Contra Todos os Riscos (1960)

 

 

Título original – Classe Tous Risques

 

Polar escrito por um dos seus Maitres.

Duo de estrelas do género e do Cinema.

Portanto, aqui não há risco.

 

Abel Davos é um criminoso em fuga. O cerco aperta-se e a organização chama Eric Stark para resgatar Davos e levá-lo para lugar seguro.

Mas Abel também quer reencontrar-se com a esposa e filhos, bem como levá-los consigo.

O processo vai gerar muitas vítimas e testar a relação dos dois homens.

Crónica criminal sobre uma classe “profissional” que vive todos os riscos.

É sobre crimes e golpadas, é sobre amizades, lealdades e traições, é sobre morte e valores.

Resulta a componente sentimental (um criminoso implacável em fuga com os filhos e em busca de uma forma de os proteger, a menina que assiste a tudo a apaixonar-se por um dos criminosos), que contrasta com a brutalidade das acções criminosas.

O retrato é muito credível e realista, pleno de atenção humana (os diálogos, as relações, as funções de cada um).

José Giovanni era um dos mestres literários do Polar, que enveredou (e bem) pelo Cinema (como argumentista e realizador), pegando em toda a sua experiência de vida (chegou a ser criminoso e a mover-se em grandes organizações).

O argumento tem toda a sua marca de qualidade, dureza, realismo, relevância humana e sentimental.

Claude Sautet já tinha (bom) curriculum como argumentista e assistente de realização.

Ei-lo a dirigir com vigor, sentido de tom e já em conformidade com o estilo Nouvelle Vague que ainda viria (câmara na rua, câmara nos carros, câmara “ao ombro”, visualização dos eventos de uma forma natural).

Lino Ventura era um dos grandes leading men do Cinema Francês, um grande durão e um dos grandes nomes do Polar. Ei-lo impecavelmente a compor um homem implacável, mas com valores.

Jean-Paul Belmondo ainda estava em início de carreira (“À Bout de Souffle” ainda viria a caminho), mas já mostrava carisma e presença.

Um dos melhores Polar, graças a um argumento preciso e rico, realização vigorosa e actores em pleno.

 

“Classe Tous Risques” não tem edição portuguesa. Existe noutros mercados, a bom preço.

Realizador: Claude Sautet

Argumentistas: Claude Sautet, José Giovanni, Pascal Jardin, a partir do romance de José Giovanni

Elenco: Lino Ventura, Jean-Paul Belmondo, Sandra Milo, Marcel Dalio

 

Trailer

 

Clip

 

Bertrand Tavernier sobre o filme

 

Bilheteira – 1.7 milhões de Espectadores (França)

 

Abel Davos é inspirado num homem com o mesmo nome que José Giovanni conheceu na prisão. O verdadeiro Davos era um executor de uma organização e foi condenado à morte em Março de 1952.

Na época, o filme foi algo subestimado por causa dos filmes oficiais da chamada Nouvelle Vague. Hoje é considerado uma obra-prima de Cinema e há quem defenda que foi muito influente sobre Jean-Pierre Melville (os seus fabulosos “Le Samourai”, “Le Doulos” e “Le Ceecle Rouge” viriam depois de “Classe Tous Risques”).

 

O filme foi banido na Finlândia.

Jean-Paul Belmondo e Lino Ventura reencontrar-se-iam em “Cent Mille Dollars au Soleil” (1964, de Henri Verneuil).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s