Belinda, A Escrava do Silêncio (1948)

Belinda - A Escrava do Silêncio - Poster 1

 

Título Original – Johnny Belinda

 

Jane Wyman é uma grande Senhora do Melodrama.

Muito do seu curriculum foi sob a ordens do grande Douglas Sirk (o Mestre do melodrama tearjerker).

Eis um dos momentos máximos de Jane.

 

Robert Richardson é médico e chega à pequena povoação de Cape Breton.

A população é pobre, mal instruída e dedicada ao árduo trabalho da terra e do mar.

Um dia, conhece Belinda McDonald, uma jovem surda-muda, algo marginalizada (e até gozada) pela sua deficiência.

Robert procura ensinar Belinda a falar e surge um bom entendimento entre ambos, o que origina alguns boatos na zona.

Tudo se complica para Robert quando Belinda é violada, ficando grávida.

Ambos vão ter de lutar contra os preconceitos e boatos, bem como descobrir quem é o culpado.

Johnny Belinda - screenshot 3

Johnny Belinda - screenshot 4

Johnny Belinda - screenshot 6

Um filme de uma admirável força sentimental, humana e humanista, que reside no poder da comunicação (de palavras e sentimentos) entre duas pessoas que têm de descobrir e aprender uma nova forma de falar.

 

Jane Wyman está absolutamente esplêndida, ao compor uma personagem que só tem o corpo como forma de expressão.

Os restantes membros do óptimo elenco têm prestações ao mesmo nível.

Johnny Belinda - screenshot 1

Excelente fotografia (atenção ao momento da violação, bem como aos finais de dia).

 

Jean Negulesco, veterano e competente artesão, tem aqui um dos seus maiores trabalhos, dirigindo de forma emotiva e com grande poder de ilustração “muda”.

 

Um belíssimo filme.

 

“Johnny Belinda” não tem edição portuguesa, mas a edição espanhola tem legendas em Português. Essa edição anda à venda no nosso mercado, mas pode ser difícil encontrá-la. No mercado espanhol, ela está a óptimo preço.

Johnny Belinda - screenshot 8

Johnny Belinda - screenshot 9

Johnny Belinda - screenshot 10

Realizador: Jean Negulesco

Argumentistas: Irma von Cube (como Irmgard VonCube), Allen Vincent, a partir da peça de Elmer Harris

Elenco: Jane Wyman, Lew Ayres, Charles Bickford, Agnes Moorehead, Stephen McNally, Jan Sterling

 

Mercado doméstico – 4.1 milhões de Dólares (USA)

 

Trailer

Belinda - A Escrava do Silêncio - Poster 3

“Melhor Actriz” (Jane Wyman), nos Oscars 1949. “Johnny Belinda” também concorreu a “Melhor Filme” (“Hamlet” foi preferido), “Melhor Actor” (Lew Ayres foi vencido por Laurence Olivier em “Hamlet”), “Melhor Actor Secundário” (Charles Bickford foi vencido por Walter Huston em “The Treasure of Sierra Madre”), “Melhor Actriz Secundária (Agnes Moorehead foi vencida por Claire Trevor em “Key Largo”), “Melhor Realizador” (Jean Negulesco foi vencido por John Huston em “The Treasure of Sierra Madre”), “Melhor Argumento” (“The Treasure of Sierra Madre” foi preferido), “Melhor Fotografia – P&B” (“The Naked City” foi o eleito)

“Melhor Actriz – Drama” (Jane Wyman) e “Melhor Filme” (em conjunto com “The Treasure of Sierra Madre”), nos Globos de Ouro 1949.

“Top 10 do Ano”, pela National Board of Review 1948.

Jane Wyman foi a “Estrela Feminina Mais Popular”, nos Prémios Photoplay 1949.

Johnny Belinda - screenshot 7

Nesse ano, foi o filme com mais nomeações aos Oscars – 12.

Foi o segundo filme a receber as 6 nomeações principais (Filme, Realizador, Actor, Actriz, Actor Secundário, Actriz Secundária). “Mrs. Miniver” (1942) tinha sido o primeiro. Os outros ilustres foram “Sunset Boulevard” (1950), “A Streetcar Named Desire” (1951), “From Here to Eternity” (1953), “Who`s Afraid of Virginia Woolf?” (1966), “Bonnie & Clyde” (1967), “Guess Who`s Comig to Dinner” (1967), ”Network” (1976), “Coming Home” (1978), “Reds” (1981) “Silver Linings Playbook” (2012) e “American Hustle” (2013).

Johnny Belinda - screenshot 13

Jane Wyman foi a primeira pessoa no mundo dos actores, na era do som em Cinema, a ganhar um Oscar por uma interpretação onde não diz uma única palavra. Quando recebeu o prémio, Wyman disse “I won this award by keeping my mouth shut and I think I’ll do it again.”.

Johnny Belinda - screenshot 11

É considerado como o primeiro filme de Hollywood a abordar o tema da violação.

Stephen McNally interpretou o personagem do médico, na produção teatral da Broadway. No filme, interpreta um personagem radicalmente oposto.

Filmado na California, passa-se em Nova Scotia.

Johnny Belinda - screenshot 14

O filme seria alvo de três remakes, todos para televisão:

  • Em 1959, a televisão australiana exibe uma versão, mas live.
  • Em 1967, com Mia Farrow (Belinda), Ian Bannen (Robert) e David Carradine (o violador).
  • Em 1982, com Rosanna Arquette (Belinda) e Richard Thomas (Robert).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s