Confissão de um Comissário (1971)

Confissão de um Comissário - Poster 3

Título Original – Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica

 

Nem só de arrebatadores dramas e picantes comédias vive o Cinema Italiano.

O Policial é um dos grandes géneros.

Eis um.

Vindo de um mestre do género. Aliás, O Mestre.

 

Desesperado no combate ao crime que assola a cidade, um veterano comissário de polícia tenta uma derradeira acção. Na sua ajuda está um jovem procurador. Mas muitos são os pecados que cada um tem a confessar, na sua luta pela Lei & Ordem.

Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica - screenshot 1

Os 70s foram uma década muito complicada para a sociedade italiana, nos campos da corrupção (política e policial), acções do crime organizado e o combate da polícia a tais crimes.

O cinema local não ficou indiferente a tal, e soube explorar esse filão de excelente forma, criando títulos que visavam o entretenimento, a análise, a crítica e a “reportagem”.

E este é mesmo um dos grandes títulos deste género.

Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica - screenshot 2

Mais do que um policial de bons (polícias, magistrados) contra maus (mafiosos, criminosos de pequena ou grande índole), o filme é uma visão (bem crua e amarga) do estado das coisas na nação italiana da época face aos temas abordados.

A grande força narrativa do filme acaba por ser o duelo entre dois agentes da Lei e Justiça, nas suas visões (opostas), métodos (pouco ortodoxos), atitudes (à margem) e moralidades (dúbias), com o acrescento que nenhum deles está limpo perante o sistema que defende.

 

Franco Nero e Martin Balsam estão excelentes.

A estrela italiana compõe um homem crente e devoto, mas seguro nas regras e no sistema, convencido que tudo pode (e deve) ser feito a limpo.

O ilustre secundário americano é um homem devoto no combate ao crime, mas descrente no estado das coisas e do sistema, sabendo que a vitória só se consegue com sacrifícios de regras e moralidades, com a sujidade e brutalidade dos métodos do inimigo.

Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica - screenshot 7

Damiano Damiani será sempre o grande realizador deste género, e tem aqui um dos momentos altos da sua carreira.

 

O final deixa reflexões (diversas) ao espectador.

 

Um clássico absoluto do género.

É (ainda) uma referência.

 

Obrigatório.

 

“Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica” tem edição portuguesa e está a preço de se “confessar” ao cinéfilo.

Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica - screenshot 3

Realizador: Damiano Damiani

Argumentistas: Damiano Damiani, Fulvio Gicca Palli, Salvatore Laurani

Elenco: Franco Nero, Martin Balsam, Marilù Tolo

Confissão de um Comissário - Poster 7

Trailer –

 

Um “duelo” –

Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica - screenshot 6

“Melhor Actor” (Franco Nero), nos Globos de Ouro Itália 1971.

“Prémio Dourado”, no Festival de Moscovo 1971.

Confessione di un Commissario di Polizia al Procuratore della Repubblica - screenshot 5

Ben Gazzara foi chamada para interpretar o personagem do Comissário Bonavia, mas recusou.

Arturo Dominici dobra Martin Balsam. Dominici também participa no filme (é um advogado), mas é dobrado (por Pino Locchi).

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s