A Casa de Chá do Luar de Agosto (1956)

A Casa de Chá do Luar de Agosto - Poster 1

Título Original – The Teahouse of the August Moon

 

Um ano antes de “Sayonara”, Marlon Brando ia ao Japão e tomava-lhe tanto o gosto, que até se “disfarça” de japonês.

Glenn Ford rende-se aos encantos dele e do “país do sol nascente”.

 

Acabou o conflito militar entre Japão e USA. É tempo de paz e de reconstruir o país da Toyota.

O Capitão Fisby é enviado para a povoação de Tobiki, em Okinawa, no sentido de educar os habitantes dentro de valores all-american e criar alguma actividade industrial.

Mas a população não quer abdicar dos seus valores ancestrais e consegue convencer Fisby a construir uma casa de chá.

Por vontade dele, tudo bem. Mas há que convencer os seus superiores a aprovarem e a fornecerem meios.

AFYK05 The Teahouse of the August Moon

Uma ternurenta comédia, de embate cultural, onde se brinca com os arquétipos das culturas vigentes (japonesa e americana), com o “colonialismo” (militar ou empresarial) americano e a forma como os USA desenvolvem os seus impérios (mesmo que no estrangeiro) impondo o seu american way of life.

Há crítica, sim. Mas o tom é de diversão e sentimento.

No meio da brincadeira, dá-se ênfase à amizade entre dois homens (o oficial americano que dirige a operação e o “indígena” que lhe serve de orientador e tradutor), bem como à descoberta cultural (o oficial a dar conta que aquela população não é compatível com as exigências “empresariais” americanas) e sentimental (a “menina” que é “dada” ao oficial).

Teahouse of the August Moon - screenshot 8

Um verdadeiro feelgood movie.

Mas também um tributo à comunhão entre povos.

 

E há sempre aquele look exótico oriental (vejam-se as danças).

Teahouse of the August Moon - screenshot 6

Marlon Brando parte a loiça toda como japonês, trapalhão, mas bem-intencionado e de bom coração.

(atenção aos seus “diálogos” com o público)

Glenn Ford dá a sua habitual, carismática e íntegra simpatia.

Ambos estão bem acompanhados pelo elenco das duas nacionalidades.

Teahouse of the August Moon - screenshot 7

Uma jóia de comédia.

 

“The Teahouse of the August Moon” não tem edição portuguesa, mas pode ser encontrado noutros mercados, e a bom preço.

Teahouse of the August Moon - screenshot 9

Realizador: Daniel Mann

Argumentista: John Patrick, a partir da sua peça e do livro de Vern J. Sneider

Elenco: Marlon Brando, Glenn Ford, Machiko Kyô, Eddie Albert, Paul Ford, Harry Morgan

 

Orçamento – 3.9 milhões de Dólares

Bilheteira – 8,9 milhões de Dólares

A Casa de Chá do Luar de Agosto - Poster 2

Trailer

Teahouse of the August Moon - screenshot 3

Teve várias (e importantes) nomeações para os Globos de Ouro 1957, mas perdeu todas. Em “Melhor Filme – Comédia/Musical” foi preferido “The King and I”. Para “Melhor Actriz – Comédia/Musical”, Deborah Kerr (por “The King and I”) foi preferida a Machiko Kyô. Marlon Brando e Glenn Ford bem tentaram ser “Melhor Actor – Comédia/Musical”, mas Cantinflas foi eleito (por “Around the World in 80 Days”). Eddie Albert quis ser “Melhor Actor Secundário”, mas Earl Holliman (por “The Rainmaker”) foi preferido.

Teahouse of the August Moon - screenshot 4

Marlon Brando era de tal modo convincente como japonês, que muito do público não o reconheceu. Como tal, ocorreram casos em que alguns espectadores foram pedir a devolução do dinheiro do bilhete, pois reclamavam não ter visto o actor.

Brando estudou a cultural local e a sua caracterização demorava duas horas.

Quando a produção começou, Louis Calhern estava já convocado e em filmagens (era o Coronel Purdy). Mas faleceu algum tempo depois e teve de ser substituído por Paul Ford.

Teahouse of the August Moon - lobbycard 1

Teahouse of the August Moon - lobbycard 2

A povoação que o filme refere não existe. Mas na zona Sul da ilha existe uma Teahouse of the August Moon, que se tornaria num popular restaurante onde também se podia assistir a espectáculos de dança

Teahouse of the August Moon - screenshot 5

A peça original tem o mesmo título, foi escrita por John Patrick e estreou em Outubro de 1953. Durou 1027 representações. Recebeu um Tony para “Melhor Peça” e um Pulitzer para “Melhor Drama”.

Nos anos 70, a peça foi adaptada como musical, com o título de “Lovely Ladies, Kind Gentlemen”.

Teahouse of the August Moon - Book Cover 1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s