Enigma (1944)

 

Murder, My Sweet - Poster 1

 

Título original – Murder, My Sweet

 

Raymond Chandler é um dos grandes Mestres (se não mesmo O Mestre) da literatura Hardboiled Noir.

Chandler praticamente que definiu as regras e o estilo do género, sendo a eterna referência para muito escritor que se (e o) seguiu.

Philip Marlowe é a sua mais popular criação. Rude, individualista, íntegro, cínico, batido pela vida, duro, Marlowe é a quintessência do Private Detective, sendo o modelo de inspiração a todo o Private Eye que veio depois.

É óbvio que o Cinema nunca poderia ignorar tal material.

Eis uma (feliz) adaptação, vinda de um dos melhores livros do escritor.

Dirige um bom artesão para o género.

Protagoniza um actor inesperado – Dick Powell.

 

Philip Marlowe, detective privado, é contratado por um ex-presidiário para que lhe encontre a antiga namorada.

As dificuldades surgem (já ninguém vê a rapariga há anos e ninguém sabe dela), mas tudo se complica ainda quando os cadáveres começam a surgir, vindos de lados que (aparentemente) nada têm a ver com o caso.

Murder, My Sweet - screenshot 48

Murder, My Sweet - screenshot 2

“Farewell, My Lovely” (o livro que inspira o filme) é um dos melhores romances de Chandler/Marlowe e tinha mesmo de originar um grande filme.

Murder, My Sweet - screenshot 5

Murder, My Sweet - screenshot 3

Murder, My Sweet - screenshot 20

Assim que eis um Detective Noir ao nível dos grandes.

Murder, My Sweet - screenshot 6

Murder, My Sweet - screenshot 11

Bons meios de produção, fotografia bem negra e contrastada, história densa e complicada, secundários relevantes, femme fatale bem perigosa e um protagonista bem definido.

Murder, My Sweet - screenshot 10

Murder, My Sweet - screenshot 9

Murder, My Sweet - screenshot 13

Murder, My Sweet - screenshot 16

Tudo no sítio, tratado com estilo, carisma e talento.

Murder, My Sweet - screenshot 21

Murder, My Sweet - screenshot 25

Como é de esperar, há certas concessões ao livro (o climax é diferente, o final do filme é mais romântico, certos eventos na descoberta da verdade são mais encurtados), mas respeita-se toda a essência da narrativa literária.

Murder, My Sweet - screenshot 26

Murder, My Sweet - screenshot 28

Murder, My Sweet - screenshot 19

Atenção à cena do pesadelo – admirável o trabalho cénico, fotográfico e de planeamento visual.

Murder, My Sweet - screenshot 35

Murder, My Sweet - screenshot 39

Murder, My Sweet - screenshot 42

Dick Powell é, de facto, um Philip Marlowe inesperado e, à partida, algo impossível.

Murder, My Sweet - screenshot 29

Mas o actor surpreende pela sua destreza para o género e recria o Marlowe conforme Chandler o criou – cavalheiro, cínico, honesto, profissional, competente, heróico.

Murder, My Sweet - screenshot 33

Murder, My Sweet - screenshot 8

Murder, My Sweet - screenshot 34

Murder, My Sweet - screenshot 27

Murder, My Sweet - screenshot 24

Murder, My Sweet - screenshot 32

Murder, My Sweet - screenshot 23

Claire Trevor é uma tentação, provocação e fatalidade.

Murder, My Sweet - screenshot 14

Murder, My Sweet - screenshot 15

Bom trabalho do restante elenco.

Murder, My Sweet - screenshot 22

Murder, My Sweet - screenshot 17

Murder, My Sweet - screenshot 18

Edward Dmytryk sabia trabalhar todos os géneros e tem aqui um momento de glória – pelo ritmo, atmosfera e tom.

Murder, My Sweet - screenshot 44

Murder, My Sweet - screenshot 43

Murder, My Sweet - screenshot 45

Murder, My Sweet - screenshot 12

Murder, My Sweet - screenshot 46

Os romances de Chandler começam no Cinema e entram logo pela porta grande.

Um modelo do género e de adaptações de Chandler/Marlowe.

 

Uma maravilha.

Um clássico.

 

Obrigatório.

 

“Murder, My Sweet” não tem edição portuguesa, mas existe noutros mercados, a bom preço.

Murder, My Sweet - screenshot 36

Murder, My Sweet - screenshot 38

Murder, My Sweet - screenshot 37

Murder, My Sweet - screenshot 41

Realizador: Edward Dmytryk

Argumentista: John Paxton, a partir do romance de Raymond Chandler (“Farewell, My Lovely”)

Elenco: Dick Powell, Claire Trevor, Anne Shirley, Otto Kruger, Mike Mazurki, Miles Mander, Douglas Walton, Donald Douglas, Ralf Harolde, Esther Howard

 

Trailer

 

Orçamento – 400.000 Dólares

Bilheteira – 1 Milhão de Dólares

 

Murder, My Sweet - Poster 4

“Melhor Filme”, nos Edgar Allan Poe 1946.

Murder, My Sweet - Poster 2

Dick Powell era um popular actor em musicais (depois teria o seu TV Show).

A RKO estava à beira de falência e contratou Powell para fazer vários musicais, na esperança de ter vários sucessos nas bilheteiras. O actor aceitou o contrato, mas com a condição que faria filmes mais dramáticos.

