O Mensageiro do Céu (1947)

The Bishop`s Wife - Poster 1
Título Original – The Bishop’s Wife

 

Um trio angelical, numa comédia celestial, só possível no Céu do Cinema.

 

O Bispo de uma comunidade procura avançar com o projecto de uma nova e grandiosa catedral. Mas muitos são os obstáculos.

Um Anjo surge-lhe, disposto a ajudar, conseguindo até reconstruir o ambiente familiar do Bispo.

Mas este começa a ganhar ciúmes pelo Anjo.

Tudo porque este conquistou o coração da comunidade e até da esposa do Bispo.

The Bishop`s Wife - screenshot 1

The Bishop`s Wife - screenshot 2

Fé e Religião, quando usadas em Cinema, costumam ser alvo de reflexões, análises e teses, com argumentos complexos e densos.

 

Não é o caso deste maravilhoso “The Bishop`s Wife”.

The Bishop`s Wife - screenshot 3

The Bishop`s Wife - screenshot 4

Abordam-se a fé e a religião, sim, mas de uma forma tão simples, delicada, simpática, fantasista e até divertida, que o espectador nem tem tempo para pensar na complexidade dos temas.

Através de uma comédia romântica, plena de humor e sentimento, o filme usa a vinda de um anjo até à Terra para lembrar os humanos/espectadores sobre o que é relevante na existência humana e nas inter-relações entre os terráqueos.

Claro que tudo isto é servido através do humor (os “milagres” executados pelo anjo, os seus efeitos naqueles com quem convive) e do romantismo (o anjo não consegue evitar o despertar de certos prazeres e emoções humanas).

The Bishop`s Wife - screenshot 5

The Bishop`s Wife - screenshot 7

Momentos de encantador arrebatamento (o coro das crianças, a dança no gelo), num filme que é um hino humanista e sentimental, quente, alegre, crente e esperançoso.

The Bishop`s Wife - screenshot 8

The Bishop`s Wife - screenshot 13

Excelente fotografia (do grande Greg Toland).

 

Henry Koster, um hábil artesão, dirige com ritmo, eficácia e competência, sabendo dar ao filme o tom que o argumento requer.

The Bishop`s Wife - screenshot 14

The Bishop`s Wife - screenshot 21

Cary Grant é um anjo de charme e elegância.

(vejam-no como conquista a esposa do Bispo, os seus efeitos sobre o Bispo, a forma como ajuda uma criança, a maneira de lidar com as coscuvilheiras, o jeito com que “derrete” as criadas e a secretária do Bispo)

Loretta Young é um anjo de felicidade, traduzindo magnificamente o seu desespero sentimental e matrimonial.

(vejam aquele sorriso sempre que está com Grant)

David Niven é um anjo como figura eclesiásticas e como marido, sempre empenhado na sua obra e circunspecto na sua fé.

(vejam a suas atitudes perante Grant, Young, a comunidade e a “patrocinadora”)

 

O excelente naipe de secundários acompanha-os de forma verdadeiramente celestial.

The Bishop`s Wife - screenshot 18

The Bishop`s Wife - screenshot 19

Um verdadeiro Milagre de Cinema.

 

Obra-prima do género.

 

Obrigatório.

The Bishop`s Wife - screenshot 20

The Bishop`s Wife - screenshot 22

 

“The Bishop`s Wife” não tem edição portuguesa, mas existe noutros países, a bom preço. Em Espanha, existe uma edição em Blu-Ray, com legendas em Português.

 

The Bishop`s Wife - screenshot 23

 

Realizador: Henry Koster

Argumentistas: Robert E. Sherwood, Leonardo Bercovici, Billy Wilder (sem crédito), Charles Brackett (sem crédito)

Elenco: Cary Grant, Loretta Young, David Niven, Monty Woolley, James Gleason, Gladys Cooper, Elsa Lanchester

 

Mercado doméstico – 3 milhões de Dólares (USA)

 

The Bishop`s Wife - Poster 6

Trailer

 

Temas de Hugo Friedhofer

(o autor da música)

The Bishop`s Wife - Poster 3

“Melhor Som”, nos Oscars 1948. Esteve nomeado para “Melhor Filme”, mas foi derrotado por “Gentleman’s Agreement”. Henry Koster concorreu a “Melhor Realizador”, mas Elia Kazan foi preferido por “Gentleman’s Agreement”.

The Bishop`s Wife - screenshot 11

Foi uma produção cheia de complicações, à volta da qual há muita, dispersa e oposta informação.

Vejamos:

  • Na fase inicial, David Niven era o Anjo, Dana Andrews era o Bispo, Teresa Wright era a sua esposa. Depois, devido aos atrasos de produção, Wright teve de sair devido ao avanço da sua gravidez.
  • William A. Seiter era o realizador inicial, mas o produtor Samuel Goldwyn não gostou do seu trabalho e mandou-o embora. Chamou Henry Koster para o substituir. Koster refilmou quase todo o filme.
  • Koster e Goldwyn concordaram em fazer mudanças no cast.
  • Koster chamou Cary Grant, que queria o personagem do Anjo. Assim sendo, Niven seria o Bispo.
  • Falou-se que Grant já estava no projecto desde a origem, mas como Bispo. Falou-se que Grant não gostou da ideia da mudança de personagem. Falou-se que Grant deu a ideia da troca de personagens.

