Morte Limpa (2014)

Good Kill - Poster 2

 

Título Original – Good Kill

 

O filme que marca o regresso de Andrew Niccol, um dos mais capazes realizadores e argumentistas da actualidade (“The Truman Show”, “Gattaca”, “Lord of War”, “The Host”).

 

Um antigo piloto de combate é agora um piloto de drones. Apesar da mudança de método, a sua missão é a mesma – combater o terrorismo. Mas ao fim de uns anos dedicado a tal, o homem começa a questionar métodos, trabalho, objectivos e resultados.

Good Kill - screenshot 2

Os avanços da tecnologia não se limitam ao Cinema.

O conceito de videogame já anda para além das consolas de jogos e de algumas franchises que atacam as salas na época dos blockbusters.

Encontramo-lo em casa, no trabalho e nos carros.

O mundo da guerra também já se rendeu a tal.

Uma forma de ver tal é o uso de drones no combate ao terrorismo.

“Good Kill” aborda isso.

Good Kill - screenshot 3

aqui mostrei o meu apreço por Andrew Niccol. Este seu novo filme só o reforça.

 

Estamos perante uma muito realista, humana e quase documental visão sobre a vida de um fighter pilot, aqui ao comando de drones.

Para além do retrato muito detalhado à volta dos pormenores técnicos e logísticos de tal actividade militar, o filme enfatiza (muito) bem o desgaste psicológico e o vazio existencial de um homem preso a um trabalho que o incomoda (é piloto de combate e pilota “brinquedos” como se fosse um videogame, no sossego de uma sala, nos USA) em detrimento daquilo que o vicia (estar nos céus, num avião, em combate e em risco).

 

O filme deixa também considerações ao espectador (o assistir impassível a uma violação, os ataques a civis baseados em estatísticas e em “crenças”), não se inibindo de algum “ridículo” (o líder do grupo a constatar que os futuros pilotos têm de ser pessoas com jeito como gamers).

Good Kill - screenshot 1

Excelente Ethan Hawke, a caracterizar muito bem os distúrbios do personagem.

O bom elenco que o acompanha porta-se igualmente bem.

O bom elenco que o acompanha porta-se igualmente bem. Destaque para o sempre excelente Bruce Greenwood, ilustre secundário sempre tão subestimado pela indústria.

 

Andrew Niccol dirige com competência, num ritmo lento que permite sentir a pressão psicológica sobre os personagens, criando aqui e ali a devida frieza associada o trabalho inerente ao protagonista.

Good Kill - screenshot 7

“Good Kill” transmite inteligência, sensibilidade, crítica e pertinência.

Um dos grandes filmes de 2015.

 

“Good Kill” teve estreia nas nossas salas há uns meses.

Espera-se agora a sua chegada ao mercado doméstico.

Good Kill - screenshot 5

Realizador: Andrew Niccol

Argumentista: Andrew Niccol

Elenco: Ethan Hawke, January Jones, Bruce Greenwood, Zoë Kravitz

 

Trailer

 

Good Kill - Poster 4

Esteve em Veneza 2014, a concurso, onde recebeu grandes elogios.

 

Reencontro entre Ethan Hawke e Niccol, depois de “Gattaca” e “Lord of War”.

Depois de “The Truman Show” (que apenas escreveu) e “Gattaca” (escrito e realizado – é o seu primeiro filme), Niccol regressa a temas onde confronta o individuo com a tecnologia.

 

Num determinado momento vê-se uma fortificação, localizada no Yemen. Na verdade, o local é um movie set, construído em Ouarzazate, Marrocos, para o filme “Kingdom of Heaven”. Por vontade do governo local, a construção ficou preservada pois é alvo de interesse turístico e local.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s