Ascensão de Júpiter (2015)

A Ascensão de Júpiter - Poster 6

Título Original – Jupiter Ascending

 

É o regresso dos talentosos manos Wachowski, naquele que marca o seu regresso à sci-fi.

Poderia ser um dos eventos cinematográficos de 2015.

Contudo…

 

Jupiter Jones é uma rapariga presa a uma existência banal. Até que um dia se vê alvo de muitas pessoas. O seu protector esclarece-a – Jupiter é a mais recente “reencarnação” de uma linhagem real que visa o reger equilibrado e pacífico do Universo.

Mas há facções que não pretendem tal e querem Jupiter fora de cena.

Assim se inicia uma batalha decisiva pelo futuro do Universo.

Jupiter Ascending - screesnshot 1

Dos Wachowskis estamos habituados a receber projectos de grande complexidade (narrativa, técnica e visual) como “The Matrix” e “Cloud Atlas”.

Ei-los de volta, agora num registo mais fácil e popular (algo que já tinham feito com o esplendoroso e espectacular “Speed Racer”, uma das mais fascinantes fantasias e injustos flops do cinema recente).

Como habitualmente no cinema dos manos, há sempre lugar para ideias complexas (a ligação entre a reencarnação e a genética, o tempo como bem precioso, a Terra e outros planetas como “pomares” da fonte da juventude eterna, o Cosmos regido por uma linhagem real, vários planetas com vida humana).

Mas devido à mudança de dimensão do argumento (inicialmente era de 600 páginas, convertendo-se numa plot para duas horas de metragem), muita coisa fica (natural e infelizmente) condensada.

Ficam as ideias, embora nem sempre bem alinhadas (há personagens relevantes que entram e saem sem explicação, era necessário um prólogo detalhado sobre a existência e ligação de todos aqueles mundos, a relação de Jupiter com a família, o conflito dos três irmãos que querem reinar o Universo, a cumplicidade entre os protectores de Jupiter).

Felizmente (embora saiba a “pouco”) fica o deslumbre visual, mostrando todo o perfeccionismo dos Wachowski na criação (e preenchimento) dos planos (alguns chegam a ser pinturas), no uso do som e dos efeitos, no recurso à música como um narrador extra.

Como seria de esperar, perfeição total no campo dos efeitos visuais.

Jupiter Ascending - screesnshot 8

Continhas feitas, fica um enorme espectáculo visual, por vezes campy, em plena sintonia com a space opera clássica, regido por um argumento (demasiado) comprimido e longe do potencial que tinha (e deveria ter).

Jupiter Ascending - screesnshot 5

O elenco é vistoso, mas oferece serviços mínimos. Quem acaba por ascender é mesmo Mila Kunis, que cativa (sempre) com a sua simpatia, naturalidade e (invulgar) beleza, embora deixe a sensação (por culpa do argumento) que é apenas uma presença decorativa e uma (permanente) lady in distress.

Jupiter Ascending - screesnshot 6

Face à concorrência, “Jupiter Ascending” destaca-se pela qualidade (e perfeccionismo) visual e pelas ideias (ainda que desenvolvidas de forma muito superficial), pelo que até é uma ascensão face à média do que nos chega às salas neste género.

Face ao que os manos nos habituaram, o filme acaba por ser uma (pequena grande) decepção.

Mas vale pelo entretimento e pelo consolo visual.

Jupiter Ascending - screesnshot 9

Azares criativos acontecem aos melhores. Por isso, e ao contrário do que tenho lido e ouvido, não é caso para se deixar de acreditar nos Wachowskis (embora o enorme flop que o filme vai ser – e já é o terceiro consecutivo dos manos, depois de “Speed Racer” e “Cloud Atlas” – possa pôr em perigo a sua carreira no campo dos grandes estúdios e orçamentos – já se sabe o quando Hollywood é vingativa a quem a faz perder dinheiro). A sua ascensão irá regressar, de certeza. E até pode ser já no final deste ano e na televisão – a promissora série (de promissora narrativa) “Sense8” está a caminho; ao lado dos manos está o grande J. Michael Straczynski (“Babylon 5”).

Jupiter Ascending - screesnshot 12

Realizadores: The Wachowskis (Andy & Lana)

Argumentistas: The Wachowskis

Elenco: Mila Kunis, Channing Tatum, Eddie Redmayne, Sean Bean, Douglas Booth, Tuppence Middleton, Christina Cole, Doona Bae

 

Site

http://www.jupiterascending.com/index.php

 

Orçamento – 176 milhões de Dólares

Bilheteira (até agora) – 23 (USA); 56 (mundial)

Jupiter Ascending - screesnshot 10

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s