Choque (1968)

 

Título original – Boom!

 

Um “choque” entre Elizabeth Taylor & Richard Burton.

Só que não há… boom.

 

Choque de duas pessoas, numa mansão de luxo – uma mulher rica e mimada, um poeta falido mas apto a dar-lhe o que ela necessita.

Algo da essência narrativa de Tennessee Williams anda por aqui – paixões obsessivas, possessivas e destrutivas, o recalcamento emocional, o desejo sexual.

O tom é que tem algo de extravagância surreal e impede o approach real que as (grandes) adaptações cinematográficas de Williams (“A Streetcar Named Desire”, “Cat on a Hot Tin Roof”, “Suddenly, Last Summer”) conseguiam no espectador (e em Cinema).

A certa altura (logo desde muito cedo), os personagens irritam pelo seu vazio e o ritmo aborrece.

Joseph Losey parece antecipar o estilo de Peter Greenway (look vistoso, entre sonho e realidade, sensação de espaço único e fechado), mas não consegue transmitir a força emocional que a trama exige (ou, se calhar, não).

É sempre maravilhoso vermos Elizabeth Taylor & Richard Burton juntos, apaixonados ou em conflito emocional.

Noel Coward era um monstro do Cinema e do Teatro.

Mas aqui andam todos perdidos, sem qualquer convicção no que fazem e dizem, sem chama, sem química, em perfeito registo canastrão.

Provavelmente, a pior adaptação cinematográfica de Tennessee Williams ao Cinema e um dos mais toscos filmes de sempre.

 

Dispensa-se.

 

“Boom!” não tem edição portuguesa. Existe noutros mercados, a bom preço.

Realizador: Joseph Losey

Argumentista: Tennessee Williams, a partir da sua peça teatral

Elenco: Elizabeth Taylor, Richard Burton, Noël Coward

 

Trailer

 

Filme

 

Orçamento – 3 a 10 milhões de Dólares

Bilheteira – 2 milhões de Dólares

 

Baseado na peça de Tennessee Williams, “The Milk Train Doesn’t Stop Here Anymore”, que já era um desenvolvimento de um pequeno conto seu, “Man Bring This Up Road”.

 

A peça teatral tinha sido um flop (apenas 69 representações). Mas achou-se que com Elizabeth Taylor numa adaptação de uma peça de Tennessee Williams seria apelativo nas bilheteiras, até por causa dos sucessos de “Cat in a Hot Tiun Roof” (1958) e “Suddenly, Last Summer” (1959) – Liz teve nomeações para os Oscars nos dois filmes.

Na peça teatral, a protagonista é uma mulher mais velha. Katharine Hepburn foi uma primeira escolha, mas a actriz recusou. Tal deixou Joseph Losey chateado. Ele decidiu criar um outro personagem derivado dessa, fazer dele homem e chamou Noël Coward para o interpretar.

Topol foi sondado, mas recusou.

Losey chegou a fazer auditions a Sean Connery e Simone Signoret.

Williams procurou que Connery fosse o protagonista, mas ele recusou.

James Fox ia ser protagonista, mas Elizabeth Taylor exigiu contracenar com Richard Burton.

Burton recusou “The Thomas Crown Affair” (1968), “The Fixer” (1968) e ”Oliver!” (1968), só por causa do (chorudo) salário pago em “Boom!”.

Segundo Lord Melvyn Bragg e o seu livro “Richard Burton: A Life”, Joseph Losey estava com sérios problemas de alcoolismo e pessoais, com tudo isso a ter consequências no filme e na forma como ele esteve presente no processo de produção e filmagens.

A soma dos salários de Elizabeth Taylor e Richard Burton deu o valor de 2.5 milhões de Dólares.

Filmado na Sardenha.

 

É o primeiro filme britânico a usar a palavra “Shit” nos diálogos.

É o oitavo de 11 filmes que Elizabeth Taylor e Richard Burton fizeram juntos.

 

Richard Burton redimiu-se deste flop com o sucesso de “Where Eagles Dare” (1968). Elizabeth Taylor demorou um pouco mais.

Segundo Mike Munn e o seu livro “Richard Burton: Prince of Players”, Richard Burton achou que ele e Elizabeth Taylor tinham sido um enorme erro de casting. Consideraram Robert Redford e Bette Davis como melhores escolhas.

Tennessee Williams considerou este filme como a melhor adaptação cinematográfica de uma peça sua.

John Waters é grande fã do filme. Apresentou-o no Maryland Film Festival em 1999, mostrou um poster do filme no seu “Pink Flamingos” (1972) e considera-o um perfeito exemplo de camp film.

Sobre Tennessee Williams:

https://www.goodreads.com/author/show/7751.Tennessee_Williams

https://www.britannica.com/biography/Tennessee-Williams

https://www.poetryfoundation.org/poets/tennessee-williams

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s