Exterminador Implacável 2: O Dia do Julgamento (1991)

Terminator 2 - Poster 1

Título Original – Terminator 2: Judgment Day

 

Perente o enorme sucesso (público e crítico) do primeiro filme, vem a sequela.

Aquela que é considerada como a melhor sequela de sempre.

E há (muitas e boas) razões para tal elogio.

 

Futuro. Cada vez mais, está perdida a guerra para as Maquinas. A Humanidade venceu e retomou o seu direito a existir.

Mas as Máquinas voltam a tentar uma acção exterminadora.

Presente. John Connor tem 10 anos, vive numa família que o adoptou e tem a sua mãe, Sarah, presa numa clínica mental. A sua vida poderia ser uma vida norma de adolescente. Até que…

Dois homens o perseguem, com ar bem ameaçador. Dois Terminators (de gerações diferentes), com missões opostas – um protege, outro quer exterminar.

Qual vencerá?

Terminator 2 - screenshot 1

Como (boa) sequela que se preze, há que trazer mais do mesmo e mais do que não se viu no original.

“T2” consegue isso.

Desenvolve os temas do filme original, desenvolve ideias que ficaram por esclarecer e outras que nem eram focadas, levando o filme para outros tons e níveis.

Se “The Terminator” era terror num título de sci-fi e acção, “Terminator 2” é pura acção em ambiente de sci-fi (o terror fica para o cenário que os heróis querem evitar – o holocausto nuclear).

E nesse campo, “T2” é A “capela sistina” do action cinema.

O mother lode de todas as sequelas.

Terminator 2 - screenshot 7

Terminator 2 - screenshot 25

No meio de tanta acção, terror nuclear e espectáculo visual, o pilar é uma história de amor, de amizade e educação humanista – entre um humano/criança (John) e uma máquina (o Terminator T-800).

Mas também há lugar para uma história de amor entre mãe e filho, com o coming of age de uma criança (“por acaso”, futuro salvador da Humanidade), a viver a aventura da sua vida. Numa história à volta de John, uma criança com ausência de pai, é certeira a criação de uma sensação de paternidade numa máquina, “por acaso” com a missão de proteger, “por acaso” de uma “espécie” que causou a morte do pai do petiz.

Lição máxima de humanidade – as máquinas podem entender emoções humanas e agir de forma compatível, mas o chorar e dor, bem como as suas motivações, são exclusivas dos humanos.

Terminator 2 - screenshot 11

Terminator 2 - screenshot 14

Ou seja, no meio do vendaval de acção, pirotecnia e (revolucionários) efeitos visuais, há toda uma história, complexa e emocional, que é também um manifesto anti-guerra.

Terminator 2 - screenshot 3

Mas “T2” é um James Cameron film. Como tal, quer-se vendaval de acção e espectáculo.

  • Temos incríveis cenas de acção (a dupla perseguição por L.A. – T-1000 a John, T-800 a ambos; o salto da mota para o helicóptero; a perseguição nocturna – com estonteantes imagens de helicóptero).
  • Grandes momentos de tensão (o assalto dos dois Terminators ao hospício; o encontro de Sarah com o T-800; o confronto e a fuga no hospício).
  • Incríveis efeitos visuais (as metamorfoses de T-1000).
  • Incriveis efeitos de caracterização (a degradação facial e corporal de T-800).

Terminator 2 - screenshot 10

Mas há lugar para emoções mais profundas.

  • Surpreendente humor (quando John ensina T-800 a sorrir e a ser cool).
  • Grande comoção (a despedida entre John e T-800 arranca lágrimas e é a mais comovente desde a de “E.T.”).

Terminator 2 - screenshot 2

Terminator 2 - screenshot 21

Mas Cameron não esquece o que bem fez no original e “repete-se”.

  • Tal como o primeiro filme, a chegada dos inimigos não esclarece quem é quem e quais as intenções.
  • Tal como no original, há uma disposição estratégica dos personagens em jogo até ao primeiro embate (atenção ao admirável uso da slow motion e da montagem).

Terminator 2 - screenshot 23

A direcção de actores é puro ouro.

Arnold Schwarzenegger está em épica forma, compondo um perfeito, heróico e granítico Terminator, mas apto a tornar-se humano.

Linda Hamilton surpreende pela atitude combativa e selvagem, tanto protectora na sua atitude maternal como agressiva enquanto sobrevivente, dando uma verdadeira lição de força aos dois Terminators.

Robert Patrick é temível e simpático.

Edward Furlong caracteriza muito bem um catraio rebelde, a viver a aventura da sua vida, mas também a aprender algo sobre si, a evoluir como pessoa e a fazer evolução noutros.

