Kung Fu contra os 7 Vampiros de Ouro (1974)

Kung Fu contra os 7 Vampiros de Ouro - Poster 1

Título Original – The Legend of the 7 Golden Vampires

 

Nos 70s, a gloriosa Hammer já padecia de algumas dificuldades (financeiras e criativas).

Dracula tinha sido uma das grandes sagas do estúdio e inesquecível (bem como emblemática e perfeita) é a performance de “Sir” Christopher Lee como o “Príncipe das Trevas”.

Os 70s são também uma era alta para o Kung-Fu Cinema.

E porque não juntar os dois conceitos?

Idiota?

Nem por isso.

 

O Conde Dracula acorda no Oriente, despertado por um feiticeiro chinês, assentando numa pequena povoação chinesa, recebendo a ajuda de seis lendários vampiros. Mas o Professor Van Helsing, eterno inimigo de Dracula, anda lá perto a dar palestras. Acudindo ao pedido de ajuda da população, Helsing volta a travar um duelo com Dracula. Mas agora, para além de alho e crucifixos, o karaté vai dar uma ajuda.

The Legend of the 7 Golden Vampires - screenshot 2

Vampire Movie + Kung fu Movie?

E resulta?

Bom, se atendermos ao tom (permanentemente) campy do filme e ao facto que ele não se leva a sério, a verdade é que sim.

 

O filme acaba por ser mais um kung fu movie em tom de sword & sorcery, onde os vilões são vampiros.

The Legend of the 7 Golden Vampires - screenshot 5

Aqui e ali, há um certo sabor à Hammer (os sets, as cores garridas, a exposição do sangue, o erotismo carregado), mas é mais o tom das (gloriosas) produções dos (gloriosos) Shaw Brothers que domina.

 

Roy Ward Baker dirige com eficácia, bom ritmo e sentido de entretenimento, sabendo equilibrar o devido look moderno com o classicismo do estúdio, criando boas cenas de acção com boa coregrafia.

The Legend of the 7 Golden Vampires - screenshot 1

Peter Cushing está sempre à vontade como Van Helsing, embora aqui ele seja mais uma presença secundária para dar prestígio ao filme (a idade já não lhe permitia grandes acções heróicas). Mesmo assim, Cushing/Helsing ainda despacha alguns vampiros.

 

Bom entretenimento, devidamente modernizado, mas longe dos tempos gloriosos da Hammer. E, claro, sendo um filme sobre Dracula, sente-se a falta de Christopher Lee, apesar da sempre estimada presença de Peter Cushing (que maravilha para o cinéfilo mais nerd ver estes “monstros” em conjunto – a Hammer encarregou-se de concretizar isso por muitas vezes).

 

“The Legend of the 7 Golden Vampires” não tem edição portuguesa. Tem edições diversas pela Europa, algumas a bom preço. A recomendável (para quem tiver um leitor multi-region) é a edição especial USA, da sempre excelente Anchor Bay, plena de (óptimos) extras (entrevista com Cushing, making of, um cut alternativo).

The Legend of the 7 Golden Vampires - screenshot 3

Realizadores: Roy Ward Baker, Cheh Chang (sem crédito)

Argumentista: Don Houghton

Elenco: Peter Cushing, David Chiang, Julie Ege, Han Chen Wang, Robin Stewart, Szu Shih, John Forbes-Robertson

The Legend of the 7 Golden Vampires - screenshot 4

Trailer –

 

Filme –

The Legend of the 7 Golden Vampires - screenshot 6

“Sir” Christopher Lee (O Dracula) foi convidado para voltar a interpretar o personagem, mas Lee recusou depois de ler o argumento.

É o único filme da Hammer dedicado a Dracula, onde o personagem aparece, em que este não é interpretado por Lee.

É o único filme da Hammer dedicado a Dracula, cujo nome não aparece no título.

John Forbes-Robertson foi dobrado vocalmente por David de Keyser. Forbes-Robertson não ficou contente.

Forbes-Robertson já tinha sido considerado para interpretar Dracula em 1970, para “Scars of Dracula”. Tal aconteceu antes de Lee ser convidado.

É o primeiro de dois filmes da Hammer, filmados em Hong Kong em regime de back-to-back. O outro é “Shatter”, um action thriller de Michael Carreras e Monte Hellman, com Stuart Whitman, Lung Ti, Lily Li, Peter Cushing e Anton Diffring.

É a quinta e última vez que Peter Cushing interpreta Van Helsing.

Passa-se em 1804 (na Transilvania) e em 1904 (na China).

Produzido em parceria com o Shaw Brothers Studio. Os Irmãos Shaw são dos produtores mais relevantes dos 70s, no cinema asiático e no “cinema-karateca”, tendo ajudado muito na impulsão internacional do cinema feito em Hong Kong.

Nos USA, chegou a ter uma montagem muito alterada (cortou cerca de 20 minutos de filme) face à original, com o título “The Seven Brothers Meet Dracula” e “The Seven Brothers and Their One Sister Meet Dracula”.

Gordon Hessler era o primeiro realizador, mas teve de abandonar as filmagens logo no início. Roy Ward Baker já era um veterano da Hammer e foi convocado. Chang Cheh era um veterano realizador de Hong Kong, perito em filmes de acção. A realização foi feita a meias, com Cheh a tomar conta das cenas de acção karatecas, mas só Baker ficou com o crédito da função.

Kung Fu contra os 7 Vampiros de Ouro - Poster 5

Sobre a Hammer – http://www.hammerfilms.com/

 

Sobre os Shaw Brothers

http://www.hkcinema.co.uk/Articles/shawbronews.html

http://rateyourmusic.com/list/gigiriva/complete_list_of_shaw_brothers_martial_arts_movies/

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s