(qualquer que seja a verdade, ainda bem, tanto para Grant como para o filme, que Grant ficou como Anjo – a sua interpretação é uma das mais elogiadas da sua carreira)

  • Andrews foi emprestado à RKO – era a “moeda de troca” por Loretta Young, que só assim a cederia.
  • Goldwyn também mandou alterar os sets.
  • Koster afirmou que só trabalhou com Robert Sherwood, no argumento. Não menciona o trabalho de Leonardo Bercovici.
  • Durante o processo de refilmagem, foram substituídas Marcia Anne Northrop, Dame May Whitty e Elsa Lanchester (esta por Edit Angold). Mas devido a ajustes e conflitos de agenda, Lanchester regressou e Angold saiu.
  • Quando se mostrou a primeira preview, o público não gostou. Billy Wilder e Charles Brackett foram chamados para reescrever algumas cenas. Ambos não receberam crédito no genérico.

 

Este processo de recomeçar filmagens obrigou a um gasto extra de 1 milhão de Dólares.

The Bishop`s Wife - screenshot 12

Apesar de se passar em Nova Iorque, foi filmado em Minneapolis, Minnesota.

Para uma determinada cena, Grant e Young tinha uma conversa face a face. Mas os actores achavam que lhes estavam a filmar o lado errado do rosto (de lado). Para se filmar o lado correcto, os actores não podia estar face a face. O realizador recorreu a uma estrutura em forma de janela. Quando o produtor Samuel Goldwyn viu os dailies, ficou chateado com o realizador – chegou-lhe mesmo a dizer que se ele (Koster) só dava meio rosto dos actores, só receberia meio salário. Resolvido este problema, nunca mais se falou no lado certo e errado dos rostos.

Grant é dobrado por Gail Laughton, quando o Anjo toca harpa. São as mãos de Laughton que se vêm nos close-ups.

Quando os seus personagens “dançam” no lago gelado, Grant e Young estão dobrados. Os seus duplos estão com máscaras que reproduzem os rostos dos actores.

The Bishop`s Wife - screenshot 16

The Bishop`s Wife - screenshot 17

A canção “Lost April” seria depois cantada por Nat ‘King’ Cole.

O “The Mitchell Boychoir” (também conhecidos como “The Robert Mitchell Boy Choir”) apareceram em 20 filmes, entre 1938 e 1958. Participaram também em três espectáculos televisivos, entre 1958 e 1969.

Sobre eles

http://www.mitchellchoirboys.com/home.html

http://www.boychoirs.org/library/movies/mitchell.html

O momento deles, no filme

The Bishop`s Wife - screenshot 10

Já era o 51º filme de Cary Grant.

Era o segundo filme de Niven à volta de Anjos. O anterior era o belíssimo “A Matter of Life and Death” (1946, da dupla Michael Powell & Emeric Pressburger).

James Gleeson interpreta um motorista de táxi. Também o fez em “Arsenic & Old Lace” (1944, de Frank Capra, com Priscilla Lane, Peter Lorre, Raymond Massey e… Cary Grant).

Por lá anda Robert J. Anderson (um rapaz que passeia no gelo, no parque) – Anderson tinha sido o jovem George Bailey em “It`s a Wonderful Life” (1946, de Frank Capra, com James Stewart e Donna Reed), outro bem-amado filme, por andam Anjos e com temática semelhante.

000007699.JPG

O filme seria mostrado na sessão do “Royal Command Film Performance” desse ano. A Princesa Margarida e a Rainha Isabel estiveram presentes e adoraram o filme. Alguma crítica torceu o nariz, mas o filme seria muito bem recebido pelo púbico.

O filme foi muito bem recebido pela crítica americana, mas não foi um grande sucesso nas bilheteiras. Muito do público julgava que o filme era de caracter religioso. Para alguns estados, o produtor alterou o título para “Cary and the Bishop’s Wife”. Para outros estados, os posters traziam a pergunta “Have you heard about CARY AND THE BISHOP’S WIFE?“. Acredita-se que ambas as medidas ajudaram bastante nos resultado$.

The Bishop`s Wife - screenshot 9

The Bishop`s Wife - screenshot 15

O “The Screen Guild Theater” emitiu uma versão radiofónica de 30 minutos, em Março de 1948. Cary Grant, Loretta Young e David Niven retomaram os seus personagens.

O “Lux Radio Theater” emitiu uma versão radiofónica de 60 minutos, em Dezembro de 1949. David Niven retomou o seu personagem. Tyrone Power acompanhava-o.

O “Lux Radio Theater” emitiu uma versão radiofónica de 60 minutos, em Maio de 1953. Cary Grant retomou o seu personagem. Phyllis Thaxter acompanhava-o.

O “Lux Radio Theater” emitiu uma versão radiofónica de 60 minutos, em Março de 1954. Cary Grant retomou o seu personagem. Phyllis Thaxter voltou a contracenar com Grant.

The Bishop`s Wife - screenshot 26

Robert Osborne, prestigiado Historiador de Cinema, fala sobre o filme

The Bishop`s Wife - screenshot 24

The Bishop`s Wife - Poster 4

 

Seria alvo de um remake (???) em 1996 – chamava-se “The Preacher’s Wife” e era protagonizado por Denzel Washington e Whitney Houston.

Eis um trailer para compararem:

 

The Bishop`s Wife - screenshot 25

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s