Eerie, Indiana (1991-1992)

Eerie Indiana - Poster 1

 

Joe Dante é um dos grandes cineastas modernos.

(adorado “apenas” pelos seus nerds, aguarda a devida valorização como cineasta)

O seu percurso passou pelo patrocínio de Spielberg (“Gremlins”), mas Dante soube pegar no modelo do autor de “E.T.” e afirmar o seu próprio modelo (“Explorers”, “The Burbs”).

Eis uma série com o seu patrocínio, marca e estilo.

 

Eerie, Indiana.

Uma pequena povoação que parece ser o centro de tudo o que é estranho e bizarro.

Marshall e Simon, dois jovens amigos, decidem investigar tudo o que se passa na zona, que fuja ao normal.

E metem-se nas aventuras mais bizarras e divertidas das suas vidas.

Eerie Indiana - screenshot 14

Criadores: Jose Rivera, Karl Schaefer

Elenco: Omri Katz, Justin Shenkarow, Mary-Margaret Humes, Francis Guinan, Julie Condra

 

Intro

 

A História de “Eerie, Indiana”

 

 

Eerie Indiana - screenshot 4

Imagine-se um local onde se encontram os ambientes e ideias de “Twin Peaks”, “The Twilight Zone”, o modelo do cinema teen de Spielberg e o estilo cinematográfico de Dante.

É isto “Eerie, Indiana”.

Eerie Indiana - screenshot 9

Eerie Indiana - screenshot 10

Com o pé sempre assente na fantasia e no bizarro, a série acaba por ser uma weird ride ao típico suburb americano.

Tudo tratado com muita criatividades nas ideias de bizarro, sentido de fantasia, muito humor, ligeiro terror (em moldes infantis) e, claro (ou não fosse um produto Made by Joe Dante) muita cinefilia.

As peripécias inserem-se bem num tipo de fantasia de aventuras de carácter universal e intemporal, comum a qualquer criança e adolescente.

(quem, na sua infância, não quis descobrir algo misterioso e desconhecido na zona onde vivia, quem não teve ideias fantásticas à volta de algo e de alguém?)

A embrulhar tudo está um forte sentido de família (sempre unida e feliz) e uma amizade pura.

Eerie Indiana - screenshot 11

Excelente, divertida e descontraída prestação do elenco, com destaque para a química e naturalidade dos dois protagonistas.

Marshall e Simon merecem um lugar no coração do nerd.

Eerie Indiana - screenshot 13

Eerie Indiana - screenshot 6

É todo este espírito de inocência e fantasia, com que qualquer um se pode identificar, que torna a série tão simpática e querida.

As histórias são curtas, simples, criativas, conseguindo apelar tanto à criança como ao adulto.

Eerie Indiana - screenshot 7

Eerie Indiana - screenshot 5

O estilo Joe Dante surge permanentemente – cinefilia, subúrbios bizarros, peripécias simples, personagens que ganham o nosso carinho, encenação em jeito de Série B.

Eerie Indiana - screenshot 2

Eerie Indiana - screenshot 8

A fórmula de Spielberg, Dante e do cinema de fantasia adolescente 80s na sua perfeição.

(algo que, infelizmente, se perdeu totalmente a partir da década seguinte – e nem Spielberg conseguiu fazer algo igual)

Um feliz retrato do adolescente 80s.

E um perfeito antepassado da recente (e excelente) “Stranger Things” (que muito provavelmente foi buscar algumas ideias a “Eerie, Indiana”).

 

Obrigatório.

 

“Eerie, Indiana” já passou nos nossos televisores há muito, muito tempo. Não tem edição portuguesa, mas existe noutros mercados, a bom preço.

Eerie Indiana - screenshot 15

Joe Dante é o creative consultant. Dirigiu o primeiro episódio e mais alguns.

Muitas referências cinéfilas e literárias – “Heart on a Chain” faz referência a “The Fly” (o original de 1958) e a um conto de Edgar Allan Poe; “Mr. Chaney” evoca Lon Chaney Jr. e o filme “The Howling” (“por acaso” realizado por… Joe Dante); “America’s Scariest Home Video” brinca com a estrela do terror Boris Karloff; “No Brain, No Pain” brinca com a expressão “I’ll be back” (dita por Arnold Schwarzenegger em “The Terminator” e “Terminator 2”), nele surge uma personagem que alguém refere como sendo a “Mrs. Terminator“, há referência a “Big Trouble in Little China” (de John Carpenter); “Reality Takes a Holiday” traz evocação a “The Wizard of Oz”; “Foreverware'” traz evocação a “Sesame Street”.

 

A série ganhou estatuto de culto e em 1998 recebe um spin-off – “Eerie, Indiana: The Other Dimension”, produzida no Canadá.

 

Alex Hirsch inspirou-se em “Eerie Indiana” para a sua série “Gravity Falls”.

 

Em 1997 surgiram livros que continuavam os eventos da série. Mike Ford, Sherry Shahan, Jeremy Roberts, John Peel e Robert James eram os autores.

https://www.goodreads.com/shelf/show/eerie-indiana

http://www.thriftbooks.com/series/eerie-indiana/51382/

http://www.michaelthomasford.com/eerie-indiana.html

 

Anúncios

One comment on “Eerie, Indiana (1991-1992)

  1. […] Indiana” (já aqui vista) não foi um enorme sucesso na Televisão, mas gerou […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s