Kingsman: Serviços Secretos (2014)

Kingsman - The Secret Service - Poster 7

 

Título Original – Kingsman: The Secret Service

 

Regresso do sempre excelente Matthew Vaughn, agora longe de super-heróis (“X-Men: First Class”), ainda fiel à bd (“Kick-Ass”), a estrear-se no mundo dos Serviços Secretos (por pouco que Vaughn realizava “007 – Casino Royale”).

 

Harry Hart é um espião veterano de uma misteriosa rede de serviços secretos, de nome “Kingsman”.

Harry torna-se o padrinho de Gary ‘Eggsy’ Unwin, jovem rebelde, filho de um antigo camarada de Harry, com quem ele tem uma dívida.

Paralelamente ao treino do seu recruta, Harry tem de enfrentar um megalómano vilão que pretende mudar o mundo.

A solução passa por uma combinação de métodos old & new school.

Kingsman - The Secret Service - screenshot 1

Kingsman - The Secret Service - screenshot 5

Quando vi o belíssimo “Stardust”, fiquei com muito boa impressão de Matthew Vaughn. Pelo ritmo, gosto e criatividade visual, qualidade da escrita e boa direcção de actores.

Tudo se confirmou quando vi “Layer Cake” – o primeiro filme de Vaughn, que tinha despertado o interesse dos produtores de 007, na escolha de Vaughn para realizador e de Daniel Craig para James Bond. Como se sabe, Vaughn teve conflitos criativos com os produtores (ao ver-se o novo rumo da saga 007 e este “Kingsman”, percebe-se porquê), mas conseguiu manter Craig como escolha válida para o super-espião de Ian Fleming.

Vaughn também iria dar um salto à saga “X-Men” (ia realizar “X-Men: Last Stand”), mas ficou de fora (por conflitos criativos). Chegaria (finalmente) à saga dos mutantes com o fantástico “X-Men: First Class” (ainda A referência em matéria de superhero groupie movie), onde Vaughn fazia, aqui e ali, uma brincadeira/homenagem à saga 007.

Kingsman - The Secret Service - screenshot 10

Kingsman - The Secret Service - screenshot 8

“Kingsman” marca, finalmente, a entrada de Vaughn no campo das spy movies.

E que entrada.

Kingsman - The Secret Service - screenshot 4

Estamos perante um muito divertido, colorido, elegante, vistoso, sofisticado, dinâmico, entretido, humano e espectacular spy movie, bem à moda antiga.

Vaughn “desfila” todo o seu amor pelo género, pela saga 007 (nomeadamente os clássicos dos 60s), pelos seus rip-offs e por séries e sagas populares dos 60s.

  • Estão lá os cenários de luxo (quase saídos da sci-fi) que marcaram muitos títulos da saga 007.
  • Está o vilão megalómano (como tantos que enfrentaram 007).
  • Está lá a letal assistente do vilão, verdadeira hit-woman (com argumentos que lembram a Rosa Klebb de “From Russia With Love”,o Oddjob de “Goldfinger” e o Jaws de “The Spy Who Loved Me”).
  • Está lá a “parada” de gadgets (cada um mais divertido e criativo que o outro), bem à maneira de 007.
  • Está lá o “desfile” de marcas e roupa.
  • Está lá a parceria de veterano e novato (como na série “The Man from U.N.C.L.E.”).
  • Está a lá o heroísmo elegante e cavalheiresco (como na série “The Avengers”).
  • Os heróis usam óculos (como Harry Palmer na sua saga)

Kingsman - The Secret Service - screenshot 6

Argumento bem urdido, onde tanto se valoriza a acção e intriga como os personagens, nas suas motivações, dramas, relações e emoções.

Vaughn faz um impecável trabalho na forma como equilibra os gostos das novas gerações com os das mais antigas. “Kingsman” foca esse duelo no argumento e resulta num filme capaz de agradar a todas as gerações.

(afinal, o problema do cinema de hoje não é ser o de ser para putos ou com adolescentes; é como se faz o produto e a forma como se pode agradar às diversas massas; “Kingsman” é uma excelente lição de como fazer tal)

Kingsman - The Secret Service - screenshot 7

Como é habitual em Vaughn, excelente ritmo e criativas soluções visuais (vejam-se as estonteantes cenas de acção, entre o estilo clássico, a bd e o vídeo-game, com frequente recurso ao plano-sequência).

 

Excelente trabalho de fotografia, cenografia, guarda-roupa e efeitos especiais (de som e imagem).

Banda sonora bem evocativa aos glory days de James Bond, com um divertido uso de temas clássicos dos 80s (vejam-se as acções que são ilustradas por “Money For Nothing” dos Dire Straits e “Slave to Love” de Bryan Ferry).

Kingsman - The Secret Service - screenshot 3

Kingsman - The Secret Service - screenshot 11

O jovem Taron Egerton é uma promissora revelação.

Michael Caine brinca com o seu passado ligado ao género (lembram-se dos títulos em que interpretou o cínico, táctico e intelectual espião Harry Palmer, o espião com óculos?).

Colin Firth é mesmo a grande surpresa do filme, revelando-se um tremendo e elegante action hero. Venham mais coisas assim com o “Kingsman” Colin.

Kingsman - The Secret Service - screenshot 9

Uma promissora nova saga, que muito tem para dar.

 

Um óptimo antídoto para aqueles que estão algo cansados da seriedade que tem marcado as sagas modernas de agentes secretos (James Bond, Jason Bourne, Jack Bauer).

