Le Convoyeur (2004)

 

Com a chegada do intenso “Wrath of Man” (já aqui visto), e sabendo que é um remake deste “Le Convoyeur”, surge a curiosidade de saber como ele é.

 

Alexandre Demarre é um homem perturbado e com problemas de saúde.

Mesmo assim concorre a um homem de segurança numa empresa de transporte de valores.

Mas é por nesse$$idade ou tem uma agenda?

O polar alia-se a um drama trágico.

 

História de dor e crime, com uma história bem engendrada sobre perda, solidão, crime, ganância e vingança.

O que parece ser uma ilustração do dia-a-dia dos homens (e uma mulher) de uma empresa de segurança de valores dá origem a algo mais (graças a uma surpresa narrativa, perfeitamente consistente).

O tom é de dor, bem pesado, muito centrado em pessoas.

(comovente o laço criado com a empregada de hotel)

Aqui não há action mirabolante (embora sujam bons momentos) nem heróis incríveis.

Apenas uma história sobre pessoas, como lidam com as suas ambições, desejos e projectos, bem como a forma como tudo se liga entre todos, com consequências trágicas.

Final mais trágico ainda e doloroso, enfatizando essa ausência heróica e a dimensão humana.

Nicolas Boukhrief recupera bem o tom do polar clássico, sabendo sempre dar prioridade aos personagens.

Muito correcta prestação do elenco, com destaque para um impecável Albert Dupontel, a carregar bem a sua dor.

Jean Dujardin, ainda (muito) antes de “The Artist” (2011) a surpreender pelo que o seu personagem reserva.

Uma muito bem conseguida combinação de drama e polar.

 

Muito recomendável.

 

“Le Convoyeur” não tem edição portuguesa. Existe noutros mercados, a bom preço.

Realizador: Nicolas Boukhrief

Argumentistas: Éric Besnard, Nicolas Boukhrief

Elenco: Albert Dupontel, Jean Dujardin, François Berléand, Claude Perron, Aure Atika

 

Trailer

 

Nicolas Boukhrief queria fazer um filme sobre uma empresa e ilustrá-la como uma micro-sociedade. Ao focar uma empresa de transportes de valores, permitia criar algum suspense na narrativa.

Alguns detalhes sobre as regras de uma empresa de transporte de valores foram obtidos pelos argumentistas com a ajuda de uma jornalista.

Nicolas Boukrief pediu a quase todo o elenco para passarem uma semana juntos e conviverem. Tal foi útil para a química existente. Só Albert Dupontel ficou de fora – mas vendo-se o filme percebe-se porquê e a eficácia de tal.

 

O filme teria um (excelente e superior) remake – “Wrath of Man” (2021) de Guy Ritchie, com Jason Statham.

One comment on “Le Convoyeur (2004)

  1. […] de “Le Convoyeur” (2004, já aqui visto), de Nicolas Boukhrief, com Albert Dupontel e Jean […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s