A Visita (2015)

The Visit - Poster 3
Título Original – The Visit

 

É o ansiado regresso de M. Night Shyamalan, incontestável mestre do twist. E ei-lo de volta ao terror.

 

Duas crianças (irmão e irmã) vão passar uns dias na casa dos avós. Tudo está a correr bem, até que estranhos eventos se começam a dar e os próprios avozinhos revelam um comportamento bem assustador.

The Visit - screenshot 1

Depois de uns desaires no mundo dos blockbusters (“The Last Airbender” e “After Earth” foram imensos flops nas bilheteiras), Shyamalan regressa às suas origens – baixos orçamentos e terror (“The Sixth Sense”, “Unbreakable”, “Signs”, “The Village”).

E fá-lo da melhor maneira, mostrando que continua um mestre na sua área.

“The Visit” é uma clássica spook story (casa de campo, isolada; os protagonistas a assistirem a estranhos eventos e comportamentos dentro da casa e pelos seus hospedeiros). E nesta vertente, o filme é de um agradável e agradecido classicismo (não há desfile de blood & guts, apenas a perturbação de um tranquilo quotidiano).

Mas Shyamalan não se limita a fazer um (competente) “filme de sustos”.

O cineasta faz uma (brilhante) adenda dramática (a perda de um pai e como lidar com isso, as ânsias da adolescência, as dificuldades de uma mãe em lidar com a maternidade sozinha) e humana (a relação entre os irmãos, a relação deles com a mãe e com os avós, a degradação física e psicológica dos idosos), conseguindo sacar imensa força emocional (vejam-se as “confissões” da mãe e dos filhos).

Só por isto (combinação – excelente, diga-se – de terror e drama familiar), “The Visit” já se destaca.

The Visit - screenshot 9

The Visit - screenshot 11

Mas isto é um Shyamalan film. E spooky.

Por isso, queremos sustos e queremos aquele (sempre famoso e esperado) Shyamalan twist.

Sim. Há muitos e bons sustos (o jogo das escondinhas com “convidado”, os eventos nocturnos, as “façanhas” dos avozinhos).

E sim, há um (big) twist. E de que maneira!!!

O último acto do filme sofre uma reviravolta tal, que muda (radicalmente) o tom e o rumo da narrativa. E oferece-nos 20 minutos finais capaz de fazer uma renovação nas unhas do espectador.

The Visit - screenshot 3

Obviamente que não direi qual o twist, e ninguém o deve dizer.

But be prepared. And be afraid.

 

Shyamalan investe (pela primeira vez) na técnica de found footage. Tal recurso funciona (muito) bem dentro da narrativa e leva o filme para o campo do documentário.

The Visit - screenshot 10

The Visit - screenshot 13

Como sempre no cinema de Shyamalan, excelente direcção de actores.

Os dois petizes são um prodígio de naturalidade e pureza. Olivia DeJonge (muito profunda) e Ed Oxenbould (muito descontraído) merecem atenção ao seu futuro (ambos têm bom curriculum televisivo, mas ela já tem dois scary movies a caminho – será Olivia uma nova Scream Queen?), que nos dará, certamente, mais notáveis interpretações.

Os “velhinhos” Deanna Dunagan e Peter McRobbie (dois veteranos do pequeno ecran) são absolutamente queridos e inquietantes.

8L60_ITP_00026RV21.jpg

“The Visit” marca o regresso de um cineasta ao seu melhor.

Um dos melhores filmes de 2015.

Um dos melhores scary movies da década.

 

Altamente recomendável.

The Visit - screenshot 12

Realizador: M. Night Shyamalan

Argumentista: M. Night Shyamalan

Elenco: Olivia DeJonge, Ed Oxenbould, Deanna Dunagan, Peter McRobbie, Kathryn Hahn

 

Site http://www.stayinyourroom.com/?redirect=off

 

Orçamento – 5 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 25 (USA); 29 (mundial)

The Visit - screenshot 4

Shyamalan elaborou três cuts para o filme – um mais cómico, outro mais assustador e um outro a meio termo. É correcto dizer-se que o que está nas salas é algo a meio termo. Esperemos que os outros cuts cheguem via DVD/Blu-Ray.

Shyamalan produziu o filme pelo seu próprio bolso, com o salário ganho em “After Earth”. Este seu regresso ao baixo orçamento passa pela vontade do realizador em retomar o seu final cut (algo que lhe foi retirado nos filmes anteriores, onde nem sequer participou na montagem).

Shyamalan editou o filme em duas semanas.

É o seu filme mais barato.

Título inicial – “Sundowning”.

(o filme explica o significado da palavra)

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s