Era Uma Vez em… Hollywood (2019)

Once Upon a Time in Hollywood - Poster 7

 

É o regresso de Quentin Tarantino.

Com uma abordagem cool ao Cinema e aos 60s/70s.

 

Los Angeles, 1969.

Um actor de Televisão e o seu stuntman procuram um novo salto nas suas carreiras, mas encontram uma Hollywood em mudança.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 1

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 2

O Cinema de Tarantino é sempre cinéfilo e cheio de referências a títulos, nomes e correntes estético-temáticas.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 5

“Once Upon a Time… in Hollywood” é tanto cinéfilo como sobre Cinema e Hollywood.

Talvez seja mesmo a mais bela love letter que o cineasta faz a Hollywood e ao Cinema.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 7

Tarantino brinca com a Televisão e o Cinema, os Westerns e os Policiais, o Actioner e o Western Spaghetti, o duelo e o stardom entre os dois meios, evidenciando como ser star no pequeno ecran não é (sempre) compatível com o ser (também) no grande.

O problema do protagonista é o mesmo de muita TV Star daqueles dias (e anteriores e posteriores) e o cineasta sabe fazer disso um drama humano e uma visão sobre o meio.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 4

(Boas) relações entre movie star e stuntman não são raras em Hollywood – John Wayne & Yakima Canutt, Steve McQueen & Bud Ekins, Burt Reynolds & Hal Needham, Harrison Ford & Vic Armstrong.

Através de Rick Dalton & Cliff Booth faz-se uma (bonita) homenagem a tal parceria, sendo também uma bela história de amizade entre dois homens.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 15

Em paralelo, há um ligeiro (mas sentido) ilustrar de algum do quotidiano da saudosa Sharon Tate, mostrando mais a woman e menos a movie star.

É outra love letter profundamente conseguida neste filme.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 10

Tarantino faz algo de diferente do que se espera dentro de um Tarantino Film, mas também faz o que se espera do seu espírito cinematográfico e cinéfilo.

Temos toda uma viagem à Hollywood do final dos 60s, temos um detalhado e romântico olhar sobre esses tempos e ambientes (ahhh, o uso daqueles movie posters…), temos filme(s) dentro do filme (os trailers e filmagens dos filmes e pilots de Dalton) e temos fantasia/sci-fi (o final).

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 11

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 12

Tarantino faz um filme diferente, mas estão lá as suas habituais trademarks – diálogos vivos, personagens cool, dinâmicas e personalizadas, relações fortes rapidamente caracterizadas.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 13

O Cinema de Tarantino é sempre violento.

Então como é, nessa área, “Once Upon a Time… in Hollywood”?

Não se pode dizer muito, pois é aí que reside (muita) da surpresa (principalmente no final), mas o autor, apesar de estar num registo mais “light”, não esquece o que (bem) sabe fazer – a visita de Cliff ao “lar” de Charles Manson e das suas babes traz uma (crescente) tensão inquieta que recorda Hitchcock ou Carpenter, o final faz-nos sentir que algo vai explodir em muita violência.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 9

Excelente fotografia (do grande Robert Richardson – um habitual de Tarantino, Stone e Scorsese).

Excelente (e nostálgica) banda sonora (algo já habitual em Tarantino).

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 8

Magnífica prestação do elenco (algo “rotineiro” no Cinema de Tarantino), mesmo para aqueles que fazem cameos.

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt são um prodígio de coolness, irradiando uma celestial química. Os dois actores mostram que nasceram para trabalhar juntos e devem voltar a fazê-lo o mais depressa possível.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 20

Margot Robbie dá uma imagem angélica de Sharon Tate, que muito respeita e honra a malograda actriz.

Once Upon a Time in Hollywood - Brandy

Destaque para Brandy, a cadela de Cliff, que guarda para si muitos dos momentos mais divertidos (e heróicos) do filme, sendo uma brava aliada.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 3

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 19

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 18

É o mais belo argumento (e também o mais linear) de Tarantino (o que lhe pode valer vários prémios – Globo de Ouro, BAFTA, Oscar).

É o mais “rápido” filme do cineasta (mais de 150 minutos que são uma suavidade, pois nunca se sentem nem cansam; ao contrário de alguns do seus filmes, neste nunca temos a sensação que o filme já deveria ter acabado e que anda a fazer desnecessário extra time).

É o seu mais belo e melhor filme.

É o mais próximo que Tarantino pode estar de um fairy tale.

É a sua mais brava e sentida homenagem ao Cinema e a Hollywood.

 

Um dos melhores filmes de 2019.

Obrigatório.

 

“Once Upon a Time… in Hollywood” já está nas nossas salas.

