Um Raio de Luz (1943)

Edge of Darkness - 1943 - Poster 1
Tíitulo original – Edge of Darkness

Título alternativo – Norway in Revolt

 

Errol Flynn de volta ao War Movie, sempre no combate aos nazis.

Mas agora com um poder dramático e emocional diferente do habitual.

 

Noruega.

Passaram dois anos depois da invasão nazi.

Um grupo resistente local move a derradeira acção contra o inimigo, procurando a libertação da povoação.

Edge of Darkness - 1943 - lobbycard 1

War Movie com variantes muito interessantes, vindo do seu período áureo, onde Hollywood dava o seu contributo para o esforço de guerra.

 

Em vez de assentar o seu lado heróico no indivíduo ou na equipa de elite, o filme retrata o quotidiano de uma comunidade face à invasão nazi e a resistência a ela.

Acompanhamos o seu dia-a-dia, a sua organização, os seus conflitos morais, o espírito de sacrifício e o heroísmo colectivo.

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 5

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 4

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 3

É tão forte o lado humano e emocional da narrativa como a capacidade de entretenimento (afinal, é uma história clássica de Good Guys v Bad Guys).

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 2

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 1

Boa prestação do elenco.

Errol Flynn e Ann Sheridan mostram cumplicidade (já tinham trabalhado juntos e voltariam a fazê-lo) e transpiram carisma. Mas não se procure aqui o tipo de acções heróicas (principalmente em Flynn – aqui num registo mais dramático do que aquilo a que nos habituou) que conhecemos de outros filmes.

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 8

Lewis Milestone dirige com competência, dando relevo tanto à intriga de resistência como à intimidade humana.

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 9

Mais War Drama do que War Actioner, “Edge of Darkness” acaba por ser um muito justo tributo à coragem, resistência e heroísmo da nação norueguesa.

É menos em linha com “Desperate Journey” (também com Flynn) e mais em sintonia com “Hangmen Also Die”.

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 7

Um clássico.

 

Muito recomendável.

 

“Edge of Darkness” não tem edição portuguesa. Existe noutros mercados (Espanha e Inglaterra), a bom preço. A edição USA é mais interessante, pois faz parte de um pack dedicado a Flynn (“TCM Spotlight: Errol Flynn Adventures Collection – Volume 2”), composto por outros grandes títulos de Flynn, dentro do género.

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 6

Edge of Darkness - 1943 - screenshot 10

Realizador: Lewis Milestone

Argumentista: Robert Rossen, a partir do romance de William Woods

Elenco: Errol Flynn, Ann Sheridan, Walter Huston, Nancy Coleman, Helmut Dantine, Judith Anderson, Ruth Gordon, John Beal

 

Mercado doméstico (USA) – 2.3 milhões de Dólares

 

Edge of Darkness - 1943 - lobbycard 2

 

Trailer

http://www.tcm.com/mediaroom/video/92011/Edge-of-Darkness-Original-Trailer-.html

 

Errol Flynn - War Pack Cover

Humphrey Bogart chegou a ser anunciado como protagonista, mas depois o actor decidiu sair de cena. Errol Flynn substituiu-o.

 

Filmado em Monterey, California.

As filmagens tiveram alguns atrasos (30 dias) devido a mau clima e ao facto de Flynn ter adoecido.

 

Flynn sempre procurou incorporar as fileiras americanas na guerra. Mas foi sempre rejeitado, devido a problemas de saúde (a nível cardíaco e pulmonar). Flynn procurou então dar o seu contributo ao esforço de guerra, protagonizando filmes de acção bélicos e patrióticos – “Dive Bomber” (1941), “Desperate Journey” (1942), “Edge of Darkness” (1943), “Northern Pursuit” (1943), “Uncertain Glory” (1944),  “Objective: Burma” (1945).

A Warner Bros. (estúdio com quem o actor tinha contrato) nunca revelou os seus problemas de saúde, com medo que tal prejudicasse as bilheteiras.

 

É um de vários filmes que Hollywood fez sobre a Resistência Norueguesa – “They Raid by Night” (1942), “Commandos Strike at Dawn” (1942), “First Comes Courage” (1943), “The Moon is Down” (1943), são alguns dos outros.

 

O filme foi banido na Argentina. O governo achou que a sua exibição poderia prejudicar a sua neutralidade política.

 

É o segundo de três filmes que Errol Flynn e Ann Sheridan fizeram juntos – “Dodge City” (1939) e “Silver River” (1948) são os outros.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s