Ennio Morricone (1928–2020) – RIP

 

Mais um Long Goodbye em Cinema.

Agora ao grandioso Ennio Morricone, emblemático criador de scores do Westers Spaghetti e de muitos outros que ficam eternamente na História e na nossa memória.

 

Ennio nasce em Roma, a Novembro de 1928.

 

Estuda Música em Roma, no Conservatório Santa Cecilia, tendo-se especializado em trompete.

 

Arranja trabalho na indústria cinematográfica italiana, mas o seu trabalho é rotineiro e em filmes de pouca visibilidade.

 

Tudo muda em em 1964, quando Sergio Leone o convida para fazer o score de “A Fistful of Dollars”. Leone tinha apreciado um par de trabalhos de Ennio e, dado o baixo orçamento do filme e o baixo prestígio de Ennio, este podia ser contratado por um custo igualmente baixo.

E tudo muda.

Para o género (nasce o Western Spaghetti, que teria largas centenas de títulos feitos), para Leone (torna-se um dos nomes mais importantes do Cinema italiano, europeu e mundial), para Clint Eastwood (actor secundário em Hollywood, que ganha aqui o empurrão para se tornar uma das maiores Movie Stars de sempre no Cinema) e para Ennio (que vê muito do seu curriculum ligado ao género e numa carreira imparável de trabalho).

 

Leone vê todos os seus filmes musicados por Ennio – “A Few Dollars More”, “The Good, The Bad and The Ugly”, “Once Upon a Time in the West”, “Once Upon a Time in America”.

A parceria Sergio Leone & Ennio Morricone é das mais importante no Cinema, na ligação realizador/compositor (perfeitamente ao nível das criadas por Alfred Hitchcock & Bernard Herrmann, Federico Fellini & Nino Rota, Steven Spielberg & John Williams, Os Coen & Carter Burwell, Tim Burton & Danny Elfman).

 

Ennio passa a ser praticamente o compositor oficial do Western Spaghetti – “A Pistol for Ringo”, “The Return of Ringo”, “Navajo Joe”, “Death Rides A Horse”, “The Great Silence”, “Il Mercenario”, “Compañeros”, “My Name is Nobody”, “Un Genio, Due Compari, Un Pollo”.

O seu nome também anda por Hollywood e cria sonoridades notáveis para diversos filmes, sempre rodeado de grandes realizadores – “Days Of Heaven”, “Two Mules for Sister Sara”, “White Dog”, “The Thing”, “The Mission”, “Rampage”, “The Untouchables”, “Casualties of War”, “In The Line of Fire”, “Lolita”, “The Hateful Eight”.

Em Televisão, compõe o score para a popular série “La Piovra”.

Move-se quase sempre pela Europa – “La Cage Aux Folles”, “ Le Professionnel”, “Uccellacci e Uccellini”, “Guns of San Sebastian”, “Teorema”, “Le Clan des Siciliens”, “La Moglie Più Bella”, “Hornets Nest”, “Cittá Violenta”, “Le Casse”, “4 Mosche di Velluto Grigio”, “Cosa avete fatto a Solange?”, “I Racconti di Canterbury “, “Novecento”, “Orca”, “La Tragedia di un Uomo Ridicolo”, “Átame!”, “Hamlet”. No velho Continente cria outra parceria emblemática com outro realizador – Giuseppe Tornatore, para quem compõe a música de “Cinema Paradiso” , “Malèna” e “La Sconosciuta”.

Muitos dos filmes onde participou estão entre os maiores do Cinema.

Trabalhou com grandes cineastas e realizadores, tanto em Hollywood (Terrence Malick, Don Siegel, Samuel Fuller, John Carpenter, Roland Joffé, William Friedkin, Brian De Palma, Wolfgang Petersen, Adrian Lyne, Quentin Tarantino) como na Europa (Sergio Leone, Duccio Tessari, Damiano Damiani, Pier Paolo Pasolini, Dario Argento, Bernardo Bertolucci, Giuseppe Tornatore, Henri Verneuil, Franco Zeffirelli, Pedro Almodóvar), com muitos dos seus filmes a terem grandes Movie Stars e grandes actores (Clint Eastwood, Lee Van Cleef, Eli Wallach, Gian Maria Volonté, Franco Nero, Giuliano Gemma, Claudia Cardinale, Charles Bronson, Jason Robards, Henry Fonda, James Coburn, Rod Steiger, Ugo Tognazzi, Alain Delon, Lino Ventura, Jean Gabin, Jean-Paul Belmondo, Robert De Niro, James Woods, Jeremy Irons, Kurt Russell, Kevin Costner, Sean Connery, Mel Gibson, Michael J. Fox, Sean Penn, Ornela Muti, Monica Bellucci).

Chegou a vir a Portugal.

Criou um projecto com a nossa Dulce Pontes.

Stanley Kubrick era grande fã de Ennio e chegou a procurá-lo para “A Clockwork Orange” e “Barry Lyndon”, mas nada avançou.

Nunca quis mudar-se para Hollywood, apesar de um estúdio lhe ter oferecido uma villa.

Acreditava que um mau filme não se salvava com uma boa música.

Tem no seu curriculum mais de 500 filmes.

Ganhou imensos prémios.

Ganha um Oscar de carreira em 2007 (entregue por Clint Eastwood), e um de “Melhor Música” em 2016, por “The Hateful Eight”. Esteve nomeado por “Malèna”, “Bugsy”, “The Untouchables”, “The Mission”, “Days of Heaven”.

Ganha BAFTA com “The Hateful Eight”, “Nuovo Cinema Paradiso”, “The Untouchables”, “The Mission”

Ganha David di Donatello com “La Migliore Offerta”, “Baarìa”, “La Sconosciuta”, “Nuovo Cinema Paradiso”.

Estava a trabalhar na música de “The Canterville Ghost”, um filme de animação a partir de um conto de Oscar Wilde.

Ennio Morricone mudou a sonoridade do Western e criou uma própria para o Western Spaghetti.

A seu estilo musical era inconfundível e profundo.

Perde-se um Grande Signore da Música e do Cinema.

Arrivederci, Signor Ennio.

 

Ficam muitos filmes e músicas que nos encheram o coração.

 

Site oficial – http://www.enniomorricone.org/

 

 

Evocação

 

 

Alguns dos seus Scores

 

A Fistful of Dollars

 

For a Few Dollars More

 

The Good, The Bad and The Ugly

 

Once Upon in the West

 

Once Upon in America

 

A Pistol for Ringo

 

The Return of Ringo

 

L`Uccello dalle Piume di Cristallo

 

La Piovra

 

Le Profissionnel

 

The Thing

 

The Mission

 

Cinema Paradiso

 

Malèna

 

The Untouchables

 

Casualties of War

 

In The Line of Fire

 

The Hateful Eight

 

 

O Oscar, pela mão de Clint Eastwood

 

 

Em Concerto

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s