Once Upon a Time in Hollywood - Screenshot 21

Realizador: Quentin Tarantino

Argumentista: Quentin Tarantino

Elenco: Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Margot Robbie

Cameos: Maya Hawke, Margaret Qualley, Dakota Fanning, Luke Perry, Timothy Olyphant, Damon Herriman, Mike Moh, Al Pacino, Kurt Russell, Lorenza Izzo, Rumer Willis, Damian Lewis, Emile Hirsch, Michael Madsen, Rebecca Gayheart, Zoë Bell, Samantha Robinson, Martin Kove, Bruce Dern, James Remar, Scoot McNairy, Shannon Elizabeth Stone, Nicholas Hammond, Brenda Vaccaro, Clu Gulager, Danielle Harris

 

Site – https://www.onceuponatimemag.com

 

Orçamento – 90 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 134 milhões de Dólares (USA); 312 (mundial)

 

Once Upon a Time in Hollywood - Poster 9

“Melhor Argumento”, pela International Cinephile Society 2019.

“Palm Dog”, em Cannes 2019. Esteve nomeado para a “Palme d’Or”, mas perdeu para “Parasite”, de Joon-ho Bong.

 

Once Upon a Time in Hollywood - Poster 29

Tarantino trabalhou no argumento ao longo de 5 anos.

Tarantino começou por escrever a pensar num livro. Só depois decidiu criá-lo como argumento para um filme.

Tarantino considera este filme como o seu mais pessoal.

Tarantino criou um personagem de propósito para Al Pacino.

Tarantino compara o tom do filme como próximo ao dos filmes de Claude Lelouch.

O título é uma homenagem de Tarantino a Sergio Leone e aos seus “Once Upon a Time in the West” (1968) e “Once Upon a Time in America” (1984). Tarantino tem em Leone um dos seus cineastas preferidos e um dos mais influentes sobre ele.

Once Upon a Time in Hollywood - Backstage - 1

Debra Tate (irmã de Sharon) estava algo céptica face ao filme, mas mudou de ideias depois de conversar com Tarantino.

Debra ficou comovida pelo empenho de Margot Robbie em investigar a vida de Sharon e ser fiel a ela.

 

O filme ia ser produzido pela The Weinstein Company. Mas perante os escândalos de Harvey Weinstein (que muito impulsionou a carreira de Tarantino), o cineasta decidiu procurar outros estúdios. Warner Bros., Universal Pictures, Sony Pictures, Paramount Pictures, Annapurna Pictures e Lionsgate mostraram interesse, mas foi a Sony que ganhou.

 

Burt Reynolds ia participar, mas faleceu antes do começo das filmagens das suas cenas. Bruce Dern substituiu-o.

Leonardo DiCaprio submeteu-se a um treino como preparação para ser um action hero.

É o último filme de Luke Perry, falecido em Fevereiro de 2019.

Damon Herriman interpreta Charles Manson por duas vezes em 2019 – no filme de Tarantino e na Season 2 de “Mindhunter”.

Para Tarantino, Leonardo DiCaprio & Brad Pitt é o mais dinâmico duo desde Robert Redford & Paul Newman.

Once Upon a Time in Hollywood - Backstage - 2

Reencontro entre Tarantino e muitos actores – Leonardo DiCaprio (“Django Unchained”), Brad Pitt (“Inglourious Basterds”), Michael Madsen (“Reservoir Dogs”), Kurt Russell (“Death Proof”).

Como sempre em Tarantino, há a presença de ilustres actores secundários dos 60`s, 70`s e da actualidade, dentro da produção B e indie.

Reencontro entre Tarantino e Robert Richardson – “Kill Bill”, “Inglourious Basterds”, “Django Unchained”, “The Hateful Eight”.

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt deram-se tão bem, que já prometeram voltar a trabalhar juntos.

 

Filmado em película 35mm.

Tarantino diz que este filme é o mais próximo, em termos de estrutura narrativa, de “Pulp Fiction”.

Once Upon a Time in Hollywood - Backstage - 3

Margot Robbie usa joias usadas por Sharon Tate. Foi a própria irmã de Sharon, Debra, que teve gosto em tal.

O Cadillac visto é de Michael Madsen.

Numa cena fala-se numa sala que faz Premieres a filmes eróticos. É o Eros, agora com a designação The New Beverly e tem Tarantino como dono (a sala é para ciclos de Cinema).

 

O primeiro cut era de 4 horas e 20 minutos.

O filme recebeu uma ovação de 7 minutos, em Cannes.

 

Segredos:

https://www.empireonline.com/movies/features/once-upon-time-hollywood-quentin-tarantino-spoiler-interview/

 

Sharon Tate - Photo 1

Sharon Tate - Photo 2

Sobre Sharon Tate:

https://www.biography.com/crime-figure/sharon-tate

https://www.oprahmag.com/entertainment/tv-movies/a27666451/sharon-tate-death/

https://www.britannica.com/event/Tate-murders

https://www.esquire.com/entertainment/movies/a28414367/roman-polanski-bruce-lee-killed-sharon-tate-true-story-once-upon-a-time-in-hollywood/

https://www.mirror.co.uk/news/world-news/manson-cults-savage-murder-sharon-18456933

https://www.etonline.com/charles-manson-sharon-tate-and-the-1969-murders-the-real-story-behind-once-upon-a-time-in-hollywood

https://www.express.co.uk/entertainment/films/1166011/Once-Upon-A-Time-In-Hollywood-true-story-what-happened-to-Sharon-Tate

 

 

Once Upon a Time in Hollywood - Poster 30

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s