Terminator 2 - screenshot 26

Terminator 2 - screenshot 12

Terminator 2 - screenshot 24

Terminator 2 - screenshot 27

Criam-se vários momentos e imagens icónicas – Arnie na moto, Arnie com os óculos, Arnie e a shotgun, Arnie com a minigun; Linda a denfender-se (com os punhos ou com armas); Edward a chorar; Robert e o seu olhar.

 

Excelente trabalho a nível de fotografia.

Terminator 2 - screenshot 18

James Cameron dirige com o pé pesado no espectáculo e no “excesso”, mostrando o nunca antes visto em matéria de espectáculo, acção e efeitos (visuais, de som, pitotécnicos e de caracterização), querendo (e conseguindo) que “Terminator 2” fosse/seja/é A referência e a autêntica “palavra sagrada” do género.

TERMINATOR 2: JUDGMENT DAY, Arnold Schwarzenegger, Edward Furlong, 1991, ©TriStar Pictures/courtesy Everett Collection

Supremo exemplo do caso em que a sequela supera o original (que já era difícil de superar).

 

Obra-prima – do género e de Cinema.

 

Absolutamente obrigatório.

 

“Terminator 2” tem edição portuguesa (em DVD e Blu-Ray) e anda a diversos preços. Outros mercados têm diversas edições (nos dois formatos) a diversos preços. Recomendo as edições mais elaboradas, pois para além de magníficos extras (excelentes documentários sobre as filmagens e os efeitos visuais), trazem também um esclarecedor e apaixonado comentário de Cameron, bem como diversos cuts do filme.

Terminator 2 - screenshot 17

Realizador: James Cameron

Argumentistas: James Cameron, William Wisher Jr.

Elenco: Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton, Edward Furlong, Robert Patrick, Earl Boen, Joe Morton, Jenette Goldstein, Xander Berkeley

 

Orçamento – 102 milhões de Dólares

Bilheteira – 204 (USA); 519 (mundial)

Mercado doméstico – 112 (USA)

Terminator 2 - Poster 3

Trailers

 

A cena de abertura

 

O primeiro embate

 

O pesadelo nuclear

 

O momento com a minigun

 

A educação do T-800

 

Helicopter Jump

 

Perseguição

 

“Hasta la Vista, Baby”

 

Making of

Terminator 2 - screenshot 28

“Melhores Efeitos Visuais”, “Melhores Efeitos de Som”, “Melhor Som”, “Melhor Caracterização”, nos Oscars 1992.

“Melhores Efeitos Visuais”, “Melhor Som”, nos BAFTA 1992.

“Melhor Música”, nos Prémio ASCAP 1992.

“Melhor Filme de Ficção Científica”, “Melhor Realizador”, “Melhor Actriz”, “Melhor Jovem Actor”, “Melhores Efeitos Especiais”, nos Prémios Saturn 1992. Arnold Schwarzenegger tentou ser “Melhor Actor”, mas Anthony Hopkins levou a melhor por “The Silence of the Lambs”. Robert Patrick quis ser “Melhor Actor Secundário”, mas William Sadler em “Bill & Ted’s Bogus Journey” foi eleito. O filme tentou também o “Melhor Argumento” e “Melhor Caracterização (foi derrotado, nas duas categorias, por “The Silence of the Lambs”).

“Melhor Filme Dramático”, nos Prémios Hugo 1992.

“Melhor Filme”, “Melhor Actor”, “Melhor Actriz”, “Melhor Actor Estreante”, “Mulher mais Desejável”, “Melhor Cena de Acção””, nos Prémios MTV Movie 1992.

“Melhor Filme Estrangeiro”, no Concurso Mainichi 1992.

“Filme Favorito”, nos Prémios People’s Choice 1992.

“Prémio Bradbury”, pelos Escritores de Ficção Científica 1992.

Terminator 2 - screenshot 5

Schwarzie e Cameron queriam avançar para a sequela logo depois de terminado o primeiro filme. Mas Cameron só obteve direitos e financiamento em 1990.

Depois de “The Abyss” (1989), Cameron decidiu que “T2” seria o seu próximo filme. Mas os direitos estavam noutro estúdio. Durante as filmagens de “Total Recall” (tal como “T2”, também produzido pela Carolco), Schwarzie soube dos planos de Cameron e pediu aos patrões do estúdio (Mario Kassar e Andrew G. Vajna) para comprarem dos direitos da saga.

Terminator 2 - screenshot 4

É o primeiro filme de Edward Furlong.

Robert Patrick treinou de forma a correr em alta velocidade sem dar ar de cansaço.

