Remo: Desarmado e Perigoso (1985)

 

 

Título original – Remo Williams: The Adventure Begins

 

Fred Ward mostra-se capaz como action hero e um leading man, com um inesperado e original herói.

 

Um agente da Polícia de Nova Iorque é morto, de forma a ingressar numa organização ultra-secreta que se dedica à protecção da Constituição dos USA.

Visão do action hero independente, que procura mover-se à margem do sistema mas com objectivo de o proteger, limpar e melhorar, que aposta num conceito diferente da mentalidade da época – o protagonista não recorre a armas de fogo nem violência, fazendo uso do corpo e da mente.

Por aqui passa o recurso a um certo espírito das filosofias orientais de disciplina de corpo & mente.

O resultado é muito divertido (os métodos de Chiun e os comportamentos de Remo) e com um certo sentimentalismo (o crescendo da amizade e respeito entre Remo e Chiun).

É certo que temos uma primeira metade com o treino de Remo e o desenvolver da sua relação com Chiun, o que impede o filme de ser mais actioner, mas permite-lhe investir no humor (as ideias e métodos de Chiun, os comportamentos de Remo).

Tudo é compensado depois, com a entrada de peripécias, acção e boas stunts (a cena na Estátua da Liberdade).

Guy Hamilton vinha de James Bond (“Goldfinger” e “Live and Let Die” pelo melhor, “Diamonds Are Forever” e “The Man With The Golden Gun” pelo pior), pelo que se sentia à vontade com action, fun e action heroes.

Fred Ward e Joel Grey têm boa química e boa entrega aos seus personagens – Ward é o bronco de bom coração, Grey é hilariante na sua tranquilidade sábia e hábil.

Um conceito actioner diferente, original e muito divertido.

 

“Remo Williams: The Adventure Begins” não tem edição portuguesa. Existe noutros mercados, a bom preço.

Realizador: Guy Hamilton

Argumentista: Christopher Wood, Guy Hamilton (sem crédito), a partir do personagem e romance criado por Richard Sapir & Warren Murphy (“The Destroyer”)

Elenco: Fred Ward, Joel Grey, Wilford Brimley, J.A. Preston, George Coe, Charles Cioffi, Kate Mulgrew

 

Trailer

 

Clips

 

A edição Arrow

 

Bilheteira – 14.4 milhões de Dólares

 

Nomeado para “Melhor Caracterização”, nos Oscars 1986. Perdeu para “Mask”.

Nomeado para “Melhor Filme – Fantasia” (perdeu para “Ladyhawke”), “Melhor Actor Secundário” (Joel Grey perdeu para Roddy McDowall em “Fright Night”), nos Saturn 1986.

Joel Grey foi nomeado para “Melhor Actor Secundário”, nos Globos de Ouro 1986. Perdeu para Klaus Maria Brandauer em “Out of Africa”.

O objectivo da Orion Pictures era fazer um “James Bond americano e vindo da classe operária”.

Para tal, chamou duas pessoas experimentadas na saga do super-espião criado por Ian Fleming.

Guy Hamilton e Christopher Wood tinham bom curriculum na saga “James Bond” – Hamilton fez dois com Sean Connery (“Goldfinger” em 1964, o mais bem-amado; “Diamonds are Forever” em 1971, o último de Connery na saga) e dois com Roger Moore (“Live and Let Die” em 1973, o primeiro de Moore como 007; “The Man With The Golden Gun” em 1975); Wood escreveu dois (“The Spy Who Loved Me” em 1977, “Moonraker” em 1979 – ambos com Roger Moore).

 

Bruce Willis e Ed Harris foram considerados como Remo Williams.

Joel Grey chegou a recusar o personagem, inicialmente.

A escolha de Grey para interpretar um asiático foi muito controversa.

Joel Grey era submetido a uma caracterização de quatro horas.

Fred Ward executou muitas das stunts.

Para a cena na Estátua da Liberdade, fizeram-se réplicas do seu peito. Foram construídas no México. A footage da cena inclui filmagens na réplica e na verdadeira estátua.

Christopher Wood viu o seu argumento a sofrer muitas alterações por Guy Hamilton. A cena na Estátua da Liberdade foi ideia de Hamilton. O monumento estava em obras de manutenção e o realizador viu potencial para uma cena de acção no local.

A personagem de Kate Mulgrew tem o nome Rayner Fleming. É uma homenagem/referência a Ian Fleming, criador de James Bond, que inspirou “Remo Williams”.

Pretendia-se uma saga cinematográfica.

Fred Ward tinha feito um contrato para três filmes.

“Reno: Unarmed and Dangerous” – é o título do filme na Austrália.

O filme foi um flop nas bilheteiras e na crítica.

 

O personagem tentou a sua sorte na Televisão, onde se filmou um Pilot. Também não foi longe.

O Pilot foi filmado e exibido, mas nunca se desenvolveu a série televisiva. Jeffrey Meek era Remo Williams e Roddy McDowall era Chiun. Tal como o filme, a musica era de Craig Safan.

Christopher Wood considerou que parte do flop se explica na escolha de Fred Ward, que não era uma movie star nem Wood o considera como capaz de tal, apesar de elogiar as suas capacidades como actor. Wood considerou que Ed Harris seria uma melhor escolha.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s