Fuga de Absolom (1994)

Escape from Absolom - Poster 2

 

Título original – Escape from Absolom 

Título alternativo – No Escape

 

Filme-prisão, futurista, actioner, com ares de survival movie e de parábola social/prisional.

Produção de Gale Anne Hurd (“The Terminator”, “Aliens”, “The Walking Dead”), numa realização de Martin Campbell (“007 – Casino Royale”, “The Mask of Zorro”, “The Legend of Zorro”, “Edge of Darkness”), que assim mostrava a sua destreza para o bom cinema de acção.

Ray Liotta protagoniza, à frente de um bom elenco, mostrando o que vale como action hero.

 

John Robbins é um reputado oficial das Forças Armadas.

Depois de ter abatido um seu superior, Robbins é encarcerado em Absolom, uma ilha-prisão de onde não há fuga possível.

Robbins vai procurar uma saída. Mas antes vai ter de escolher a qual das duas facções em conflito quer pertencer.

Mais do que uma prisão, Absolom é um cenário selvagem cuja sobrevivência só apela a uma lei básica da Natureza – e do mais forte.

Escape from Absolom - screenshot 1

Estamos perante um muito entretido, dinâmico e espectacular filme, que funciona como um cocktail de “John Carpenter`s ´Escape from New York`”, “Mad Max”, “Fortress”, com toques de aventura medieval, ideias de “Robinson Crusoe” e pequenos laivos de survival movie.

Escape from Absolom - screenshot 3

Realização em moldes clássicos (algo que Campbell nos habituou), fazendo bom aproveitamento da paisagem (uma belíssima ilha na Austrália), retomando um tipo de acção mais primária e pela lógica what you see is what you get (os cenários são à escala real e são um notável trabalho de cenografia, não há humanos computadorizados, havendo recurso a imensos extras para as cenas de acção).

 

Bom trabalho do elenco, compondo personagens credíveis e susceptíveis da nossa empatia (Lance Henriksen, líder da comunidade; Jack Shepherd, o engenhocas) ou hostilidade (Stuart Wilson, líder dos maus; Michael Lerner, o carcereiro).

Ray Liotta dá a sua habitual intensidade (quase psicótica) e revela-se um muito credível action hero (ele deveria ter feito mais coisas destas).

Escape from Absolom - screenshot 6

Para além do bom elenco, há também a presença de gente ilustre em categorias técnicas, onde se regista um trabalho muito competente de todos – música de Graeme Revell (“Pitch Black”, “Sin City”), fotografia de Phil Meheux (“Highlander 2” e um habitual de Campbell – “The Mask of Zorro”, “007 – Casino Royale”, “Edge of Darkness”), montagem de Terry Rawlings (“Alien”, “Blade Runner”, “Legend”, “Chariots of Fire”), cenografia de Allan Cameron (“1984”, “Highlander”, “Showgirls”, “Starship Trooper”, “The Mummy”).

Escape from Absolom - screenshot 4

Muito bom entretenimento, à maneira da clássica Série B.

 

Recomendável.

 

“Escape from Absolom” está no mercado português e a bom preço.

Escape from Absolom - screenshot 5

Realizador: Martin Campbell

Argumentistas: Michael Gaylin, Joel Gross, segundo um livro de Richard Herley

Elenco: Ray Liotta, Lance Henriksen, Stuart Wilson, Kevin Dillon, Kevin J. O’Connor, Don Henderson, Ian McNeice, Jack Shepherd, Michael Lerner, Ernie Hudson

 

Orçamento – 20 milhões de Dólares

Bilheteira – 15 milhões de Dólares

 

Trailer

 

Escape from Absolom - screenshot 2

Esteve nomeado para “Melhor Filme de Ficção Científica”, pela Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Terror 1995. Perdeu para “Stargate”.

 

O argumento tem muitas semelhanças com o curto conto de Robert A. Heinlein (“Starship Troopers”, que já deu origem a um excelente filme), “Coventry”.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s