A Balada de Buster Scruggs (2018)

The Ballad of Buster Scruggs - Poster 2

 

Título original – The Ballad of Buster Scruggs

 

É o regresso dos Irmãos Coen.

Ao Western.

 

Conjunto de várias histórias sobre várias situações do Old West. 

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 1

Através de 6 curtas histórias, os Coen revisitam o Western e alguns dos seus arquétipos, sabendo homenageá-los, parodiá-los e analisar alguma da moral do género e da época.

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 4

O tom das histórias é diferente e nem todas conseguem a mesma qualidade ou punchline, mas é inegável o poder “moralista” e narrativo dos Coen.

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 7

Belíssima fotografia, a capturar toda a beleza e imensidão da paisagem do faroeste.

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 2

Grande qualidade nos diálogos (como sempre nos Coen) e nas interpretações (como sempre nos Coen).

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 6

Não sendo um filme vintage dentro da carreira dos manos, é um bom exemplo da qualidade do seu Cinema.

 

Muito recomendável.

 

“The Ballad of Buster Scruggs” está disponível através da NetFlix.

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 9

Realizadores: Joel Coen & Ethan Coen

Argumentistas: Joel Coen & Ethan Coen, a partir das pequenas histórias de Jack London (“All Gold Canyon”) e Stewart Edward White (“The Gal Who Got Rattled”)

Elenco: Tim Blake Nelson, Clancy Brown, James Franco, Liam Neeson, Tom Waits, Zoe Kazan, Brendan Gleeson, Saul Rubinek, Tyne Daly

 

Site – https://www.netflix.com/pt/title/80200267

 

The Ballad of Buster Scruggs - Screenshot 10

“Melhor Argumento”, em Veneza 2018. Concorreu ao “Leão de Ouro”, mas perdeu para “Roma” (de Alfonso Cuarón).

The Ballad of Buster Scruggs - Poster 1

O filme conta 6 histórias. São 6 histórias criadas pelos Coen ao longo de 25 anos. Os irmãos nunca lhes encontraram destino. Até que a Annapurna Pictures e a Netflix lhes pediu para fazerem uma adaptação desses contos.

As seis histórias são:

  • “The Ballad of Buster Scruggs”
  • “Near Algodones”
  • “Meal Ticket”
  • “All Gold Canyon”
  • “The Gal Who Got Rattled”
  • “The Mortal Remains”

 

Segundo encontro entre os Coen e o director of photography Bruno Delbonnel, depois de “Inside Llewyn Davis” (2013).

Reencontro entre os Coen e Tim Blake Nelson, depois de “Oh Brother, Where ArtThou?” (2000).

Os Coen voltam a trabalhar com membros da família Gleeson – em “The Ballad of Buster Scruggs” trabalham com Brandan (pai), em “True Grit” trabalharam com Domhnall (filho).

 

A mão que Buster Scruggs recusa jogar é conhecida como “dead man’s hand” (um par de Ases e um par de Oitos) – foi a mão que Wild Bill Hickok jogou minutos antes de ser morto.

Numa cena, alguém pede que lhe leiam a história “The Midnight Caller”. Em “True Grit” (2010, também dos Coen), a protagonista também pede que lhe leiam a mesma história.

A canção “Surly Joe” já tinha sido ouvida em “Destry Rides Again” (1939, com James Stewart e Marlene Dietrich).

Numa cena é vista a loja “Greaser Bob’s”. A mesma loja é referida em “True Grit”.

Numa cena vê-se a parte detrás de um cavalo na contra-capa de um livro. Tal é o logo da companhia de produção dos Coen, a Mike Zoss Productions.

 

É o primeiro filme dos Coen filmado em digital.

É o mais longo filme dos Coen – 132 minutos.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s