O Herói de Hacksaw Ridge (2016)

Hacksaw Ridge - Poster 1
Título original – Hacksaw Ridge

 

É o regresso de Mel Gibson. Mas como realizador.

(daqui a semanas chega um outro filme com o seu nome, mas como actor – “Blood Father”, já aqui visto)

Novamente a histórias verídicas.

Novamente a cenários de conflitos.

Novamente a personagens de vida épica perante os eventos e desafios que lhes são colocados.

 

Desmond T. Doss é objector de consciência.

Mas isso não o impede de se juntar ao exército, durante o conflito EUA-Japão.

Ridicularizado pelos seus superiores e camaradas, Doss vai-se revelar decisivo na brutal batalha de Hacksaw Ridge.

Hacksaw Ridge - screenshot 1

Retrato épico e heróico de um homem épico nas suas virtudes e heróico na sua motivação.

Fiel ao estilo do seu Cinema, Gibson traça a jornada de calvário (físico, familiar, social e psicológico) de um homem, única forma de atingir o seu apogeu existencial.

(nessa matéria, pode-se ver “Hacksaw Ridge” como o terceiro capítulo de uma eventual trilogia de Gibson a tal tema – depois de “The Passion of the Christ” e “Apocalypto”)

Mas é também um notável, duro e autêntico filme de guerra, que para além de mostrar o seu lado brutal, consegue ser também um “panfleto” pacifista e humanista.

Hacksaw Ridge - screenshot 2

Hacksaw Ridge - screenshot 3

O filme consegue também uma forte filiação clássica de Cinema, tanto na sua estrutura narrativa (temos a descoberta da motivação do protagonista, o seu treino e confrontação com o seu redor, a chegada ao cenário de guerra e a sua acção) como na sua encenação (em nada parece ser um filme de 2016).

Se “Hacksaw Ridge” fosse feito nos golden days de Hollywood, teríamos William Wellman, William Wyler ou Howard Hawks na realização, com o protagonismo de Joel McCrea, James Stewart, James Cagney ou Gary Cooper, onde a menina poderia ser Donna Reed, Gene Tierney, Virginia Mayo ou Teresa Wright.

Hacksaw Ridge - screenshot 6

Hacksaw Ridge - screenshot 4

Hacksaw Ridge - screenshot 7

Excelente fotografia (do grande Simon Duggan).

Magnífico trabalho a nível de pratical effects, efeitos de som (a forma como se ouve a batalha) e de make-up (o realismo dos ferimentos).

Bela e épica música (do talentoso e emergente Rupert Gregson-Williams).

Hacksaw Ridge - screenshot 8

Hacksaw Ridge - screenshot 9

Hacksaw Ridge - screenshot 10

Mel Gibson dirige de forma exemplar, sabendo tanto carregar no drama como no explodir da confrontação. Gibson filma as mais espectaculares, realistas, brutais e sangrentas cenas de guerra desde “Saving Private Ryan” e “John Rambo”, pondo o espectador como camarada de armas de Doss no campo de batalha (não se admirem se, por várias vezes, movimentarem-se na cadeira no sentido de se desviarem das balas e das explosões).

 

Muito boa prestação do elenco.

Andrew Garfield merece todo o destaque, ao compor uma figura notável, caracterizando magistralmente a sua dor, raiva, vontade, convicção e heroísmo. Um trabalho que lhe merecerá muitos prémios e nomeações, com toda a justiça. É a sua melhor interpretação, até agora.

Hacksaw Ridge - screenshot 14

Hacksaw Ridge - screenshot 13

Uma brilhante visão do que significa ser herói, num filme que surge com um adequado sentido de timing, onde tanta mediocridade e medíocres são alvos de glorificação mediática e social.

 

O melhor filme de Mel Gibson como realizador.

 

Uma obra-prima de Cinema.

 

Um clássico – na sua concepção e no seu futuro perante o Tempo e o Cinema.

 

O melhor filme de 2016.

 

Obrigatório.

 

“Hacksaw Ridge” já está nas nossas salas.

