Inquérito a Um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita (1970)

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - Poster 1
Título original – Indagine su un Cittadino al di Sopra di Ogni Sospetto

 

Os anos 70 foram excelentes para o Cinema Italiano.

Principalmente no campo do policial, onde o cinema aproveitava uma maré (infeliz) de eventos da realidade do país – o aumento da criminalidade, o poder crescente da Máfia, a corrupção da Polícia.

Eis um dos mais célebres títulos deste género e fase.

 

Um elemento superior do sector dos Homicídios decide matar a sua amante.

Deliberadamente, deixa pistas na crime scene. Pistas que o incriminarão.

As consequências serão surpreendentes.

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 21

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 6

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 3

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 2

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 5

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 14

De moldes clássicos na abordagem de um murder mystery (o crime, a investigação, os suspeitos), o filme funciona melhor como denúncia, visão e relato de uma certa decadência da sociedade (italiana e não só), simbolizada pela imoralidade criminal de alguém que deveria ser superior a tal – um inspector dos Homicídios.

Elio Petri procura assim fazer uma análise sobre a corrupção que o Poder causa num homem, um homem que usa tal para resolver a sua incapacidade social e sentimental, bem como a sua afirmação enquanto ser (supostamente) superior.

Petri também não se inibe de focar alguma da podridão de um sistema que procura mais proteger os seus e menos os que deveria.

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 18

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 7

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 17

É esse debate moral que o filme faz e obriga o espectador a fazer.

 

Final perturbante, aberto à reflexão de cada um.

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 22

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 4

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 12

Gian Maria Volontè está simplesmente soberbo, ao compor um homem que se julga superior perante a Lei (legal, moral) e o Homem.

Florinda Bolkan tem presença fascinante, ao criar uma personagem já falecida, mas sempre omnipresente.

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 9

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 8

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 16

Obrigatório.

 

“Indagine su un Cittadino al di Sopra di Ogni Sospetto” não tem edição portuguesa, mas pode ser encontrado no mercado italiano (com 2 discos e um livro).

 

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - screenshot 15

 

Realizador: Elio Petri

Argumentistas: Elio Petri, Ugo Pirro

Elenco: Gian Maria Volontè, Florinda Bolkan, Gianni Santuccio

 

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - Poster 17

 

Trailers

 

Gian Maria Volontè num grande momento

 

Filme

 

 

O Tema de Ennio Morricone

 

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - Soundtrack Cover 1

“Melhor Filme Estrangeiro”, nos Oscars 1971, pelos Críticos de Kansas City 1971, nos Prémios Laurel 1971.

Nomeado para “Melhor Argumento”, nos Oscars 1972. Perdeu para “The Hospital” (de Arthur Hiller, com George C. Scott e Diana Rigg).

Nomeado para “Melhor Filme Estrangeiro”, nos Globos de Ouro 1971. Perdeu para “Le Passager de la Pluie” (de René Clément, com Charles Bronson, Marlène Jobert e Jill Ireland).

Prémio “FIPRESCI”, “Grande Prémio do Júri”, em Cannes 1970. Tentou a “Palm d`Or”, mas foi derrotado por “MASH”(de Robert Altman, com Elliott Gould, Donald Sutherland)

“Melhor Filme”, “Melhor Actor” (Gian Maria Volontè), nos Prémios David di Donatello 1970, nos Globos de Ouro Itália 1970.

“Melhor Filme”, nos Prémios Edgar Allan Poe 1971.

“Melhor Actor” (Gian Maria Volontè), nos Golden Goblets 1970.

“Melhor Realizador”, “Melhor Actor” (Gian Maria Volontè), “Melhor Argumento”, pelos Jornalistas Italianos de Cinema 1971.

“Melhor Filme”, nos Prémios Jussi 1971.

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - Backstage 1 - Gian Maria Volontè & Florinda Bolkan

É o primeiro filme da “Trilogia da Neurose”. Os outros são “La Classe Operaia va in Paradiso” (1971, com Gian Maria Volontè e Mariangela Melato) e “La Proprietà non è più un Furto” (1973, com Ugo Tognazzi, Flavio Bucci e Daria Nicolodi). Todos são escritos e realizador por Elio Petri.

Durante os 80s, a Cannon procurou fazer um remake. Seria realizado por Sidney Lumet (um mestre do policial de denúncia) ou Andrei Konchalovsky. Al Pacino e Christopher Walken seriam os protagonistas. Paul Schrader seria o argumentista. Nada se concretizou.

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - Backstage 2 - Gian Maria Volontè & Florinda Bolkan

 

Está considerado como um dos “100 Filmes Italianos a Preservar”.

 

 

Indagine Su Un Cittadino Al Di Sopra Di Ogni Sospetto - Poster 6

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s