Patrick também treinou no uso de armas.

Patrick movimenta a sua cabeça inspirado pelo movimento de águias.

Linda Hamilton teve de aprender a abrir fechaduras com clips.

Hamilton treinou com um antigo comando israelita, desde uso de armas até tácticas de luta.

Terminator 2 - screenshot 20

O vocalista dos WASP, Blackie Lawless, foi considerado para ser o T-1000, mas a sua altura impediu-o. Cameron queria um actor de estatura média, que se confundisse na multidão (era este o conceito do Terminator original, que ficou cancelado, mas que Cameron queria agora aplicar).

Billy Idol era a escolha inicial de Cameron para ser T-1000. Um acidente de moto impediu tal.

Charlie Krosmo estava pensado para ser John Connor, mas estava já ocupado com “What About Bob?”.

Michael Biehn chegou a ser pensado para T-1000. Tal criaria uma oposição (visual) face ao filme original. Mas Cameron rejeitou a ideia pois achava que iria confundir os espectadores.

Cameron ficou interessado em Patrick depois de o ter visto em “Die Hard 2”.

Hamilton recusou uma oferta para outro filme assim que lhe Cameron lhe contou a sinopse para “T2”.

O filho de Hamilton, Dalton (então com 20 meses), é visto numa cena (o sonho de Sarah) – é o pequeno John Connor a brincar no parque infantil.

Os gémeos Don & Dan Stanton interpretam um personagem e o seu “duplo” (pelo T-1000) – são o guarda do hospital.

Terminator 2 - screenshot 13

Filmado em 8 meses. “The Terminator” foi filmado em 6 semanas.

Segundo James Cameron, a cena no bar dos motards foi filmada na noite do espancamento a Rodney King e muito perto do local.

(Cameron usaria tal evento como inspiração para um argumento seu – “Strange Days”, também produzido por ele, mas realizado por Kathryn Bigelow)

Durante as filmagens dessa cena, uma mulher passou e viu Arnold Schwarzenegger em shorts. Convencida que seria uma strip night para mulheres, procurou chamar as atenções do actor.

Devido à fase etária de Furlong, eram audíveis mudanças na sua voz (que teve de ser corrigida num sound lab, durante a post-production, com o actor a voltar a gravar as sua lines). Ao longo das filmagens (não em continuidade), também são visíveis momentos que o actor está mais “envelhecido” ou “rejuvenescido” a nível de rosto. Cameron manteve o som original de Furlong na cena em que ele e o Terminator falam sobre a importância do chorar no ser humano – Cameron achou que a intensidade da cena não poderia ser repetida.

Hamilton tem uma irmã gémea (Leslie Hamilton), que foi útil numa cena em que duas Sarahs aparecem.

Numa cena, assiste-se a um incrível stunt de dois helicópteros – o que filma e o que é filmado. Dado o risco, ninguém da crew quis participar. As imagens foram captadas pelo próprio Cameron.

Uma cena entre Hamilton e outro actor exigiu vários retakes. A exigência física à actriz foi elevada (ela chegou a ser magoada), o que a levou à irritação. Numa outra cena, a actriz vingou-se sobre ele – a pancada que este recebe é mesmo real.

Devido à escalada orçamental, um dos executivos do estúdio pediu a Schwarzie que convencesse Cameron a fazer cortes de algumas cenas. O actor recusou.

11 câmaras captam a explosão do edifício da Cyberdyne.

Maryellen Aviano, dupla de Hamilton, pode ser vista na cena do centro comercial – é a mulher ao lado do turista que fotografa.

Terminator 2 - screenshot 15

Schwarzie estava com receio que o facto de Terminator não matar neste novo filme originasse uma excessiva suavização da saga (algo que já tinha acontecido em “Conan, The Destroyer” face a “Conan, The Barbarian” – ambos com Schwarzie).

Os efeitos visuais à volta do T-1000 obrigaram a Industrial Light and Magic a evoluir de 6 artistas de computer graphics para 36, a trabalhar durante 8 meses e a gastarem 5.5 milhões de Dólares.

Stan Winston e a sua equipa estudaram testes nucleares e os seus efeitos para que o momento do sonho de Sarah Connor fosse o mais realista possível. Peritos na área elogiaram a cena, pois acharam que era muito realista e credível.

Os Terminators vistos na cena inicial são animatronics.

Segundo Cameron, essa cena foi filmada a 300 frames por segundo.

As fotos do ataque de Terminator à esquadra (no primeiro filme) são fotos de uma cena filmada de propósito para este novo filme. Cameron criou um corredor semelhante à da esquadra do filme de 1984 e caracterizou Schwarzie tal como nesse ano.