 

Hacksaw Ridge - screenshot 15

 

Realizador: Mel Gibson

Argumentistas: Andrew Knight, Robert Schenkkan

Elenco: Andrew Garfield, Sam Worthington, Teresa Palmer, Hugo Weaving, Luke Bracey, Vince Vaughn, Rachel Griffiths, Richard Roxburgh, Milo Gibson

 

Site – http://www.hacksawridge.movie/

 

Orçamento – 40 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 34 milhões de Dólares (USA)

 

Hacksaw Ridge - screenshot 5

“Melhor Realizador do Ano”, “Melhor Montagem do Ano”, “Melhor Caracterização do Ano”, nos Prémios Hollywood Film 2016.

Tem várias e importantes nomeações pelo Australian Film Institute 2017 – “Melhor Realizador”, “Melhor Actor” (Andrew Garfield), “Melhor Actriz” (Teresa Palmer), “Melhor Actor Secundário” (Hugo Weaving), “Melhor Actriz Secundária” (Rachel Griffiths), “Melhor Argumento”, “Melhor Fotografia”.

Hacksaw Ridge - screenshot 100

Desmond T. Doss salvou 75 pessoas.

Doss foi premiado com duas Medal of Honor. Doss só aceitou a primeira, tendo recusado a segunda.

Doss não foi o primeiro objector de consciência a ganhar a Medal of Honor – o Sargento Alvin York também recebeu uma; York foi alvo do filme “Sergeant York”, de Howard Hawks, com Gary Cooper (que recebeu um Oscar ara “Melhor Actor”); York chegou a usar armas de fogo.

Doss sempre se opôs a ver a sua vida contada no ecran. Perto do final da sua vida, mudou de opinião. Em 2004, Terry Benedict fez um documentário sobre Doss – “The Conscientious Objector”.

Ei-lo:

 

14 anos – o tempo que passou entre a ideia e a produção.

Randall Wallace ia ser o realizador inicial. Wallace escreveu para Gibson “Braveheart” e dirigiu-o em “We Were Soldiers”.

James Horner ia compor a música. Horner já tinha feito tal (e excelente) trabalho em “Braveheart” (1995; também realizado por Mel Gibson, pelo qual recebeu dois Oscars – “Melhor Filme” e “Melhor Realizador”), “Man Without a Face” (1993; o primeiro filme de Gibson como realizador) e “Apocalypto” (2006). Mas o súbito falecimento de Horner cancelou tal. Gibson recorreu a John Debney (“The Passion of the Christ”, de 2004, também realizado por Gibson). Mas o seu score foi rejeitado e Debney foi substituído por Rupert Gregson-Williams.

Milo Gibson é filho de Mel. É o seu primeiro filme.

É o primeiro filme de Gibson como realizador em 10 anos – o anterior foi “Apocalypto (2006).

 

Reencontro entre Teresa Palmer e Luke Bracey, depois de “Point Break” (2015).

 

Andrew Garfield visitou a terra natal de Doss e informou-se sobre tudo à volta dele.

Gibson procurou sempre usar practical effects. Por exemplo, as granadas eram pequenas caixas de cartão, cheias de pó, com uma pequena e inofensiva carga explosiva e um químico que produzia um flash. Tal permitia ter os actores e equipa técnica sempre próximos aos objectos.

Gibson sobre o filme:

 

“Hacksaw Ridge” recebeu uma ovação de pé, durante 10 minutos, no Festival de Veneza 2016.

Hacksaw Ridge - screenshot 12

Sobre a batalha de Hacksaw Ridge:

https://www.ibiblio.org/hyperwar/USA/USA-P-Okinawa/USA-P-Okinawa-11.html

http://bogbit.com/the-battle-of-okinawa-the-taking-of-hacksaw-ridge/

 

 

Desmond Doss

Sobre Desmond T. Doss:

http://www.badassoftheweek.com/index.cgi?id=528487830784

http://www.homeofheroes.com/profiles/profiles_doss2.html

http://www.nytimes.com/2006/03/25/us/desmond-t-doss-87-heroic-war-objector-dies.html?_r=0

http://www.cmohs.org/recipient-detail/2717/doss-desmond-t.php

 

 

Filme v Realidade

http://www.historyvshollywood.com/reelfaces/hacksaw-ridge/

 

Hacksaw Ridge - Poster 2

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s