Powell queria tanto mudar de registo, que até chegou a tentar ser protagonista em “Double Indemnity” (1944, de Billy Wilder, com Barbara Stanwyck; Fred MacMurray derrotou Powell). Curiosamente, o filme foi escrito por Raymond Chandler (ainda que a partir de um romance de James Cain).

Murder, My Sweet - Poster 13

Edward Dmytryk chegou a ficar assustado com a escolha de Powell para Philip Marlowe.

Murder, My Sweet - Backstage - Claire Trevor and Edward Dmytryk

Filmado em 44 dias.

Murder, My Sweet - screenshot 1

Para a primeira aparição de Moose Malloy (Mike Mazurki), Dmytryk usou um truque simples, engraçado e eficaz, no sentido de dar um look imponente ao personagem. O seu reflexo na janela não era suficientemente intimidante, pois a dita estava muito longe da câmara. Dmytryk colocou uma placa de vidro entre a câmara e Marlowe (Powell), pelo que o reflexo de Malloy mostrava uma pessoa mais intimidante.

Para dar um ar que Mazurki era muito alto e intimidante, Dmytryk fez alterações nos tectos dos sets, para alterar a perspectiva.

Murder, My Sweet - screenshot 40

Na cena em que Marlowe fica drogado, Dmytryk recorreu a outro truque simples – mover a câmara com rapidez à medida que se afastava do actor.

Para o tiroteio final, o realizador usou um truque parecido para reflectir o brilho da pólvora a sair dos canos das armas.

O revolver de Marlowe é um Colt Model 1903 Pocket Hammerless .32.

Murder, My Sweet - Poster 12

O título inicial do filme era “Farewell, My Lovely” (seguindo assim o título do romance de Chandler). Mas muito do público julgou, pelo título, que seria um musical. O estúdio mudou o título para “Murder, My Sweet”. Tal compensou – as receitas na bilheteira subiram.

No Reino Unido, o filme recebeu o título de… “Farewell, My Lovely”.

Murder, My Sweet - Poster 7

Perante o sucesso do filme, o Presidente da RKO decidiu retirar Dick Powell de musicais e dar-lhe protagonismo em mais Film Noir e Actioners.

Murder, My Sweet - screenshot 31

É o último filme de Anne Shirley. A actriz retirou-se do movie business em 1944, com 26 anos.

Murder, My Sweet - lobbycard 4

Raymond Chandler defendia que Philip Marlowe deveria ser interpretado por Cary Grant.

Chandler elogiou bastante a interpretação de Dick Powell e considerou-o o melhor Philip Marlowe do Cinema.

Murder, My Sweet - lobbycard 3
O “Lux Radio Theater” emitiu uma versão radiofónica de 60 minutos, em Junho de 1945. Dick Powell e Claire Trevor retomaram os seus personagens.

 

O “Hollywood Startime” emitiu uma versão radiofónica, em 1948. Powell regressava a Marlowe, Mary Astor dava-lhe a réplica.

Murder, My Sweet - screenshot 47

O romance de Raymond Chandler teria outras versões:

  • “The Falcon Takes Over” (1942), de Irving Reis, com George Sanders. Mas em vez de Philip Marlowe, o protagonista é “The Falcon” – Sanders interpretou-o em vários filmes, e muitos mais se fizeram com este personagem.
  • “Farewell, My Lovely” (1975), de Dick Richards, com Robert Mitchum e Charlotte Rampling. Era uma nova versão cinematográfica do romance de Chandler, onde se procurou uma maior fidelidade narrativa ao romance, bem como um exercício cinéfilo nostálgico face ao Film Noir (é passado nos 40s, havendo cuidado na criação dos ambientes).

 

Está nos “1001 Movies You Must See Before You Die”, de Steven Schneider.

Murder, My Sweet - lobbycard 2

Sobre os actores que interpretaram Philip Marlowe:

https://www.signature-reads.com/2013/07/the-many-faces-raymond-chandlers-philip-marlowe-besides-humphrey-bogart/

Murder, My Sweet - lobbycard 1

Raymond Chandler tem muitos dos seus romances editados em Portugal.

Aconteceu na “Colecção Vampiro” dos Livros do Brasil. Em formato de bolso (na colecção generalista) e depois em formato gigante (na colecção dedicada). Estas edições são uma raridade e só em alfarrabistas é que se podem encontrar.

Recentemente foi feita uma tentativa (bem tímida) de voltar a haver Chandler no nosso mercado livreiro. A Contraponto editou dois romances (“The Big Sleep” e “Lady in the Lake”), a Presença editou um (“The Long Goodbye”). E nada mais há e nada mais se sabe sobre continuidade de edições.

Farewell, My Lovely - Book Cover 1

Sobre Raymond Chandler:

https://www.britannica.com/biography/Raymond-Chandler

https://www.biography.com/people/raymond-chandler-9244073

https://www.esquire.com/uk/culture/news/a6742/raymond-chandler-quotes/

https://www.brainpickings.org/2013/05/08/raymond-chandler-on-writing/

https://www.bookwitty.com/text/9-great-raymond-chandler-quotes-on-writing-and/59564ed950cef746d7105f5d

https://www.psychologytoday.com/us/blog/creating-in-flow/201312/12-surprising-facts-about-raymond-chandler

https://www.livrosdobrasil.pt/autor/raymond-chandler

http://www.detnovel.com/chandler.html

https://www.goodreads.com/author/show/1377.Raymond_Chandler

http://www.thrillingdetective.com/trivia/chandler.html

Murder, My Sweet - Poster 6

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s