Strangers on a Train (1951) – 70 Anos

 

Dois desconhecidos encontram-se num comboio e um propõe uma troca de assassinatos, para que cada um se livre de uma pessoa incómoda a cada um deles.

 

Os temas do duplo, da culpa (pelo crime ou por o desejarmos?), do desejo, da solidão, da trapalhada (criminal) sobre um indivíduo normal e, claro, do crime perfeito.

 

É Alfred Hitchcock a abordar muitos dos seus temas habituais, sempre com forte sentido de suspense (a cena final no carrossel), ironia (a filosofia do vilão) e Cinema (o encontro no comboio, o crime reflectido nos óculos).

 

Clássico e obra-prima.

Continuar a ler