Esta Terra é Minha (1943)

This Land is Mine - Poster 1

Título Original – This Land Is Mine

 

Jean Renoir sai de França e vai até Hollywood. Aproveita e faz um “discurso” e Grande Cinema. Até porque se estava em guerra pela Europa e o seu país estava invadido.

 

Europa, época da invasão nazi. Algures num país. Uma comunidade vive o seu dia-a-dia, conjugado com a presença dos alemães. Um professor vive com a sua mãe, de forma híper-protegida, em busca de uma oportunidade heróica e de confessar o seu amor por uma colega. Uma professora, destemida e resistente, vê o seu noivado em avanços e retrocessos devido aos jogos do seu noivo com os invasores. O irmão dela insiste em actos de sabotagem para conseguir a liberdade da povoação. Eventos delineados pelo Destino ir-se-ão encarregar de evidenciar a verdade e a função de cada um.

This Land is Mine - screenshot 2

This Land is Mine - screenshot 3

História de sobrevivência e resistência em tempo de guerra (e invasão), o filme é, acima de tudo, um (poderosíssimo) hino à capacidade do ser humano (enquanto indivíduo ou nação) em lutar pela sua afirmação, direitos, autonomia, liberdade, independência, verdade e firmeza contra a tirania e a mentira.

 

Tudo é ilustrado num tom entre o drama (familiar) e o thriller (de guerra), com todo o (habitual) cuidado humano/humanista de Jean Renoir, evidenciando toda a imensa riqueza humana e emocional no quotidiano daquela gente – a relação filho/mãe, o amor não correspondido entre o par protagonista, a relação entre nazis e os seus aliados locais, a relação do casal noivo.

 

Pelo meio, o filme faz o devido “discurso” sobre a honra, bravura e dignidade do Homem (e de um Povo) perante quem dirige/comanda/governa.

 

E um final tão edificante, que só encontra “rival” no de “Dead Poets Society”.

This Land is Mine - screenshot 4

Fabulosa prestação de todo o (excelente) elenco.

(atenção a Charles Laughton no final)

 

Obra-prima total.

 

Absolutamente obrigatório.

 

“This Land is Mine” tem edição portuguesa e já andou a preço “livre”.

This Land is Mine - screenshot 5

Realizador: Jean Renoir

Argumentista: Dudley Nichols

Elenco: Charles Laughton, Maureen O’Hara, George Sanders, Walter Slezak, Kent Smith, Una O’Connor, Philip Merivale, Thurston Hall, Nancy Gates

 

Clips

http://www.tcm.com/mediaroom/video/455777/This-Land-Is-Mine-Movie-Clip-Generations-Of-Slavery.html

This Land is Mine - screenshot 1

“Melhor Som”, nos Oscars 1944.

 

Charles Laughton e Maureen O’Hara já se tinham encontrado em “Jamaica Inn” (1939). Era o último filme de Hitchcock no seu “Período Britânico” e era o primeiro filme da actriz com o nome Maureen O’Hara (antes, tinha feito dois filmes, com o nome, verdadeiro, de Maureen FitzSimons). Maureen tinha então com 19 anos.

 

O livro que o personagem de Charles Laughton lê aos alunos é a “Declaração dos Direitos do Homem”, um documento muito querido durante a Revolução Francesa.

A canção “Die Lorelei”, cantada pelos soldados nazis, é uma variação de um poema de Heinrich Heine, um poeta judeu banido.

 

O filme estreou em Maio de 1943, em 72 salas, em 50 cidades escolhidas. Estabeleceu um novo recorde nas bilheteiras para dia de estreia.

O “Lux Radio Theater” emitiu uma versão radiofónica de 60 minutos, em Abril de 1944. Charles Laughton e Maureen O’Hara retomaram os seus personagens.

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s