Force of Nature (2020)

 

Mel Gibson, outrora uma grandiosa Movie Star, viu-se encostado para produções B/Z, lançadas directamente para o mercado doméstico.

A Gibsonassaice deu-se em 2016 com o fabuloso “Hacksaw Ridge” (sucesso de público e crítica, nomeações e vitórias importantes nos Oscars, limpeza total de prémios por parte da Academia Cinematográfica Australiana).

Se as coisas ainda não correm bem à frente das câmaras, atrás há bons indícios – Gibson já prepara “The Passion of the Christ 2” (narra os 3 dias seguintes à ressurreição de Cristo) e anda planeado para o remake de “The Wild Bunch” (o clássico de Sam Peckinpah que tudo mudou em matéria de action & mayhem & violence).

Ei-lo como actor, num género que (bem) conhece (o action thriller), ainda que secundário, mas num título indigno do seu talento.

 

Um grupo de habitantes de um condomínio procura sobreviver ao ataque de um violento gang, num dia assolado por um destrutivo furacão.

“Die Hard” num dia de tempestade aquática (sim, já vimos isso em “Hard Rain” – e era bem entretido e espectactular).

 

O filme limita-se a pegar no conceito narrativo do clássico de John McTiernan e a fazer uma variante com tal (como tantos fizeram – “Passenger 57”, “Under Siege”, “Cliffhanger”, “Speed”, “Air Force One”).

Os autores esqueceram foi o tom, o estilo, o engenho narrativo, a presença de boa action, personagens definidos, espectáculo, ritmo.

Ou seja, o que se exige a um bom actioner.

 

Quando começa a confusão até vemos potencial para alguma tensão e boa acção, mas tudo envereda pela banalidade (acção desinspirada, ausência de tensão e suspense, violência desnecessária) e pelo bocejo (há grandes quebras de ritmo, com o intuito de definir as emoções dos personagens).

Susto maior é vermos o trio protagonista (que já deu boas provas de talento) metido em tamanha baixa produção.

Mel Gibson é uma living legend do Cinema e trata por Tu o Actioner. Mas ei-lo perdido, num filme e personagem que poderia ter um Zé-Ninguém qualquer. O personagem de Gibson até poderia ser a surpresa nos eventos, mas está lá apenas para justificar alguma metragem (Gibson é despachado em menos de 1 hora).

 

Realização em moldes rotineiros.

Mais um actioner, mais um rip-off de “Die Hard”, com uma produção Z que se revela um total desperdiço do seu trio protagonista e da sua action star.

 

Vê-se…

 

“Force of Nature” inicia a sua carreira de video on demand, venda directa e estreia limitada em salas a partir de 30 de Junho, nalguns mercados.

Realizador: Michael Polish

Argumentista: Cory Miller

Elenco: Emile Hirsch, Kate Bosworth, Mel Gibson, David Zayas, Stephanie Cayo

 

Trailer

 

Mel Gibson substituiu Bruce Willis (outra imensa Movie Star do género, também perdida em produções Z, que são straight to video, vão para video on demand e streaming).

Primeiro filme em Inglês para Stephanie Cayo.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s