Guerra dos Mundos (1995-1996)

Space - Above and Beyond - Poster 1

 

Título original – Space: Above and Beyond

 

Glen Morgan & James Wong formam uma criativa dupla no campo televisivo e cinematográfico.

Foram uma das forças criativas em “The X-Files” (andaram por lá na Season 1 e até meio da Season 2, para depois regressarem nas Seasons 4, 10 e 11).

Saíram da criação de Chris Carter para abraçarem este projecto.

Mas durou pouco.

 

Futuro, ano 2063.

A Terra tem colónias no Espaço e uma delas é atacada por uma espécie alienígena.

E assim nasce uma guerra de mundos, onde se acompanha as peripécias de um grupo de jovens Marines.

 

Criadores: Glen Morgan, James Wong

Elenco: Morgan Weisser, Kristen Cloke, Rodney Rowland, Joel de la Fuente, Lanei Chapman, James Morrison, Tucker Smallwood

 

Trailer

 

Intro

 

Space - Above and Beyond - Screenshot 1

Space opera que se vê como se fosse um war actioner, por onde passa a memória de algumas séries do género (“Battlestar Galactica”) ou de obras literárias (“Starship Troopers”, de Robert Heinlein; a adaptação cinematográfica de Paul Verhoeven só surgiria em 1997).

Space - Above and Beyond - Screenshot 3

Consegue-se um acompanhamento e intimidade com os elementos do pelotão, criando-se a devida empatia junto do espectador.

Space - Above and Beyond - Screenshot 4

Dada a base da narrativa, há sempre lugar para boas peripécias e muita acção, onde são testadas as capacidades físicas e psicológicas dos intervenientes, dando-se também relevo à união do grupo e à forma como esta é afectada.

Space - Above and Beyond - Screenshot 14

Elogia-se a visão nada maniqueísta do inimigo, mostrando-o como uma espécie diferente, movendo-se também pela sobrevivência no Espaço, criando-se um certo mistério (muito pertinente e inteligente) que a série não foi a tempo de resolver (serão os Chigs e os Humanos “primos” perante a Evolução?).

Space - Above and Beyond - Screenshot 2

Inteligente e com potencial (mas que a série também não teve tempo para desenvolver) é a ideia dos humanos InVitro (seres “desenhados” por engenharia genética para estarem aptos para uma vida de combate e sem as fraquezes dos seus congéneres “normais”).

Space - Above and Beyond - Screenshot 10

Faltou um rumo narrativo constante para que percebêssemos que a série era mais do que novos combates e novas peripécias por cada novo episódio.

(talvez as Seasons seguintes se encarregassem disso)

 

Bons valores de produção.

Space - Above and Beyond - Screenshot 9

Performance simpática do elenco, em boa sintonia entre si.

Space - Above and Beyond - Screenshot 11

Uma boa space opera, que sabe preservar alguns dos seus elementos clássicos, dando-lhe a devida modernidade, mas a que faltou aquele golpe criativo para que se desmarcasse do resto que há (de bom) no género.

 

Vê-se muito bem.

 

“Space: Above and Beyond” já passou num canal da nossa Televisão. Não tem edição no nosso mercado doméstico, mas existe noutros e a bom preço.

Space - Above and Beyond - Screenshot 15

 

Orçamento – 5 milhões de Dólares por episódio.

 

Space - Above and Beyond - Cover 1

Nomeado para “Melhores Efeitos Visuais”, nos Primetime Emmy 1996. Perdeu para “Gulliver’s Travels”.

Nomeado para “Melhor Série Televisiva de Género”, nos Saturn 1996. Perdeu para “The Outer Limits”.

“Melhor Actriz – Série Televisiva de Género” (Kristen Cloke), “Melhor Realização – Série Televisiva de Género” (David Nutter pelo Pilot), “Melhor Argumento – Série Televisiva de Género” (Glen Morgan e James Wong pelo episódio “Who Monitors the Birds?”), pela Sci-Fi Universe Magazine 1996.

Space - Above and Beyond - Screenshot 12

A série inspirou-se em obras literárias diversas – “The Forever War” de Joe Haldeman, “The Naked and the Dead” de Norman Mailer “The Red Badge of Courage” de Stephen Crane.

Inspirado na série televisiva “Combat!” (1962).

 

Os executives do estúdio não estavam convencidos com Rodney Rowland e Morgan Weisser, mas o casting director lutou por eles.

 

Rowland deixou de fumar para estar mais apto para as cenas de acção.

Muito do cast brincava com a voz James Morrison, algo que deixava o actor chateado.

 

A série recorre a elementos de cast (secundários por episódio) & crew que tinham participado ou participariam em “The X-Files”.

Todos os episódios em causa dessa série seriam escritos por Morgan & Wong.

 

Kristen Cloke e Glen Morgan conheceram-se nas filmagens. Casaram em 1998.

 

A acção passa-se de 2063 a 2064.

A série passa-se no futuro, mas usa muitas roupa e expressões como eram comum durante a Segunda Guerra Mundial.

No episódio “Sugar Dirt” uma explosão fugiu ao controlo dos técnicos de efeitos especiais e feriu vários membros do cast.

A personagem Shane Vansen recebe o nome como homenagem a Lise Vansen, a assistente de Morgan & Wong.

Randy Stone, o casting director, aparece frequentemente como o barman.

Kelly Winslow é uma personagem habitual. Winslow é o nome do primeiro filho de Kristen & Glen.

 

Os efeitos de som seriam usados na série “Futurama” (1999).

No casamento de Kristen e Glen, a música que se ouviu quando Kristen chegou era o theme da sua personagem. Foi a prenda de casamento de Shirley Walker, a autora da música da série.

 

O projecto visava 5 Seasons. O estúdio cancelou a série perante números de audiência que não compensavam o investimento.

 

O IGN colocou “Space: Above and Beyond” na posição #50 nos “Top 50 Sci-Fi TV Shows”, tendo considerado a série como muito avançada no seu tempo.

Vários livros e comics surgiram, originados por “Space: Above and Beyond”, que visavam serem prequelas e continuações à série televisiva.

Space - Above and Beyond - Poster 2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s