 

Imperdível.

 

“Kingsman: The Secret Service” está nas salas portuguesas.

Kingsman - The Secret Service - screenshot 2

Kingsman - The Secret Service - screenshot 12

Realizador: Matthew Vaughn

Argumentistas: Jane Goldman, Matthew Vaughn, a partir da BD de Mark Millar e Dave Gibbons (“The Secret Service”)

Elenco: Colin Firth, Taron Egerton, Mark Strong, Sophie Cookson, Sofia Boutella, Samuel L. Jackson, Michael Caine, Jack Davenport, Samantha Womack, Mark Hamill

 

Site – http://www.kingsmanmovie.com/

 

Orçamento – 81 milhões de Dólares

Bilheteira – 128 milhões de Dólares (USA); 414 (mundial)

 

Kingsman - The Secret Service - Poster 6

“Melhor Filme Britânico”, “Melhor Estreante Masculino” (Taron Egerton), nos Prémios Empire 2015.

“Filme Mais Subestimado do Ano”, “Melhor Cena de Acção”, nos Golden Schmoes 2015.

“Melhor Adaptação Cinematográfica de Um Comic”, nos Prémios IGN Summer Movie 2015.

Kingsman - The Secret Service - Poster 4

Baseado no comic de Mark Millar e Dave Gibbons. Matthew Vaughn já tinha adaptado outro comic de Millar – “Kick-Ass”.

 

O comic

http://www.comicbookresources.com/?page=article&id=50173

 

Sobre Mark Millar

http://www.millarworld.tv/

 

Sobre Dave Gibbons

http://www.comicbookdb.com/creator.php?ID=54

 

Kingsman - The Secret Service - Poster 1

Vaughn reencontra a sua habitual colaboradora de argumento, Jane Goldman (“Kick-Ass”, “Stardust”).

Este é o filme que Vaughn preferiu face a “X-Men: Days of Future Past” (sequela do seu “X-Men: First Class”).

Vaughn faz do filme uma love letter aos filmes da saga James Bond, da qual é grande fã (esteve quase a realizar “Casino Royale”). Mas é também uma homenagem a “The Ipcress File”, à saga “Flint” e às séries “The Avengers”, “The Prisoner” e “The Man from U.N.C.L.E.”.

Matthew Vaughn quer que “Kingsman” seja para ele o que “Raiders of the Lost Ark” foi para Spielberg – uma reinterpretação, feita para os novos tempos e novas gerações, do tipo de filmes que o realizador adorava na sua juventude.

 

Emma Watson e Bella Heathcote foram consideradas, mas Sophie Cookson foi preferida.

Leonardo DiCaprio, Tom Cruise e Idris Elba foram considerados como vilão. Samuel L. Jackson foi preferido.

Aaron Taylor-Johnson ia ser o protagonista, mas recusou. Taron Egerton foi escolhido.

Kingsman - The Secret Service - backstage

Matthew Vaughn pediu a Colin Firth para se inspirar em David Niven quando fez de James Bond em “Casino Royale” (1967).

Colin Firth treinou durante seis meses. O seu empenho foi tal, que o actor fez 80% do stunt work requerido.

Taron Egerton e Sofia Boutella foram sujeitos a um rigoroso treino, durante meses.

 

A cena de acção na igreja ocupou 7 dias de filmagens.

 

Pretende-se como o início de uma nova saga.

Sabe-se que durante a Primeira e Segunda Guerra Mundial, os Serviços Secretos Britânicos usavam loja de alfaiates como fachada para alguns gabinetes de actividades.

Kingsman - The Secret Service - Poster 2

Os fatos foram especialmente criados para o filme, vindos do prestigiado atelier Savile Row.

À moda maneira dos filmes 007, o filme é um desfile de marcas – Savile Row para fatos, Mackintosh para casacos, Drakes para gravatas, George Cleverley para sapatos, Turnbull & Asser para camisas, Bremont para relógios, Cutler & Gross para óculos, Swaine Adeney Brigg para artigos em pele, Thomas Briggs & Sons para guarda-chuva, Phillips para calças e blusões.

A música evoca a sonoridade de John Barry para a saga 007.

 

Três dos actores já têm experiência em spy movies – Colin Firth e Mark Strong participaram em “Tinker Tailor Soldier Spy” (2011); Michael Caine ganhou fama por ser Harry Palmer (vindo dos livros de Len Deighton) nos filmes “The Ipcress File” (1965), “My Funeral in Berli” (1966), “The Million Dollar Brain” (1967), “Bullet to Beijing” (1995) e “Midnight in Saint Petersburg” (1996).

 

No mesmo ano, “Kingsman: The Secret Service” enfrentou outros filmes que lidam com os serviços secretos – “Spy” (2015), “Spectre” (2015); “Sicario”, “Mortdecai” (2015) , “Mission Impossible: Rogue Nation”, “Bridge of Spies”, “The Man from U.N.C.L.E.”, “Spooks: The Greater Good”, “The November Man”, “Jack Ryan: Shadow Agent” e “The Imitation Game”.

Kingsman - The Golden Circle - Poster 1

O filme vai ter sequela. No Verão de 2017 chega “Kingsman: The Golden Circle”. Novamente realizado por Vaughn (é a sua primeira sequela), conta novamente com Taron Eggerton, Mark Strong e Sophie Cookson. Os novos elementos são Channing Tatum, Julianne Moore, Jeff Bridges e Halle Berry. Elton John fará uma aparição. A grande surpresa é o regresso de Colin Firth.

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s