O Mensageiro (1997)

The Postman - Poster 3

 

Título original – The Postman

 

Foi o grande bombo de festa nesse ano.

Filme, realizador e protagonista foram sitting ducks para muita gente da crítica e do público.

Dois anos depois do “encharcado” “Waterworld”, Kevin Costner volta à sci-fi apocalíptica, agora em ambientes mais secos e até mesmo patrióticos.

 

Futuro (mas era o ano, já passado, de 2013).

Uma guerra dizimou quase toda a civilização americana. O país não tem governo nem autoridades. Os sobreviventes organizam-se em pequenas comunidades. Outros juntam-se a um grupo que visa o controlo (autoritário) do país.

Um homem errante surge numa comunidade e é confundido como um carteiro.

Ao constatar a necessidade do país ter notícias de vários lugares e pessoas, o homem cria uma estrutura de comunicação que começa a unir a nação.

Mas tal incomoda os rebeldes.

Qual o poder da Palavra contra o das balas?

The Postman - screenshot 1

Para contrastar com “Waterworld”, este “The Postman” bem pode ser visto como o seu oposto – poderia chamar-se “Dryland”, “Dustworld”, …

The Postman - screenshot 2

Sci-Fi apocalíptica, com alguma alegoria política e social, que evoca o poder da palavra, da escrita e da comunicação, bem como da capacidade de liderança através da esperança (vinda ela da palavra).

The Postman - screenshot 3

Não tem o poder social e humanitário de “Dances With Wolves”, o poder ecológico de “Waterworld”, o poder caótico de “Mad Max” ou o poder alegórico de “Planet of the Apes”, mas apesar de não resultar inteiramente, “The Postman” consegue passar a ideia e cria um ambiente pós-apocalíptico de bom nível e capaz de fazer boa figura ao lado dos grandes títulos do género.

The Postman - screenshot 4

E, na sua modéstia, o filme recorda que a palavra e a comunicação são chave essencial para a união de uma nação (o protagonista leva textos teatrais e representa-os de terra em terra; o duelo entre protagonista e vilão à volta de citações de Shakespeare; o poder do Cinema – alguém critica “Universal Soldier” e pede “The Sound of Music”).

The Postman - screenshot 5

No meio da acção, espectáculo e louvor patriótico, o filme consegue alguma emoção (o protagonista a descobrir que é rico por ter descoberto vários maços de tabaco).

The Postman - screenshot 6

Aqui e ali surgem alguns momentos que arrastam e atrasam a narrativa.

O primeiro terço resulta como sci-fi apocalíptica. Mas depois (e isto não é um defeito), o filme caminha para a alegoria all-american e patriótica.

The Postman - screenshot 7

Muito boa fotografia, que capta bem a beleza e imensidão da paisagem.

Épica e emocional música de James Newton Howard.

The Postman - screenshot 8

Kevin Costner tem duas funções no filme – realizador e actor.

Como realizador sai-se muito bem, dando filiação clássica ao filme, com momentos de bom espectáculo e acção, conseguindo extrair emoção nos momentos íntimos, dando um visual épico ao filme.

Volta-se a ver o quanto Costner gosta de Westerns – “The Postman” pode ser visto como uma coboiada.

Como actor, tem momentos de canastrão (parece que se engasga com as palavras e com a atitude que a cena exige), noutras até consegue boa exposição dramática.

Boa prestação do restante elenco.

The Postman - screenshot 9

Parece-me que Costner não quis fazer de “The Postman” um sci-fi post-apocalyptic na onda de “Waterworld”, “Mad Max” ou “Escape from New York”.

Penso que Costner quis mais fazer uma alegoria (que faz mais sentido num mundo pós-apocalíptico, sem dúvida) sobre o poder da comunicação, a necessidade do sonho e a capacidade da utopia, como fontes de esperança e união, numa nação em anarquia.

Apesar deste e daquele aspecto que pode ser visto como algo infantil ou mesmo ingénuo, Costner consegue entregar a sua “carta”.

The Postman - screenshot 10

Um bom filme, que concilia espectáculo e mensagem, de uma forma muito bem conseguida.

 

Recomendável.

Até porque “The Postman” não é a mediocridade que muito se falou na época (devido às fracas bilheteiras e a alguns “prémios” ganhos).

 

“The Postman” tem edição portuguesa e anda a bom preço.

The Postman - screenshot 11

Realizador: Kevin Costner

Argumentistas: Eric Roth , Brian Helgeland, a partir do romance de David Brin

Elenco: Kevin Costner, Will Patton, Larenz Tate, Olivia Williams, James Russo, Daniel von Bargen, Tom Petty, Scott Bairstow, Giovanni Ribisi, Joe Santos, Rex Linn

 

Orçamento – 80 milhões de Dólares

Bilheteira – 17 milhões de Dólares (USA)

 

Trailer

 

Filme

 

The Postman - Poster 2

Esteve nomeado para “Melhor Filme de Ficção Científica”, nos Prémios Saturn 1998, mas perdeu para “Men in Black”. Costner tentou ser “Melhor Actor”, mas foi derrotado por Pierce Brosnan em “Tomorrow Never Dies”. Will Patton poderia ser “Melhor Actor Secundário”, mas Vincent D’Onofrio foi preferido, em “Men in Black”.

“Melhor Filme Internacional”, nos Golden Camera 1998.

“Pior Filme” (?????), “Pior Actor” (Kevin Costner?????), “Pior Realizador” (Kevin Costner?????), “Pior Argumento” (?????), “Pior Canção” (?????),  nos Razzie 1998.

“Pior Realizador Estrangeiro”, nos Yoga 1999.

Esteve nomeado para “Pior Filme da Década” (?????), nos Razzie 2000. “Showgirls” foi preferido (?????).

The Postman - Poster 4

Numa primeira fase, o filme ia ser realizado por Ron Howard, com Tom Hanks.

 

Tom Petty desejava há muito participar num filme de sci-fi, depois de ter feito o vídeo “You Got Lucky” (era uma canção pós-apocalípticas). Costner foi sensível a tal e chamou-o para uma cena onde interpreta um herói e líder.

Reencontro entre Costner e Will Patton, depois de “No Way Out” (1987).

James Newton Howard compôs a música para “The Postman” e para “Waterworld”.

 

Os filhos de Costner aparecem no filme.

Costner já tinha prática de andar a cavalo e executou todas as cenas onde tinha de cavalgar.

Na cena da ponte, todos os actores fizeram as stunts exigidas.

Filmado em Metaline Falls, Fidalgo Island, Oregon e no Sul do Arizona.

A zona de Metaline Falls, Washington (onde muita das filmagens se deu) não tinha condições para albergar tanta gente. Grande parte do cast & crew ficou acampada.

Tricia Henry Ashford, a visual effects supervisor, foi despedida por Costner, devido a fortes conflitos criativos. Tricia queria fazer os efeitos na post production, Costner queria-os in-camera e on-location.

A crew referia-se ao filme como “Dirt World”.

 

Numa cena, alguém refere que o Presidente é um certo Richard Starkey – é o nome verdadeiro de Ringo Starr.

Nessa cena, alguém cita uma canção dos Beatles – “Getting Better”.

Numa cena, projecta-se o filme “She Wore a Yellow Ribbon” (1949, de John Ford, com John Wayne e Joanne Dru).

O filme passa-se entre 2013 e 2043.

 

No livro, o Postman chama-se Gordon Krantz.

 

A série “The Simpsons” parodiou “The Postman” por duas vezes.

The Postman - Promo Photo 1

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s