O Indomável Rebelde (1978)

Every Which Way But Loose - Poster 1
Título Original – Every Which Way But Loose

 

Clint Eastwood decide fazer uma mudança (bem inesperada) de registo, num momento de carreira em que tinha bem definida a sua imagem de durão.

Neste filme, muito muda à volta de Clint – no tom e na companhia.

 

Philo Beddoe é um camionista que ganha uns extras com outra actividade – combates de rua.

Philo vive com a mãe e o irmão Orville. O sidekick de Philo é Clyde, um irreverente e simpático orangotango.

Philo repensa a sua vida depois de conhecer Lynn, uma cantora country. Mas esta foge.

Philo, Orville e Clyde partem em busca dela.

E muitas peripécias se vão dar.

Every Which Way But Loose - screenshot 1

Every Which Way But Loose - screenshot 3

Every Which Way But Loose - screenshot 15

Misto de comédia e acção, pensado como entretenimento familiar, “Every Which Way But Loose” assenta numa narrativa simples, mas muito divertida e até mesmo humana, à volta do tema clássico do indivíduo empreendedor e à margem do sistema.

A grande riqueza vem mesmo da simplicidade e pureza dos protagonistas (os dois irmãos e a forma como se entendem e vivem, a relação deles com a mãe), que rapidamente ganham a nossa simpatia.

A grande novidade é mesmo a relação de Philo com Clyde, mostrando-os como perfeitos compinchas e companheiros (veja-se Philo a desabafar com Clyde sobre a forma como as mulheres o intimidam).

Every Which Way But Loose - screenshot 9

Every Which Way But Loose - screenshot 8

Every Which Way But Loose - screenshot 14

Boas doses de porrada, em cenas muito bem encenadas.

 

Agradável conjunto de canções country.

Every Which Way But Loose - screenshot 7

Every Which Way But Loose - screenshot 6

Every Which Way But Loose - screenshot 11

Every Which Way But Loose - screenshot 10

Clint Eastwood está em grande. Pega no seu carisma, imagem e virilidade, dando-lhe um twist cómico e sentimental, mantendo a sua esteira heróica.

O restante elenco porta-se a preceito, bem em sintonia com a brincadeira.

Clyde é mesmo o herói do filme, partindo a loiça toda e roubando os momentos mais divertidos para ele.

Excelente química entre Clint e Clyde, bem como entre Clint e Sondra Locke (eram marido e esposa, na época).

Every Which Way But Loose - screenshot 2

Uma grande comédia, de moldes clássicos (como deve ser, tudo assenta nos personagens e nas suas interacções), que não deixa de ilustrar um pouco da mentalidade americana, principalmente dentro das povoações do interior.

 

Um pequeno clássico.

 

Muito recomendável.

 

“Every Which Way But Loose” não tem edição portuguesa, mas pode ser adquirido noutros mercados, a preço bem “rebelde”.

Every Which Way But Loose - screenshot 16

 

Realizador: James Fargo

Argumentista: Jeremy Joe Kronsberg

Elenco: Clint Eastwood, Sondra Locke, Geoffrey Lewis, Beverly D’Angelo,

Roy Jenson, Bill McKinney, Ruth Gordon

 

Orçamento – 5.2 milhões de Dólares

Bilheteira – 106 milhões de Dólares (USA)

Mercado doméstico – 52 milhões de Dólares (USA)

 

Every Which Way But Loose - Poster 2

 

Trailer

 

Momentos com Clyde

 

Every Which Way But Loose - screenshot 5

 

“Melhor Canção” (“Every Which Way But Loose”), nos Prémios American Movie 1980.

 

A canção

 

No genérico inicial

https://www.youtube.com/watch?v=2MhJxx6A7dE

 

Every Which Way But Loose - screenshot 18

Nenhum dos conselheiros de Clint Eastwood queria que o actor fizesse este filme, pois não achavam piada ao argumento. Clint arriscou e o filme tornou-se um dos maiores sucessos de bilheteira da sua carreira.

