Exterminador: Genisys (2015)

Terminator - Genisys - Poster 6

Título Original – Terminator: Genisys

 

I`ll be back” – prometia ele, sempre.

Terminator está de volta.

31 anos depois da sua primeira vinda.

E com muitas reviravoltas e surpresas.

 

Futuro. Há uma guerra entre Humanos e Máquinas. Estas procuram o extermínio do Homem, mas este conseguiu virar o rumo dos acontecimentos.

Desesperadas, as Máquinas mandam um Terminator para 1984, no sentido de matar Sarah Connor, futura mãe do futuro líder da Humanidade, John Connor. John manda Kyle Reese para a proteger.

O encontro de todos em 1984 vai trazer surpresas perante coisas e eventos que se davam como certos.

Terminator - Genisys - screenshot 1

“Terminator: Genisys” é um título que consegue ser várias coisas.

É reboot, é remake, é sequela, é remix, é twist, é detour.

 

O argumento junta as narrativas de “The Terminator” e “Terminator 2”.

Mas onde se julgava ver repetição e déjà vu, eis que o filme faz uns inesperados, originais, divertidos e intrigantes twists.

Tal origina perguntas. Umas têm resposta, outras terão de aguardar pelo esclarecimento nas sequelas.

Terminator - Genisys - screenshot 3

Terminator - Genisys - screenshot 4

O filme dá-se ao trabalho de encenar cenas e momentos dos dois primeiros filmes, indo mesmo ao ponto de fazer shot per shot.

 

Mas não se pense que “Terminator: Genisys” é apenas um exercício de mimetismo.

Terminator - Genisys - screenshot 5

Terminator - Genisys - screenshot 6

Terminator - Genisys - screenshot 8

Ao fazer os tais twists, o argumento acrescenta eventos e cria alterações nos protagonistas e nas suas relações.

É certo que muita coisa desafia a lógica, mas sendo “Terminator” uma saga que lida com viagens no tempo, os seus paradoxos e a reescrita permanente da timeline, o fascínio e eficácia estão precisamente em todas essas alterações.

 

“Terminator: Genisys” assenta, essencialmente, nos twists que cria e nas mudanças de rumo por onde envereda. É uma brincadeira aos fãs dos dois primeiros filmes e uma homenagem aos títulos de James Cameron, que permite com o que o filme (que se pretende como o primeiro de uma nova trilogia) seja o estabelecer das (novas) regras, eventos (novos) e personagens (agora com personalidade alterada). Ainda dependente de “T1” e “T2”, o filme vai criando bases para que esteja mais autónomo na sequela e possa assim trilhar o seu próprio caminho.

Terminator - Genisys - screenshot 11

Terminator - Genisys - screenshot 12

Terminator - Genisys - screenshot 13

Terminator - Genisys - screenshot 14

Alan Taylor vem da televisão e já andou pelos blockbusters (“Thor: Dark World”). Mostra provas de saber usar grandes meios, sabe criar espectáculo e dá ao filme um excelente ritmo (o primeiro terço é imparável de acção). Mas é “apenas” um realizador (e não um cineasta épico e visionário como Cameron), meramente ilustrativo, que não consegue inovar ou criar algo de verdadeiramente memorável (algo que Cameron faz com grande “facilidade”).

Terminator - Genisys - screenshot 21

O elenco porta-se bem, mas é inevitável a comparação com os seus antecessores.

Jason Clarke pega num John Connor já adulto. Não pode, por isso, ser comparado com Edward Furlong (“Terminator 2” – a iniciar a adolescência e à descoberta do seu eu e dos eventos), Nick Stahl (“Terminator 3” – no início de vida adulta e ainda atormentado) e Thomas Dekker (a série televisiva “Terminator: The Sarah Connor Chronicles” – onde é um adolescente mais avançado, já com iniciativa própria nas suas acções de decisões, mas com inseguranças). Clarke sai-se bem e cria um Connor pleno de surpresas (sim, os trailers fazem spoiler, mas há porquês a descobrir).

Jai Courtney cria um Kyle Reese mais jovem e idealista. Não se sai mal, mas parece um puto rebelde em busca de afirmação, comportando-se com Sarah como um adolescente excitado seguindo o ditado “quem desdenha quer comprar”. Michael Biehn (Reese em “The Terminator”) é muito superior, na forma como transmite (fisicamente) dor, heroísmo e vulnerabilidade.

Emilia Clarke é muito querida e cria uma Sarah Connor ainda jovem, ainda não-mãe, que sente o proteccionismo do seu protector, mas já com sangue na guelra e com iniciativa heróica. Linda Hamilton é-lhe superior (foi a primeira Sarah e isso ajuda sempre), pela forma como ela transmite a evolução de Sarah nos dois filmes (“The Terminator” – onde é frágil e vítima, obrigando a ser sobrevivente e determinada no final – e “Terminator 2” – onde é uma verdadeira guerreira). Lena Headey (da série “Terminator: The Sarah Connor Chronicles”) é também excelente como uma Sarah combativa, incapaz de uma vida normal e com o proteccionismo maternal (ainda que com frequentes dúvidas) sempre activo. Sarah é uma personagem fantástica, complexa, que tem a sorte de ter sido interpretada excelentemente por três excelentes actrizes. Ou seja, Emilia está perfeitamente ao nível de Linda e Lena.

Arnold Schwarzenegger tem em Terminator a sua segunda pele e sabe interpretar o personagem com grande know how. Aqui volta a fazê-lo, num T-800 velho (há uma explicação) mas não obsoleto, sempre brutal, heróico e destrutivo, mas com atitude protectora e paternal. Arnie está em grande forma, apesar da idade.

Terminator - Genisys - screenshot 2

Terminator - Genisys - screenshot 22

Terminator - Genisys - screenshot 10

A pensar nos fãs e em Arnie, o final reserva uma surpresa/brincadeira.

 

Deixem-se estar na sala durante o genérico final – há uma cena extra.

Terminator - Genisys - screenshot 20

Um grande entretenimento, bem ao nível do melhor que a saga nos deu e lança-a para novos e promissores caminhos.

Terminator - Genisys - screenshot 25

OBS.: Revejam “The Terminator” e “Terminator 2”. O filme exige conhecimentos destes filmes ao espectador, seja pelas referências humorísticas, seja pelos eventos sujeitos a twist.

Terminator - Genisys - Poster 12

Realizador: Alan Taylor

Argumentistas: Laeta Kalogridis & Patrick Lussier, a partir de personagens criados por James Cameron & Gale Anne Hurd

Elenco: Arnold Schwarzenegger, Emilia Clarke, Jason Clarke, Jai Courtney, J.K. Simmons, Matt Smith, Courtney B. Vance, Byung-hun Lee, Sandrine Holt

 

Orçamento – 155 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 42 (USA); 127 (mundial)

 

Site – http://www.terminatormovie.com/#home

nextek

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s