Sonic: O Filme (2020)

 

Título original – Sonic The Hedgehog

 

Sonic é uma das mais felizes e perfeitas criações (o seu design é muito culpado disso) da pop culture do Século XX.

Criado como um personagem de muitos, excelentes e bem-sucedido$ videogames, Sonic tornou-se um dos favoritos da pequenada e cimentou o poder no mundo dos videogames da sempre impecável SEGA.

Eis a sua chegada ao Cinema.

 

Sonic foge do seu planeta natal e encontra refúgio na Terra.

Os seus incríveis poderes (é super-rápido e dotado de uma inesgotável energia) obrigam-no a estar sempre escondido, mas permitem-lhe fazer o bem a quem precisa.

Devido a um azar, Sonic é descoberto por um cientista louco que o pretende raptar e examinar.

Sonic, com a ajuda de um jovem Xeriff, procura uma salvação.

Estamos no campo da história clássica do visitante de outro mundo que chega ao nosso, vê-se acossado, encontra um amigo na Terra e mete(m)-se em peripécias.

O objectivo aqui não é fazer algo novo, mas é capturar todo o espírito SEGA, dos seus jogos e do universo deste “demónio azul”.

A diversão é enorme, o tom anda pela comédia, sci-fi, fantasia, actioner e com muito de videogame.

Tudo resulta graças à simpatia com que é apresentado (o filme é completamente honesto nos seus propósitos), ao ritmo (imparável), ao humor (as atitudes de Sonic) e às peripécias (acção louca e destravada, digna de um videogame de Sonic).

Nota alta para os incríveis efeitos visuais.

Sonic é um prodígio de animação, pleno de realismo, detalhe, cor, dinamismo. E ele é tão fofinho e adorável como nos jogos.

James Marsden dá-se bem com criaturas (já o vimos ao lado do Coelho da Páscoa em “Hop”) e volta a ser visível a sua boa disposição.

Jim Carrey é sempre um polo infinito de talento, dotes camaleónicos e capacidades cómicas. Ei-lo novamente como vilão (depois de “Batman Forever” e “A Series of Unfortunate Events”), novamente com visual excêntrico, em grande forma.

Ben Schwartz dá encanto, inocência, sentimento e traquinice a Sonic.

Sonic está de volta. Sempre traquinas, com grande coração, em perfeita forma para uma nova vida.

Venha “Sonic 2”.

 

Obrigatório para todos os adultos-crianças que se deliciaram com esta adorável “bola de pelo azul”.

 

“Sonic” estava nas salas. Um outro demónio chamado coronavirus levou-o para streaming.

Nota – deixem-se estar a ver o (divertido) genérico final, pois há homenagem aos jogos de Sonic e um teaser para sequela (uau, quem vem lá?)

Realizador: Jeff Fowler

Argumentistas: Patrick Casey, Josh Miller, a partir do personagem criado pela SEGA

Elenco: Ben Schwartz (voz), James Marsden, Jim Carrey, Tika Sumpter, Natasha Rothwell, Adam Pally, Lee Majdoub, Neal McDonough, Melody Nosipho Niemann

 

Site – https://www.sonicthehedgehog.com/en-gb/

 

Orçamento – 85 milhões de Dólares

Bilheteira – 146 milhões de Dólares (USA); 306 (mundial)

 

Jim Carrey envolveu-se no projecto pelo facto da sua filha ser grande fã do Sonic.

 

O primeiro poster do filme não foi do agrado de Naoto Ohshima (o criador do design de Sonic) e de Yuji Naka (líder da Sonic Team), pois não gostaram do look de Sonic.

O primeiro design de Sonic mostrava-o com mais espinhos, mais pêlo, sapatilhas novas, olhos normais e uma forma quase humana.

A mesma reacção se deu com o primeiro trailer, com os fãs a manifestarem-se também.

Sonic foi então redesenhado para estar o mais parecido com o design original dos videogames. Tal causou a atrasos na pós-produção e alteração da estreia – ia ser no Thanksgiving 2019, passou para o Valentine’s Day 2020.

Fãs e autores originais de Sonic ficaram satisfeitos com as mudanças efectuadas.

Tom Holland, Josh Gad, Chris Pratt, Andy Samberg, Bill Hader, Will Forte, Jim Parsons, Charlie Day, Paul Rudd e Adam Devine foram considerados para dar voz a Sonic.

Chris Evans, Jake Johnson, Michael B. Jordan, Bill Hader, Jason Segal, Justin Timberlake, Adam Pally, Ansel Elgort, Jack Black, Ed Helms, Owen Wilson, Jason Segal e Milo Ventimiglia foram considerados para o personagem que foi entregue a James Marsden.

Jeff Fowler é membro do Blur Studio, uma prestigiada empresa ligada a efeitos visuais e animação. “Gopher Broke” foi a sua primeira curta-metragem (de animação) e esteve nomeada para os Oscars 2004 na categoria de “Melhor Curta-Metragem de Animação”. “Sonic” é a sua estreia em longas-metragens e em imagem real.

Todo o processo de redesenhar Sonic levou a um custo extra de 5 milhões de Dólares.

Ben Schwartz deu voz a Sonic e o seu rosto foi usado no processo de motion-capture.

Schwartz tem em Jim Carrey o seu actor favorito e ídolo.

Marsden contracenava com um Sonic de peluche. Os efeitos visuais substituem o boneco pelo Sonic “real” feito por computador.

Carrey afirmou que ele teve direito a fazer muita improvisação (física e verbal), pelo que muita coisa que ele fez e disse não constava do argumento.

Fimado em Vancouver.

Working title – “Casino Night”.

Várias cenas do filme procuram fazer homenagem e referências a muitos dos jogos de Sonic.

A pick-up de Tom é uma Toyota Tacoma TRD Off-Road Double Cab 4×4 V6, de 2016.

O filme estreia no ano em que a SEGA celebra 60 anos.

Sobre a SEGA:

https://www.sega.com/

 

Sobre Sonic:

https://www.sega.com/games/sonic-hedgehog

https://www.sega.com/games/sonicmania

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s