Blast of Silence – Crime e Silêncio (1961)

Blast of Silence - Poster 4

Não será um título muito conhecido, mas a verdade é que é este o filme preferido de Martin Scorsese sobre New York e que foi inspirador para o tom de “Taxi Driver”.

Frankie Bono é um assassino profissional que chega a Nova Iorque para fazer um trabalhinho. À medida que acompanha a rotina do seu alvo, Frankie vai retomar contacto com antigos amigos do orfanato onde cresceu, sentir a necessidade de acender a chama com uma antiga namorada, confrontar-se com a ganância de um gun dealer e repensar a sua vida. Mas tudo tem um preço.

Robusto urban noir sobre a solidão, o desespero, a raiva, a incapacidade social, a necessidade sentimental, o profissionalismo, a violência e a redenção.

Muito bom exercício de estilo, filmado com a devida frieza, mas também com forte sentido de violência física e psicológica, onde a paisagem urbana tem grande presença e importância.

Não será por acaso que Scorsese tanto aprecia o filme. De facto, notam-se já os pilares para o seu “Taxi Driver” – a visão da cidade, o deambular pelas ruas, a solidão e raiva do protagonista e a sua total incapacidade para lidar com pessoas e sentimentos. Há um plano com o protagonista e uma arma que antecipa o momento de “You`re Talking To Me?”.

Muito interessante é o recurso à voz off. Podemos interpretá-la como a voz da consciência do protagonista como a de uma entidade omnipresente que se limita a ver e a analisar os eventos que assiste.

Sólido trabalho de Allen Baron, que assina o argumento, a realização e o protagonismo. “Por acaso” Baron até tem uma voz com semelhança à de Scorsese e um rosto que parece um mix entre o de Scorsese, Robert de Niro e George C. Scott (“por acaso” de Niro e Scott protagonizaram “Taxi Driver” e “Hardcore”, dois negros retratos de duas grandes metrópoles – a Big Apple e a “City of Angels” -, “por acaso” ambos escritos por Paul Schrader).

O filme é inédito no nosso mercado. A edição inglesa é isenta de extras. A edição americana vem assinada pela (excelência da) Criterion, bem guarnecida (como já é regra da casa) de extras, mas (e como também é regra da casa) muito cara. Recomendável é a edição espanhola que traz um livro sobre o filme e o seu processo de produção.

Uma pequena obra-prima a descobrir.

Baron chegou a convidar Peter Falk para protagonista, na esperança que ele fizesse o trabalho de forma quase gratuita. Falk acabou por recusar pois surgiu-lhe uma proposta mais bem paga.

Este é o primeiro filme de Baron. Baron faria mais um par de filmes (ao que li, não são isentos de interesse e descoberta), mas grande parte da sua carreira seria na televisão, a realizar telefilme e episódios para séries.

Baron ainda é vivo, mas já está retirado desde 1986.

Trailer

A edição Criterion – http://www.criterion.com/films/538-blast-of-silence

Sobre o filme e Allen Baron – http://brightlightsfilm.com/48/blast.php#.Ukv9h0AjAbA

Uma entrevista a Allen Baron

Joe Dante sobre o filme

 

Uma apreciação

(a ver só depois de se ter visto o filme, pois revela muitas coisas, incluindo o final)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s