Clint estava algo nervoso ao fazer uma comédia. Pediu ajuda e conselhos a Burt Reynolds (na época, um forte rival nas bilheteiras para Clint), que já tinha forte curriculum no género. Clint e Burt contracenariam juntos em “City Heat” (1984).

É a primeira comédia de Clint.

 

O argumento tinha sido pensado para Burt Reynolds.

O argumento tinha sido rejeitado por diversos estúdios.

 

Clint foi treinado por Al Silvani, treinador de Jake LaMotta (boxeur que inspiraria “Raging Bull”, de Martin Scorsese, com Robert De Niro) e que tinha treinado Sylvester Stallone para “Rocky” (1976).

Manis, o orangotango que interpreta Clyde, chegou a assustar-se num momento e agarrou-se a Clint. O treinador conseguiu acalmar Manis, via rádio.

É o primeiro filme de Manis, que seria visto noutros filmes – “Going Ape!” (1981, escrito e realizado por Jeremy Joe Kronsberg, o mesmo argumentista de “Every Which Way But Loose”) e “Cannonball” (1981, com Burt Reynolds).

Manis pesava mais de 80 Kilos.

É o terceiro de seis filmes que Clint faz com Sondra Locke, a sua esposa na época – “The Outlaw Josey Wales” (1976), “The Gauntlet” (1977), “Bronco Billy” (1980), “Sudden Impact” (1983) e “Any Which Way You Can” (1980, a sequela para este “Every Which Way But Loose”).

É a sétima e última colaboração entre Clint e James Fargo. Fargo já tinha assinado a realização de “The Enforcer” (1976, o terceiro filme da saga “Dirty Harry”). Antes, Fargo tinha sido assistant director noutros cinco filmes com Clint, ao longo dos 70s.

Clint teceu os maiores elogios ao orangotango, considerando-o como um dos actores mais naturais com quem já tinha trabalhado.

Sondra Locke descobriu que estava grávida durante as filmagens.

Every Which Way But Loose - Backstage

Estreou a 24 de Dezembro de 1978 nos USA. Arrecadou logo 10 milhões de Dólares no fim-de-semana de estreia.

Foi o primeiro filme a conseguir atingir os 10 milhões de Dólares nas bilheteiras, num fim-de-semana.

O filme teve melhor recepção pelo público nas cidades do interior americano.

A canção “Every Which Way But Loose”, de Eddie Rabbitt, foi um grande sucesso.

A crítica não reagiu de forma tão entusiástica como o público.

Foi o segundo maior sucesso de bilheteira, nos USA, em 1978.

Anos depois, o filme seria reposto, em sessão double-bill com a sequela.

 

Beverly D’Angelo interpreta a namorada de Geoffrey Lewis. Em 1989, Beverly interpretara a mãe de Juliette Lewis (filha de Geoffrey), em “National Lampoon`s Christmas Vacation”.

Every Which Way But Loose - screenshot 17

“Every Which Way But Loose” junta-se a uma vasta galeria de títulos que surgiram no final dos 70s e até ao início dos 80s, onde o boxe (e variantes da modalidade) eram tema:

“Rocky” (1976, de John G. Avildsen, com Sylvester Stallone) abriu a moda. Seguiram-se “Rocky II” (1979), “Rocky III” (1982), “Rocky IV” (1985), “Tough Enough” (1983, de Richard Fleischer, com Dennis Quaid), “Title Shot” (1979, com Tony Curtis), “Raging Bull” (1980, de Martin Scorsese, com Robert De Niro), “The Champ” (1979, de Franco Zeffirelli, com Jon Voight), “Matilda” (1978, com Elliott Gould e Robert Mitchum; o boxeur era um canguru), “The Main Event” (1979, com Barbra Streisand e Ryan O`Neal), “The Greatest” (1977, com Muhammad Ali/Cassius Clay e Ernest Borgnine), “Paradise Alley” (1978, de e com Sylvester Stallone), “All The Marbles” (1981, de Robert Aldrich, com Peter Falk).

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s