Money Monster (2016)

Money Monster - Poster 4
Jodie Foster é, para além de uma fabulosa actriz (e já desde tenrinha idade – alguém a esquece, aos 13 anos, como a doce Iris de “Taxi Driver”?), uma excelente realizadora (de curto, mas magnífico curriculum – “Little Man Tate”, “Home for the Holidays”, “The Beaver”, de 1991, 1995 e 2011, respectivamente).

Eis o seu novo filme atrás das câmaras.

À frente, Jodie dispõe de um óptimo elenco.

Um drama, em jeito de thriller de suspense, sobre um tema bem actual e perturbante – o poder manipulativo dos media e o estado do mundo financeiro.

 

Lee Gates é um popular apresentador televisivo. A sua realizadora Patty procura sempre apoiá-lo.

Tudo atinge um extremo quando Lee é atacado, em directo, por um investidor enraivecido, vítima dos conselhos financeiros de Lee.

(pois, isto poderia ser um evento televisivo português, à volta de BES, BANIF, BPN, etcs.)

Lee e Patty procuram acalmar o homem, procurando sobreviver. Mas Lee e Patty descobrem que têm ali matéria para uma investigação jornalística que pode fazer estragos no mundo financeiro.

Money Monster - screenshot 2

Sob a máscara de um suspense thriller clássico, no tema de reféns (não é difícil vermos uma filiação com o excelente “Dog Day Afternoon”, de 1975, de Sidney Lumet, com Al Pacino, John Cazale e Charles Durning), o filme consegue também (e com um certeiro sentido de timing) ser uma reflexão sobre o poder (ou a falta dele) dos media no meio da crise financeira, das dangerous liaisons entre canais televisivos e empresas do sector financeiro (ora aqui está um tema bem adequado a Portugal, actualmente), a manipulação da informação em tal área para o grande público, abordando também a forma como tudo isto afecta a sociedade.

Por outro lado, o filme funciona (muito) bem como uma sátira a algum do sensacionalismo (suposto de informação) televisivo actual.

 

Mas o filme nunce esquece o género a que pertence, e nessa vertente é bem trepidante, tenso e pleno de surpresas.

Money Monster - screenshot 4

Money Monster - screenshot 3

Money Monster - screenshot 7

Money Monster - screenshot 12

George Clooney tem aqui um dos mais bravos momentos da sua carreira, sabendo traduzir bem o medo em que vive o seu personagem, mas não se inibe da descontracção (os seus desconcertantes momentos de dança, no programa).

Julia Roberts está muito segura e determinada.

Jack O’Connell ilustra bem a raiva e desespero do seu personagem.

Caitriona Balfe (protagonista da popular e elogiada série “Outlander”) revela-se uma beleza, presença e talento a acompanhar.

Money Monster - screenshot 6

Money Monster

Jodie Foster dirige com garra, criando um excelente ritmo, de tensão constante, não dando descanso ao batimento cardíaco do espectador, levando-o a acreditar que tudo vai rebentar a qualquer momento. Um bravo momento de realização para uma actriz-realizadora que até agora só tinha investido no drama. Jodie é de tal modo talentosa, que até parece já uma veterana no campo do suspense e da action. Fica o desejo que Jodie invista mais vezes neste registo.

Money Monster - screenshot 8

Um dos grandes filmes de 2016.

 

Obrigatório.

 

“Money Monster” já está nas salas portuguesas.

 

Money Monster - screenshot 10

 

Realizadora: Jodie Foster

Argumentistas: Jamie Linden, Alan DiFiore, Jim Kouf

Elenco: George Clooney, Julia Roberts, Jack O’Connell, Dominic West, Caitriona Balfe, Giancarlo Esposito

 

Orçamento – 27 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 27 milhões de Dólares (USA); 36 (mundial)

 

Money Monster - Poster 2

 

Trailer

 

Jodie Foster sobre o filme

 

Money Monster

O argumento estava na blacklist de 2014.

No argumento está Jim Kouf, um nome popular dos 80s, no campo das comédias (“Class”, “Up the Creek”, “Stakeout”).

 

Quarto encontro entre Julia Roberts e George Clooney – “Ocean’s Eleven” (2001), “Confessions of a Dangerous Mind” (2002), “Ocean’s 12” (2004). Clooney produziu “August: Osage County” (2013), com protagonismo de Roberts.

Curiosamente, Jodie Foster chegou a ser considerada como protagonista de “Pretty Woman” (1990) e “Conspiracy Theory” (1997), dois filmes que foram protagonizados por Julia Roberts.

 

Várias cenas tiveram de ser filmadas duas vezes, com câmaras diferentes – câmara de Televisão e câmara de Cinema.


Money Monster - Poster 3

Anúncios

2 comments on “Money Monster (2016)

  1. HSLR diz:

    Por acaso foi um filme que me desiludiu um pouco. Achei demasiado previsível, e acho que não foi dos melhores papéis do George. Acho que podia ter sido bem melhor em termos de interpretação. Não fiquei completamente convencida… mas é a minha opinião 🙂

    • hussardo diz:

      Qualquer opinião é sempre bem-vinda.
      Do George (actor sempre limitado) gostei da descontracção (quando corre tudo bem) e da sua demonstração de medo.
      O final segue por áreas simples e de concessão de um filme popular, conseguindo que aconteça algo que muitos de nós desejamos que ocorra a um “todo-o-poderoso” da finança.
      Mas o filme é pertinente, actual. certeiro em muitas áreas e consegue ser um trepidante entretenimento.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s