagem por uma mulher, ex-namorada do seu amante. E assim se inicia uma jornada de medo para Irene, à volta do seu pecado e de como salvar o casamento.

La Paura - screenshot 3

Roberto Rossellini a brincar a Hitchcock?

Sim.

E Não.

La paura (1954)

De facto, e logo desde o início do filme, Rossellini consegue criar uma certa aura de mistério, suspense e inquietação. Mas ao contrário do Master of Suspense, Rossellini não anda pelo suspense criminal e decide ilustrar o quotidiano daquele casamento, os dilemas sentimentais e a solução que a protagonista vai encontrar para o seu coração.

O suspense não está à volta de quem mata ou faz mal a quem, mas em saber-se se aquela(s) relação(ões) tem futuro e qual o rumo sentimental da protagonista.

LA PAURA

Ingrid Bergman (mais uma vez, prodigiosamente filmada, fotografada, iluminada e vestida) volta ser uma mulher sem medo na hora de viver o sentimento.

 

Não sendo o “típico” filme de Rossellini, o cineasta italiano faz um filme mais “redondinho”, “fácil” e de maior amplitude de público, saindo-se muito bem num terreno que não é o seu (sim, para suspense só há um Master).

 

Uma pequena pérola.

 

“La Paura” tem edição portuguesa e já andou a preço “sem medo”.

La Paura - screenshot 8

Realizador: Roberto Rossellini

Argumentistas: Sergio Amidei, Franz von Treuberg, Roberto Rossellini (sem crédito), a partir do livro de Stefan Zweig (“Angst”)

Elenco: Ingrid Bergman, Mathias Wieman, Renate Mannhardt

La Paura - screenshot 4

Clips

http://www.tcm.com/mediaroom/video/599524/Fear-Movie-Clip-Why-Should-I-Be-Reasonable-.html

La Paura - screenshot 6

É o último filme da parceria Roberto Rossellini & Ingrid Bergman. A sua separação (sentimental) dar-se-ia em 1957.

 

O livro de Zweig passa-se na Viena imperial. O filme passa-se em Munique, nos 50s. No livro, a protagonista casa-se por interesse e não descobre a trama. No livro, Zweig quis ilustrar os efeitos do medo. No filme, Rossellini quis abordar certas questões morais do casamento dentro da sociedade moderna.

 

O filme teve direito dois finais – num, a personagem de Ingrid tenta suicidar-se; noutro, a personagem de Ingrid não perdoa o marido, parte com os filhos e fica descrente no Amor (daí a explicação do titulo título alternativo do filme).

Um dos finais faz parte do original cut, mas como o filme foi mal recebido pelo público, fez-se uma remontagem (eliminando e encurtando certas cenas) e optou-se por um final diferente. Essa nova montagem também deu um novo título ao filme.

O Medo - Poster 6

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s