22.11.63 (2016)

11.22.63 - Poster 1
Stephen King é sempre um favorito do audiovisual – seja cinematográfico (são muitos os filmes que já lhe adaptaram romances) ou televisivo (já há um bom número de mini-séries a partir dos seus livros).

Eis uma mini-série a partir de um dos seus mais recentes romances.

J.J. Abrams produz.

 

Um homem vê-se viajado até 1960.

A sua “missão” é impedir o assassinato do Presidente John Fitzgerald Kennedy.

Mas muitos serão os eventos e obstáculos a viver e enfrentar, que desafiam os paradoxos espácio-temporais.

11.22.63 - screenshot 1

11.22.63 - screenshot 3

 

Criadora: Bridget Carpenter, a partir do romance de Stephen King

Elenco: James Franco, Sarah Gadon, George MacKay, Chris Cooper, Cherry Jones, Daniel Webber, Lucy Fry, Jonny Coyne, Nick Searcy, T.R. Knight, Josh Duhamel

 

11.22.63 - Poster 2

 

Trailer

 

11.22.63 - screenshot 2

Pegando no tema clássico e sempre fascinante das viagens no tempo e dos seus paradoxos, bem como o sempre complexo e polémico “Caso JFK”, King e Abrams criam uma trama bem urdida, plena de surpresa e revezes, onde há lugar para intriga, mistério, suspense, conspiração, drama e até romance.

11.22.63 - screenshot 6

11/22/63

Algumas sub-intrigas prejudicam um pouco o ritmo da narrativa, desviando algum interesse da trama principal.

Como tal, há um par de episódios que ficam a mais.

11.22.63 - screenshot 7

Mas tal em nada impede a forma como a história cativa o espectador, deixando-o sempre em tensão perante os eventos.

11.22.63 - screenshot 9

11.22.63 - screenshot 10

James Franco (que fica muito bem vestido à 60s) sai-se muito bem como um homem preso a um destino fora do seu controlo, mas que ele procura controlar. Franco ilustra bem a ânsia do seu personagem em ser bem sucedido, o seu desespero perante os infortúnios e a sua capacidade (anti-)heróica.

Sarah Gadon (que menina tão linda!!!) dá grande ternura e delicadeza à sua personagem.

11.22.63 - screenshot 8

Bons valores de produção que se traduzem na beleza da fotografia, no cuidado guarda-roupa e na impecável cenografia, que nos fazem mesmo sentir nos 60s.

 

Boa banda sonora, preenchida com temas populares da época.

11.22.63 - screenshot 13

“11.22.63” é, afinal, apesar de tanta intriga e paradoxos espácio-temporais, a odisseia de um homem face ao seu tempo e ao seu destino.

Pelo meio, fica uma arrebatadora e clássica história de Amor, que desafia as leis do Tempo.

11.22.63 - screenshot 12

“11.22.63” é uma das melhores adaptações feitas a romances de Stephen King, um dos melhores títulos à volta das viagens no tempo, funciona muito bem como um suspense thriller e dá um novo twist ao “Caso JFK”.

E tem, nunca é demais dizê-lo, uma bela Love Story. Bem à moda antiga.

 

Uma das melhores propostas televisivas em muitos anos.

 

Obrigatório.

 

“11.22.63” terminou ao fim de 8 episódios.

11.22.63 - screenshot 11

Jonathan Demme (“The Silence of the Lambs”) ia escrever, produzir e realizar uma adaptação cinematográfica do livro de King. Mas entrou em conflitos criativos com o escritor e abandonou o projecto. Demme mostrou interesse em Agosto de 2011, algum tempo antes do livro ser editado.

James Franco leu o livro de King e adorou. Rapidamente contactou o escritor no sentido de obter os direitos de adaptação (para filme). Mas J.J. Abrams já se tinha antecipado. Franco chegou a escrever um ensaio sobre o livro e publicou-o. Tal foi suficiente para convencer Abrams e Bridget Carpenter a contratar Franco como protagonista.

11.22.63 - Backstage - J.J. Abrams, Stephen King, James Franco

Filmado em Ontario, Canadá. As cenas do atentado foram filmadas em Dallas, na Dealey Plaza (onde tudo aconteceu, na realidade, a 11.22.63).

Carol Spier é a production designer. Spier tem muito do seu curriculum ligado a David Cronenberg (que, “por acaso”, assinou uma das melhores adaptações cinematográficas de romances de King – “Dead Zone”).

 

Uma cena com o discurso de JFK usou o áudio original do Presidente. Devido à imensa cobertura televisiva e fotográfica do evento, a equipa de cenografia pode fazer uma recriação detalhada.

O carro da personagem de Sarah Gadon no primeiro episódio é um Plymouth Fury de 1958, vermelho. É o mesmo tipo de carro, bem como a cor, visto “Christine” (o livro de King seria adaptado em 1983 por John Carpenter).

 

22 de Novembro é uma data associada a outros títulos que envolvem viagens no tempo – “Back to the Future – Part II” (estreou nessa data, em 1989), “Star Trek: First Contact” (estreou nessa data, em 1996) e “Doctor Who” (estreou nessa data, em 1963).

11.22.63 - Book Cover

O romance de King (de 2011) está editado em Portugal.

 

Sobre Stephen King:

http://stephenking.com/

http://www.goodreads.com/author/show/3389.Stephen_King

http://www.biography.com/people/stephen-king-9365136

 

As adaptações cinematográficas da obra de King

http://io9.gizmodo.com/all-56-single-stephen-king-movies-and-tv-series-adaptat-1783887752

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s