Rod Taylor – RIP

Rod Taylor - Photo 1

Ano novo, mas sempre com long goodbye a gente do Cinema.

Agora é a vez do grande Rod Taylor.

 

Nascido na Austrália em 1930, Taylor cedo descobre a vontade ser actor. Depois de ver Laurence Olivier em “Richard III”, Taylor investe os seus estudos nessa área.

Chega ao Teatro e à Rádio, dando depois o salto para o Cinema.

Chega a Hollywood, onde percorre a Televisão e o Cinema (ainda como secundário).

Rod Taylor - The Time Machine - Photo 1

O seu triunfo como Movie Star chega nos 60s, onde protagoniza dois relevantes títulos, dentro do Cinema, géneros e dos respectivos realizadores – “The Time Machine” (de George Pal) e “The Birds” (de Alfred Hitchcock).

Rod Taylor - The Birds - Photo 1

Dá voz a Pongo na animação da Disney “The 101 Dalmatians”.

Regressa à televisão, onde volta a ganhar estrelato com a popular série “Hong Kong”.

Rod Taylor - Hong Kong - Photo 1

Em 1963 é um dos “V.I.P.s”, ao lado de gente bem VIP como Elizabeth Taylor, Richard Burton, Louis Jourdan, Elsa Martinelli, Margaret Rutherford, Maggie Smith, Orson Welles e Linda Christian.

Com “Sunday in New York” (ao lado de Jane Fonda), “Hotel” e “The Hell with Heroes” (ao lado de Claudia Cardinale) volta a mostrar a sua veia dramática e sentimental.

Mas Taylor sempre mostrou grande à-vontade para o action cinema, precisamente devido ao seu físico heróico e viril. Desde meio dos 60s até meio dos 70s, podemos vê-lo em bons actioners como “A Gathering of Eagles” (ao lado de Rock Hudson), “Fate Is the Hunter” (ao lado de Glenn Ford), “36 Hours” (ao lado de James Garner e Eva Marie Saint), “Chuka”, “The Mercenaries”, “Darker Than Amber”, “The Deadly Trackers” (ao lado de Richard Harris), “Partizani”, “The Liquidator”, “The Train Robbers” (ao lado de John Wayne e Ann-Margret.

Não vira as costas ao cinema europeu e de autor – “Zabriskie Point”, de Michelangelo Antonioni.

A partir do final dos 70s, Taylor dedica-se mais à televisão e a sua presença em filmes é como secundário.

O seu último filme foi em 2009, pela mão de Tarantino, em “Inglourious Basterds”, ao interpretar Winston Churchill.

 

Rod tinha um carisma muito próprio, na forma com conciliava (admiravelmente) humor, emoção, sentimento, heroísmo e virilidade.

 

Rod Taylor - Photo 2

So long, mate Rod.

O prazer de nos deliciarmos com os teus filmes, carisma, sorriso e virilidade nunca ficará fora do tempo.

 

Evocações

 

Uma entrevista

 

O trailer de “The Time Machine”, provavelmente, o título mais popular da carreira de Rod Taylor

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s