Mulherzinhas (2019)

 

Título original – Little Women

 

“Little Women” é um belo romance de Louisa May Alcott.

Clássico da Literatura, é também um velho favorito do Cinema.

 

Já teve adaptações em 1933 (de George Cukor, com Katharine Hepburn, Joan Bennett e Paul Lukas), em 1949 (de Mervyn LeRoy, com June Allyson, Elizabeth Taylor, Janet Leigh, Peter Lawford, Margaret O’Brien, Rossano Brazzi e Mary Astor) e em 1994 (de Gillian Armstrong, com Winona Ryder, Trini Alvarado, Samantha Mathis, Kirsten Dunst, Claire Danes, Gabriel Byrne, Christian Bale, Eric Stoltz, John Neville e Susan Sarandon). Todas óptimas e até premiadas (as mais antigas até receberam Oscars).

 

Eis uma nova (e pertinente) versão.

 

O quotidiano das quatro irmãs March (Jo, Amy, Meg e Beth) no durante e após a Guerra Civil Americana (têm o pai ausente no conflito).

O “duelo” de personalidade, os romances, os desafios da vida.

 

O clássico de Alcott mostra-se mais actual do que nunca.

(na verdade, nunca esteve desactualizado, tal é a força universal e intemporal da história, personagens e emoções)

Retrato emotivo da vida familiar, de grande riqueza sentimental, com  viva presença humana, o filme consegue, subtilmente, ser fiel ao livro e à sua essência, conseguindo “recados” subtis à urgência do calor familiar no mundo moderno.

Sentimos as “mulherzinhas” como as irmãs, amigas, namoradas ou esposas que poderíamos ter ou conhecer, as emoções são universais e facilmente comunicam connosco.

Tudo parece uma “reportagem”, pura e simples, sobre vidas humanas.

Óptimo trabalho de fotografia, cenografia e guarda-roupa.

Belíssima música do grande Alexandre Desplat, numa das suas melhores partituras.

Impecáveis interpretações de todo o elenco, em verdadeiro estado de graça em matéria de cumplicidade (acreditamos mesmo na dinâmica daquelas maninhas).

Greta Gerwig mostra-se (bem) apaixonada pelos personagens, pelos actores, pelas cenas, pelos momentos.

Um belíssimo retrato da dinâmica familiar e da felicidade humana, feito (grande) Cinema.

Muito possivelmente, a melhor adaptação cinematográfica de todas (e todas maravilhosas) as feitas a partir do romance de Louisa May Alcott.

 

Um dos melhores filmes de 2020.

Um futuro clássico.

 

Obrigatório.

 

“Little Woman” está nas nossas salas.

Realizadora: Greta Gerwig

Argumentista: Greta Gerwig, a partir do romance de Louisa May Alcott

Elenco: Saoirse Ronan, Emma Watson, Florence Pugh, Eliza Scanlen, Laura Dern, Timothée Chalamet, Tracy Letts, Bob Odenkirk, James Norton, Louis Garrel, Jayne Houdyshell, Chris Cooper, Meryl Streep

 

Site – https://isputlockers.com/movie/331482/little-women

 

Orçamento – 40 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 103 milhões de Dólares (USA); 178 (mundial)

 

“Melhor Guarda-Roupa”, nos Oscars 2020. Esteve nomeado para “Melhor Filme” (perdeu para “Parasite”), “Melhor Actriz” (Saoirse Ronan perdeu para Renée Zellweger em “Judy”), “Melhor Actriz Secundária” (Florence Pugh perdeu para Laura Dern em “Marriage Story” – “por acaso”, Laura é a mamã destas “Little Women”), “Melhor Argumento Adaptado” (perdeu para “Jojo Robbit”) e “Melhor Música” (perdeu para “Joker”).

Nomeado para “Melhor Actriz – Drama” (Saoirse Ronan perdeu para Renée Zellweger em “Judy”), nos Globos de Ouro 2020.

“Melhor Guarda-Roupa”, nos BAFTA 2020.

“Melhor Actriz” (Saoirse Ronan), nos AACTA 2020.

“Filme do Ano”, nos AFI 2020.

“Melhor Argumento Adaptado”, “Melhor Actriz Secundária” (Florence Pugh), “Melhor Elenco”, pela Alliance of Women Film Journalists 2020

“Melhor Argumento Adaptado”, pelos críticos de Austin 2020, de Indiana 2019, de Kansas City 2019.

“Melhor Actriz Secundária” (Florence Pugh), “Melhor Elenco”, “Top 10 do Ano”, pelos críticos de Boston 2019.