Na cena final, era tanta a caracterização sobre Schwarzie, que ele só via de um olho.

No crachá de T-1000 vê-se um nome – Austin. Stephanie Austin é uma das produtoras do filme. Austin é o nome da filha de Patrick.

O duplo de Furlong era de maior estatura. Para criar a ilusão durante a cena da perseguição, usou-se uma motorizada que permitisse a mesma escala. Truques ópticos e de enquadramento criam a movie magic.

O centro comercial onde John, T-800 e T-1000 se encontram é o Sherman Oaks Galleria. Usado em muitos filmes, já tinha sido cenário de uma cena de um filme com Schwarzie (“Commando”).

A cena em que o T-800 “ressuscita” foi filmada à última da hora. Cameron achou que o público precisaria de uma explicação para a reaparição do personagem. Foi filmada no dia de Natal, tendo Schwarzie cancelado uma visita a Bruce Willis.

Quando T-800 pede para ser morto, os diálogos são da autoria de Schwarzie. Num primeiro test screening, os espectadores não perceberam porque Sarah tinha de o “exterminar”.

Os gritos do T-1000 são de Cameron.

Terminator 2 - screenshot 16

Três editores trabalharam no filme – Mark Goldblatt, Conrad Buff IV e Richard A. Harris (todos com curriclum na filmografia de Cameron), mas em diferentes segmentos do filme. Tudo para que o filme ficasse pronto a horas.

Terminator 2 - screenshot 6

Uma ideia foi rejeitada – mostrar e explicar a máquina que permite viajar no tempo. Mas Cameron rejeitou-a por ser complicada e nada adiantar à narrativa. A máquina do tempo vista em “Contact” tem muitas semelhanças com a que seria vista em “T2”.

Houve uma interessante cena planeada, mas não filmada:

  • No futuro, a Resistência entra num laboratório da Skynet e descobre a máquina do tempo. John dá conta que um T-800 desapareceu (o que foi enviado em “The Terminator”). Kyle Reese oferece-se como voluntário e percebe-se que Kyle sabe algo sobre John. John reprograma um T-800 (o que vai em “Terminator 2”).

Foram filmados dois finais – um é mais aberto e o outro é mais fechado. Theatrical cut e extended cut partilham o mesmo final. O final mais fechado foi recusado por Cameron por ser mais positivo, optimista e feliz, que o cineasta considerava como oposto ao tom dark que quis dar à saga. Algumas edições DVD e Blu-Ray têm este final nos extras.

Eis o final alternativo

 Terminator 2 - screenshot 22

Cameos:

  • William Wisher Jr. (o co-argumentista) – é o turista que fotografa o confronto entre os dois Terminators no centro comercial.
  • Joel Kramer (stunt coordinator) – o guarda na sala dos guardas, no hospício.
  • Van Ling (produtor do DVD e coordenador dos F/X) – o assistente de Miles Dyson, no laboratório.
  • A assistente de Schwarzie – uma das enfermeiras que vem observar Sarah.

 

As armas usadas pelo T-800:

  • Colt/Detonics 1911 9mm
  • Winchester 1887 Lever Action 10-Gauge
  • M79 ‘Blooper’ grenade Launcher
  • Hawk MM-1 37mm 12-shot gas grenade launcher
  • GE-134 Minigun 7.62x51mm

 

Sarah Connor usa as seguintes:

  • Detonics 1911 custom long slide 45ACP
  • CAR-15 Rifle
  • Remington 870 shotgun with folding stock 12-Gauge

 

 

29 de Agosto 1997 é o Dia do Julgamento. É também a data do primeiro teste nuclear da União Soviética, em 1949.

Terminator 2 - Backstage 1

O primeiro teaser-trailer foi feito por Winston, a pedido de Cameron. Com um orçamento de 150.000 Dólares, explica-se a linha de produção dos T-800 e porque estes têm o rosto de Schwarzie. Cameron temia as reacções do público ao saberem que o actor regressava à saga e ao personagem depois do seu destino no primeiro filme.

Ei-lo:

 

Cameron ficou de tal modo impressionado pelo trabalho de Hamilton que tudo fez para que ela recebesse uma nomeação para os Oscars (algo que Cameron tinha já conseguido para Sigourney Weaver em “Aliens” – onde ela foi a primeira actriz a ser nomeada por um filme de terror/sci-fi/acção).

Terminator 2 - Backstage 2

Cameron recebeu um salário de 5 milhões de Dólares.

Schwarzie recebeu um cachet no valor de 15 milhões de Dólares (um recorde para a época), mas foi através de um Gulfstream III. Com apenas 700 palavras a dizer, cada uma valia 21.429 Dólares.

