Stuart Gordon (1947-2020) – RIP

 

Stuart Gordon (1947-2020) – RIP

 

Mais um Long Goodbye em Cinema.

Agora a um dos grandes mestres do Gore Terror – Stuart Gordon.

 

Stuart Gordon nasce em Chicago, em Agosto de 1947.

 

Terminado o ensino secundário na Lane Technical High School, Stuart vai trabalhar como aprendiz no departamento de arte comercial de uma empresa.

 

Entra na University of Wisconsin. Não consegue lugar em Cinema, fica-se por Representação em Teatro.

Em 1968, dirige uma versão psicadélica de “Peter Pan”, fazendo-a como uma sátira política.

A coisa corre mal (é considerado como um acto obsceno), Stuart é preso e sai da Universidade.

 

Em conjunto com a esposa Carolyn, Stuart forma o Organic Theater e partem para Chicago.

O Organic Theater efectua trabalhos em Los Angeles e na Europa.

Um dos trabalhos é “Sexual Perversity in Chicago”, que lança a carreira de David Mamet como dramaturgo – futuramente, Mamet será um dos mais bem reputados argumentistas (“The Postman Always Rings Twice”, “The Untouchables”, “Glangarry Glen Ross”) e cineastas (“House of Games”, “The Spanish Prisoner”, “The Winslow Boy”) de Hollywood.

O grupo também leva a cabo “Bleacher Bums” (que dura 19 anos em Los Angeles) e “E/R” (que dará origem a uma série televisiva).

 

Na companhia de Brian Yuzna e Charles Band (com a sua companhia Empire Pictures), Gordon lança-se no Cinema.

 

Em 1985 sai o seu primeiro filme – “Re-Animator”, a partir do conto de um grande mestre de terror, em Literatura, H.P. Lovecraft. É um sucesso e um imenso cult movie, tendo até ganho o Prémio da Critica em Cannes. O filme teria duas sequelas – “Bride of Re-Animator” (1990) e “Beyond Re-Animator” (2003), ambas assinadas por Yuzna.

No ano seguinte, Stuart volta a Lovecraft, também com sucesso e culto – “From Beyond” (teve há uns anos um excelente Director`s Cut).

 

Stuart elabora a história de “Honey, I Shrunk The Kids” (1989), que é aceite pela Disney.

 

Em 1991, Stuart volta à Literatura de Terror, pegando em mais um mestre – Edgar Allan Poe. Adapta “The Pit and the Pendulum”.

 

No ano seguinte, uma mudança de registo (sci-fi actioner, mas ainda cheio de gore) – “The Fortress”. Teria uma (menor) sequela, sem a presença de Stuart.

Stuart escreve com Yuzna “The Dentist” (1996).

Stuart elabora uma nova versão de “Invasion of the Body Snatchers”,  “Body Snatchers” (1993), assinado por Abel Ferrara.

Em 2001, o regresso a Lovecraft – “Dagon”.

Em 2005, o regresso a David Mamet – “Edmond”.

 

Stuart passeia-se por algum terror muito mediano ou fraco, mas que lhe garante trabalho.

 

Em 2005, vemo-lo com um dos “Masters of Horror”, uma capaz antologia que o reúne com outros Masters (Tobe Hooper, Wes Craven, Mick Garris, Don Coscarelli, Dario Argento, Joe Dante, John Landis, Larry Cohen, Takashi Miike, Tom Holland, John Carpenter). Sem surpresa, os episódios de Stuart são derivados de contos de… Lovecraft e Poe.

 

A sua esposa Carolyn era frequentemente morta nos seus filmes.

Jeffrey Combs e Barbara Crampton eram habituais em muitos dos seus filmes.

Deu um forte tom sexual às suas adaptações de Lovecraft, pois achava que essa componente estava presente nos contos, mas de forma muito subtil.

Considerava que uma boa interpretação era o melhor efeito especial. Era isso que fazia com que o público acreditasse no que via.

Considerava que Terror e Sexo eram como Morte e Vida. Por isso combinavam no género do Terror.

 

Ganhou prémios em Avoriaz, Sitges, Bruxelas, Cannes, Fangoria e tentou no nosso FantasPorto.

 

Stuart Gordon deixou a sua marca no terror independente e de baixo orçamento, com um forte vinco no Gore.

As suas adaptações de Lovecraft e Poe eram fortes e com personalidade.

Há um Terror Made by Stuart Gordon.

É certo que a sua carreira mais recente é marcada por títulos menores, mas o seu início de carreira é fulgurante.

 

Perde-se um grande nome do género.

 

So Long, Stu.

Um capítulo histórico do Gore tem o teu nome. E muitos happy few nunca o/te esquecerão.

 

Trailers de alguns dos seus filmes mais emblemáticos

 

Re-Animator

 

From Beyond

 

The Fortress

 

The Pit and the Pendulum

 

Entrevista

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s