“Melhor Filme”, “Melhor Actriz” (Saoirse Ronan), “Melhor Elenco”, “Melhor Música”, pelos críticos de Boston 2019.

“Melhor Actriz Secundária” (Florence Pugh), pelos críticos de Ohio 2020, de Philadelphia 2019.

“Melhor Actriz Secundária” (Florence Pugh), “Melhor Argumento Adaptado”, “Melhor Música”, “Melhor Guarda-Roupa”, pelos críticos de Chicago 2019.

“Melhor Realizador(a)”, “Melhor Argumento Adaptado”, pelos críticos independentes de Chicago 2020.

“Melhor Actriz Secundária” (Florence Pugh), “Melhor Argumento Adaptado”, pelos críticos de Denver 2020, da North Carolina 2020, de Utah 2019.

“Melhor Elenco”, “Melhor Argumento Adaptado”, pelos críticos da Florida 2019.

“Filme Comovente”, no Heartland Film 2019.

“Melhor Actriz Britância/Irlandesa do Ano” (Florence Pugh), pelos críticos de Londres 2020.

“Melhor Argumento Adaptado”, pelos críticos de Washington 2019.

Greta Gerwig procurou seguir o livro de Alcott, mas também experiências da vida e trabalho da escritora.

Assim que soube que Greta Gerwig estava a preparar esta nova versão de “Little Women”, Saoirse Ronan logo se moveu para conseguir participar no filme.

 

Reencontro entre Greta Gerwig e Saoirse Ronan, depois de “Lady Bird” (2017; onde Saoirse foi nomeada para diversos prémios, incluindo Oscars e Globos de Ouro).

Florence Pugh começou “Little Women” pouco tempo depois de concluir as filmagens de “Midsommar”. Para a actriz, este novo filme foi uma terapia face ao filme anterior (de forte tensão psicológica).

Emma Watson substituiu Emma Stone, que estava ocupada com “The Favourite” (2018; Emma esteve nomeada para diversos prémios, incluindo Oscars e Globos de Ouro).

Reencontro entre Meryl Streep e Laura Dern, depois da série “Big Little Lies” (2017).

Filmado em Massachusetts.

Greta Gerwig estava grávida de 6 meses durante as filmagens. Deu à luz no processo de montagem. Nas filmagens ninguém deu conta que ela estava grávida.

 

O discurso de Amy sobre o Casamento não estava no argumento. Foi uma ideia de Meryl Streep a Greta Gerwig. Meryl achava que as gerações actuais deviam perceber a importância do Casamento na mulher no tempo dos eventos retratados.

Timothée Chalamet improvisou na cena onde o seu personagem se declara a Jo.

Tal como Katharine Hepburn (protagonista da versão de 1933 de “Little Women”), Saoirse Ronan já interpretou Mary, Queen of Scots (em 2018 no filme “Mary Queen of Scots”; Katharine interpretou-a em 1938 no filme “Mary of Scotland”). Tal como Winona Ryder (protagonista da versão de 1994 de “Little Women”), Saoirse já interpretou Abigail Williams da peça “The Crucible” (Winona interpretou-a em 1996, no filme com o mesmo título).

Apesar de interpretarem americanas, nenhuma das actrizes o é – Emma Watson e Florence Pugh são inglesas, Saoirse Ronan é irlandesa, Eliza Scanlen é australiana.

Em 2019, Laura Dern participa em “Little Women” de Greta Gerwig, e “Marriage Story” de Noah Baumbach. Noah e Greta são um casal na vida real.

O filme tem como produtoras duas das criadoras da versão de 1994 – Denise Di Novi (era a produtora) e Robin Swicord (era a argumentista).

 

Esta nova versão recebeu as quase mesmas nomeações aos Oscars que as versões de 1994 (que teve para “Melhor Actriz” a Winona Ryder, “Melhor Guarda-Roupa” e “Melhor Música”) e 1933 (“Melhor Filme”, “Melhor Argumento Adaptado”).

De todas as versões de “Little Women” esta é a mais premiada e nomeada.

O romance de Louisa May Alcott tem edição portuguesa, bem como a sua sequela (“Good Wives – Anos Felizes”).

 

Sobre Louisa May Alcott:

https://louisamayalcott.org/

https://www.goodreads.com/author/show/1315.Louisa_May_Alcott

https://www.britannica.com/biography/Louisa-May-Alcott

https://www.pbs.org/wgbh/masterpiece/specialfeatures/little-women-7-surprising-facts-about-louisa-may-alcott/

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s