A Profissional (1996)

The Long Kiss Goodnight - Poster 11

 

Título original – The Long Kiss Goodnight

 

Geena Davis tinha ganho um Oscar como “Melhor Actriz Secundária” em “The Accidental Tourist” (1988) e estava a afirmar-se como uma actriz de bons dotes dramáticos (“The Fly” em 1986, “Thelma & Louise” em 1991, “Hero” em 1992) e cómicos (“Beetlejuice” em 1988, “A League of Their Own” em 1992).

Renny Harlin tinha assinado “Die Hard 2” (1990) e “Cliffhanger” (1993) e era um bom talento para o actioner de grande espectáculo.

Shane Black era o mestre do buddy-buddy movie e estava em alta (“Lethal Weapon” em 1987, “The Last Boy Scout” em 1991).

Eis um action thriller que os reúne.

Continuar a ler

A Fúria do Último Escuteiro (1991)

The Last Boy Scout - Poster 3

Título original – The Last Boy Scout

Shane Black escreveu “Lethal Weapon” (1987) e (re)definiu o buddy-buddy movie.

Ficou logo entre os argumentistas mais procurados e caros de Hollywood.

Ei-lo a fazer (bom) uso da fórmula.

Novamente com produção de Joel Silver.

Tony Scott filma (com estilismo).

Bruce Willis e Damon Wayans são os buddies.

Continuar a ler

O Predador (2018)

The Predator - Poster 1

 

Título original – The Predator

 

É uma das criaturas mais fascinantes, mortíferas e icónicas do Cinema.

Surgiu em 1987 (o filme já aqui foi visto) e quase fez de Arnold Schwarzenegger um troféu de caça.

Já teve duas sequelas e até se cruzou com Alien.

Ei-lo de volta.

O mais incrível caçador galáctico vem novamente à Terra.

Shane Black dirige a caçada.

Continuar a ler

O Predador (1987)

Predator - Poster 1

 

Título original – Predator

 

Predator é um dos maiores Monstros e Alienígenas do Cinema, sendo um dos favoritos, mais aclamados e fascinantes.

A sua primeira aparição no Cinema ajudou a consagrar Arnold Schwarzenegger e a revelar John McTiernan como um grande cineasta para o action cinema (faria depois o emblemático “Die Hard”).

Sucesso grande, estatuto de clássico e de culto.

Teve sequelas e spin-offs.

Este ano surge uma nova sequela.

Bom motivo para regressarmos à selva e localizarmos este original alien.

Continuar a ler

Bons Rapazes (2016)

The Nice Guys - Poster 2
Título Original – The Nice Guys

 

É o regresso do meu muito estimado Shane Black (já aqui abordado).

(e muito estimado por muitos happy few, pois Black é um nome de culto em toda uma geração cinéfila “fundada” nos 80s)

Black renovou (deve-se até mesmo dizer que criou um estilo muito personalizado de tal) o dito buddy-buddy movie (“Lethal Weapon”, “The Last Boy Scout”, “The Long Kiss Goodnight”).

Vai regressar em breve, com a adaptação (há muito prometida) de “Doc Savage” e um novo episódio da saga “Predator” (no qual reencontra outro dos meus estimados, e nome de muito culto 80s – Fred Dekker).

Até lá, temos este delicioso regresso (em grande) ao buddy-buddy movie, em tom de policial e noir (como já se tinha visto no seu fulgurante início como realizador – “Kiss Kiss Bang Bang”).

Continuar a ler

Shane Black

 

Shane Black - 2

“Iron Man 3” traz de volta um nome muito acarinhado num grupo de happy few nerds cinéfilos. Ele é Shane Black, nome importante da comédia, do cinema de acção e do policial, no final dos anos 80 e inícios dos 90, que chegou a ser o mais caro argumentista de Hollywood.

Parado há uns tempitos, ei-lo de volta em boa forma.

Bom motivo para se rever alguns dos seus mais relevantes títulos.

Continuar a ler

Iron Man 3 – Homem de Ferro 3 (2013)

Iron Man 3 - Poster 1

 Em 2008, chegava às salas “Iron Man” (e iniciava-se um projecto cinematográfico ambicioso por parte da Marvel, que visava cruzar vários filmes, várias sagas, vários heróis – Iron Man, Hulk, Thor, Captain America, Nick Fury, Hawkeye, Black Widow – que resultaria nesse ensemble super-heróico que é “The Avengers”).

Fresco, divertido e espectacular, “Iron Man” até dava uma imagem engraçada do mais egocêntrico herói da Marvel. Para tal muito contribuiu a irreverente interpretação de um renascido Robert Downey Jr. (que teria direito a mais uma franchise de sucesso com “Sherlock Holmes” – o episódio 3 já está em agenda), ajudado por um argumento que dava as suas “piadas” sobre as ligações perigosas entre governos americanos e produtores de armas, sempre assente nas emoções e motivações do protagonista.

Em 2010 surgiu “Iron Man 2”, mas que desilusão!!! Vilão de pacotilha (um Mickey Rourke tão desperdiçado), “argumento” banal, metragem excessiva, ritmo lento e chato, Downey Jr. a dar a sensação de estar a fazer frete, ausência de espectáculo (que foi confundido com vácua estridência e desfile de CGI).

Para este “Iron Man 3”, nada a temer. O herói regressa em forma num título bem recomendável.

Continuar a ler