A Cidade Turbulenta (1939)

A Cidade Turbulenta - Poster 3

Título Original – Destry Rides Again

 

Uma das mais relevantes e influentes coboiadas de sempre, vinda de um ano vintage.

E com um par de sonho.

 

A cidade de Bottleneck vive sem lei nem ordem.

Kent, um homem ligado ao negócio do gado, controla tudo e elimina quem o enfrente.

É o que acontece ao pobre xerife local.

O Mayor decide chamar os serviços de Tom Destry Jr, filho de um respeitado e temido xerife.

As expectativas são elevadas e tudo parece desmoronar quando Jr surge na cidade. O novo xerife é um verdadeiro “copinho de leite” (e também o bebe) e não tarda em ser gozado e testado pelos mauzões.

Mas Destry sabe pregar e executar a lei sem recurso a armas, sendo rápidos os efeitos na criação de segurança na cidade.

Mas as atitudes sem escrúpulos dos seus inimigos vão mesmo ter de levar Jr a usar as armas. E com resultados bem mortíferos.

Destry Rides Again - screenshot 2

Como se verifica mais abaixo, “Destry Rides Again” foi muito popular e de grande influência.

Não é para se estranhar.

Em conjunto com “Dodge City” (também do mesmo ano, realizado por Michael Curtiz e protagonizado por Errol Flynn e Olivia De Havilland), “Destry Rides Again” é o filme-referência, verdadeiro modelo de como combinar western e comédia, à volta do tema da cidade sem lei e das peripécias do law enforcer.

O filme vale-se de um excelente ritmo, pleno de humor, acção, drama e tensão (sexual incluída), com uma honesta e descontraída performance dos actores, personagens carismáticos e diálogos vivos.

Tudo embrulhadinho com grande sentido de entretenimento e competência.

Para a História, um momento hilariante e sexy – a (viril) luta de mulheres.

(o desfecho está ao mesmo nível)

Destry Rides Again - screenshot 1

James Stewart está perfeito como um inesperado herói, com um look “copinho de leite”, mas sempre heróico, galante, simpático, valoroso e desenrascado.

Marlene Dietrich está devastadora como a femme fatale da cidade, manipuladora, mas de bom coração.

Brian Donlevy é um vilão a preceito.

Destry Rides Again - screenshot 3

George Marshall dirige com eficácia, dando ao filme um ritmo imparável.

 

Uma verdadeira lição de como fazer grande cinema popular, clássico, com estilo, a definir arquétipos, com uma enorme frescura. Muita coisa feita hoje não tem este ritmo, encanto e frescura.

Imperdível.

 

“Destry Rides Again” tem edição portuguesa e está a preço digno de cavalgar para a prateleira do cinéfilo.

Destry Rides Again - screenshot 4

Realizador: George Marshall

Argumentistas: Felix Jackson, Gertrude Purcell, Henry Myers, segundo o livro de Max Brand (“Destry Rides Again”)

Elenco: Marlene Dietrich, James Stewart, Mischa Auer, Charles Winninger, Brian Donlevy

Destry Rides Again - screenshot 6

Trailers

James Stewart - destry rides again - & Marlene Dietrich

“Filme a Preservar”, pelo National Film Preservation Board USA 1996.

Destry Rides Again - Backstage 1

Gary Cooper iria ser o protagonista, mas pediu um ordenado demasiado elevado. Cooper e Dietrich já se tinham encontrado em 1930, em “Morocco”.

É o primeiro western de Stewart.

Paulette Goddard foi considerada para a personagem que seria atribuída a Dietrich.

Dietrich não tinha interesse em fazer westerns, mas foi convencida pelo seu amigo Erich Maria Remarque.

Dietrich canta todas as canções.

A luta entre Marlene Dietrich e Una Merkel foi improvisada no momento. Apesar das ligeiras feridas nas actrizes, tudo foi feito num só take.

Stewart e Dietrich tiveram um affair durante as filmagens. Resultou numa gravidez indesejada à actriz, que teve depois de fazer um aborto. Stewart nunca soube das duas situações.

Destry Rides Again - Promo Photo 1

O “Lux Radio Theater” emitiu uma versão radiofónica de 60 minutos, 5 de Novembro de 1945. Stewart retomou o seu personagem.

Ei-la:

Destry Rides Again - LobbyCard 1

Em 1932 tinha-se feito uma primeira versão. O título também era “Destry Rides Again”, realizado por Benjamin Stoloff e protagonizado por Tom Mix e Zasu Pitts.

Em 1954 foi feito um remake (em formato shot-for-shot), também realizado por George Marshall, protagonizado por Audie Murphy e Thomas Mitchell.

Em Abril de 1959, o filme foi adaptado a uma peça da Broadway. Andy Griffith e Dolores Gray eram os protagonistas. Durou 472 sessões.

Em 1964, o canal ABC produziu uma mini-série televisiva, protagonizada por John Gavin.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s