Schwarzie chegou a afirmar que nunca mais seria um vilão. Mas em 1997 teve de corrigir tal afirmação – era o vilão de “Batman & Robin”, o Mr. Freeze.

 

Foi o primeiro filme a atingir um orçamento de 100 milhões de Dólares. Quando planeado em 1984, o orçamento era de… 12 milhões.

Foi o primeiro filme a superar os 300 milhões de Dólares, em receitas mundiais.

Foi o maior sucesso (nacional e mundial) de 1991.

É o maior sucesso da Tri-Star.

Foi a única sequela a vencer Oscars, onde o original nem sequer nomeações teve.

“T2” detia o recorde da melhor estreia em fim-de-semana para um filme classificado de R – 52 milhões de Dólares. Só seria ultrapassado em 2003, com “The Matriz Reloaded”.

Na época, era o terceiro maior sucesso de sempre, depois de “E.T.” e “Star Wars: Episode IV – A New Hope”.

Terminator 2 - screenshot 9

“T2” mereceu vários rankings por parte do American Film Institute:

  • #77 nos “100 Years…100 Thrills”.
  • Terminator ficou na posição 48 entre os “100 Maiores Heróis”.
  • Terminator estava na posição 22 entre os “100 Maiores Vilões”.
  • Hasta la vista, Baby” era a movie quote #76 das “100 Best Movie Quotes”.
  • Era o #8 dos “10 Maiores Filmes de Ficção Científica de Sempre”.
  • É considerado como um dos maiores action films de sempre, um dos maiores sci-fi films de sempre e uma das maiores sequelas de sempre.

 

A Total Film deu-lhe também vários rankings:

  • Está entre os “100 Maiores Filmes de Sempre”.
  • #8 nas “50 Sequelas Melhores que o Original”.

 

A Empire também lhe dá rankings:

  • #35 nos “500 Maiores Filmes de Sempre”.
  • A terceira melhor sequela de sempre.

 

O crítico Richard Roeper coloca-o como a terceira melhor sequela de sempre.

 

51 milhões de Dólares – o valor gasto em efeitos visuais.

O extended cut tem mais 17 minutos de metragem. Desenvolve-se mais a relação entre John e T-800, algumas acções extras dos dois Terminators, alguns diálogos adicionais entre Sarah e John, um sonho de Sarah.

 

“Terminator 2: Judgment Day”

Consequências na pop-culture:

  • Videogame “Terminator 2: Judgment Day”.
  • “T2 3-D: Battle Across Time” – uma curta-metragem para os parques da Universal; realizada por Cameron (em parceria com Winston e John Bruno – um dos seus principais VFX supervisor), custou 60 milhões de Dólares; Schwarzie e Furlong retomavam os seus personagens, numa missão onde T-800 e John vão ao futuro fazer um raid à Skynet. Dura 12 minutos (de pura, espectacular e imparável acção).
  • Ei-la:

Making of

https://www.youtube.com/watch?v=dCz8Sc-55K0

https://www.youtube.com/watch?v=0WwIFzeYyTY

https://www.youtube.com/watch?v=posM9iyGnUM

 

  • Um poster em 3-D à entrada dos estúdios da Universal.
  • Vários comics – da Marvel veio uma adaptação do filme, em três números; da Malibu Comics veio “Terminator 2 – Judgment Day: Cybernetic Dawn”, “Terminator 2 – Judgment Day: Nuclear Twilight”; da IDW Comics veio “T2: Infiltrator”, “T2: Rising Storm”; da S.M. Stirling veio “T2: Future War”; de Russell Blackford veio “The John Connor Chronicles”.

 

Referências

  • Robert Patrick faz cameos como T-1000 em “Wayne`s World” e “Last Action Hero”.
  • Sylvester Stallone surge como Terminator num poster de “Terminator 2”, em “Last Action Hero”.
  • Em “Hot Shots – Part Deux”, Saddam Hussein tem um destino semelhante ao de T-1000 em “T2”.
  • Na série “The Simpsons”, o filme é frequentemente referido.
  • A frase “Come with me if you want to live” é usada em “Casper” e em “The Lego Movie”.
  • Na série “The X-Files”, no episódio “Salvage”, Robert “T-1000” Patrick (a série estava numa fase em que o actor era um dos protagonistas) diz – “What’re you saying? Ray Pearce has become some kind of metal man? ‘Cause that only happens in the movies, Agent Scully!

 

Um esclarecimento sobre os eventos ao longo do tempo.

http://www.empireonline.com/features/terminator-timeline/

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s