Le Mans ’66: O Duelo (2019)

 

 Título original – Ford v Ferrari

 

O mundo automóvel é fascinante pelas suas criações e pela sua evolução.

O duelo entre construtores tem imensos momentos fascinantes.

A prova de Le Mans, ao longo de 24 horas, é das mais desafiantes a pilotos e marcas.

Eis um momento decisivo para duas grandes marcas.

 

1966.

A Ferrari está imparável em Le Mans.

A Ford prepara-se para se confrontar e levar a melhor.

Carroll Shelby, prestigiado piloto e preparador, prepara um audacioso carro para a prova. Ken Miles, determinado piloto, procura a sua consagração.

Mas para além do desafio técnico do projecto ainda há que vencer muitos burocratas executivos que estão em campo apenas por questões de imagem.

Dinâmico drama sobre o trabalho logístico e técnico do mundo da competição automóvel.

Estão lá bons momentos automóveis, belos e clássicos carros.

Mas o cerne é mesmo o lado humano da narrativa – o esforço, determinação e confiança de um punhado de homens que acreditou num sonho de triunfo, contra todas as probabilidades.

Por outro lado, mostra-se também o lado parolo (aqui, americano, mas extensível ao planeta todo) do mundo empresarial que só visa número$ e coberturas publicitárias, em detrimento de pessoas e factos.

Não menos importante é a forte história de dois (grandes) homens, vincados nas suas personalidades e capacidades.

Electrizantes cenas automóveis, que nos fazem sentir o vibrar dos carros, a adrenalina da condução e os perigos das provas.

Ótimos efeitos de som.

James Mangold dirige com vigor, bom ritmo (mais de duas horas e meia que passam em full speed), sabendo combinar o lado humano dos eventos com a vertigem das provas desportivas, deixando sempre os actores/personagens em prioridade.

Excelente trabalho do elenco, com destaque para uns esplêndidos Matt Damon e Christian Bale, plenos de carisma e entrega.

Um empolgante filme sobre o triunfo do espírito humano e da mecânica automóvel.

 

Um dos melhores filmes do ano.

Poderá ser um título forte nos Globos de Ouro e Oscars 2020.

 

Obrigatório.

 

“Ford v Ferrari” está nas nossas salas.

Realizador: James Mangold

Argumentisas: Jez Butterworth, John-Henry Butterworth, Jason Keller

Elenco: Matt Damon, Christian Bale, Jon Bernthal, Caitriona Balfe, Josh Lucas, Noah Jupe, Tracy Letts, Remo Girone

 

Site – https://www.foxmovies.com/movies/ford-v-ferrari

 

James Mangold sobre o filme

 

Matt Damon e Christian Bale sobre o filme

 

Orçamento – 97 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 62 milhões de Dólares (USA); 108 (mundial)

 

“Realizador do Ano”, “Editor do Ano”, “Som do Ano”, nos Hollywood Film 2019.

O filme já é um projecto de longa data. James Mangold moveu muitos esforços para que fosse uma realidade. O sucesso de “Logan” (2018, de Mangold) foi decisivo para a decisão final do estúdio (20th Century Fox).

 

Christian Bale ia ser Enzo Ferrari em “Enzo Ferrari” (de Michael Mann, a estrear em 2020; Hugh Jackman será o lendário criador automóvel).

Bale teve de perder muitos quilos. Bale estava (bem) gordo por causa do personagem de “Vice” (2018). O actor só tinha sete meses para estar magro. Bale disz que o conseguiu graças a não comer.

Bale preparou-se ao ser treinado na Bondurant High Performance Driving School. O fundador dessa escola (Bob Bondurant) era amigo de Ken Miles, o personagem de Bale.

Matt Damon aceitou participar no filme motivado pela presença de Bale.

 

Reencontro entre James Mangold e Christian Bale, depois de “3:10 to Yuma” (2007).

 

O filme teve como consultores Charlie Agapiou (antigo chefe de mecânica da Shelby American) e Peter Miles (filho de Ken Miles).

Damon e Bale divertiram-se na cena da luta. Toda ela foi coreografada por ambos.

O filme usa muitos carros da época da história, ainda em bom estado de uso. Outros foram criados, exactamente como eram na época.

O circuito de Le Mans foi recriado em diversos locais. A montagem e os efeitos visuais criam a ilusão devida.

Mangold procurou ser old school nas cenas automóveis, usando o menos possível efeitos visuais digitais.

Mangold e o seu director of photography Phedon Papamichael tiveram como inspiração os filmes “Grand Prix” (1966, de John Frankenheimer, com James Garner, Eva Marie Saint e Yves Montand) e “Le Mans” (1971, com Steve McQueen).

Papamichael colocou câmaras especiais nos carros.

Numa cena em Le Mans, Jacky Ickx pode ser visto entre o público. Ickx é um prestigiado piloto de ganhou várias vezes em Le Mans (1969, 1975, 1976, 1977, 1981 e 1982).

Lee Iacocca faleceu a 2 de Julho de 2019.

“Ford v Ferrari” é o título do filme, Em muitos países é intitulado “Le Mans 66”.

Chegou a ter o titulo “Go Like Hell”. Nessa fase, Tom Cruise e Brad Pitt estavam considerados como protagonistas.

Sobre o evento:

https://www.autocar.co.uk/slideshow/le-mans-66-real-story

https://www.motorsportmagazine.com/opinion/sports-cars/ford-vs-ferrari-real-story-le-mans-66-and-ken-miles

https://news.goodyear.eu/goodyear-66-the-tire-story-behind-the-le-mans-66-movie/

https://www.autosport.pt/velocidade/le-mans-66-a-historia-dos-pneus-por-detras-do-filme/

https://www.motor24.pt/motores/le-mans-66-o-duelo-uma-historia-americana/742366/

https://www.aquelamaquina.pt/noticias/actualidade/detalhe/ford-gt-40-de-le-mans-66-o-duelo-vai-a-leilao.html

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s