O Melhor Filme de Todos os Tempos

vertigo

Serve este título para provocar a quem o lê o comentário – favorável ou não – do que a seguir pretendo relatar: os inquéritos e resultados dos mesmos, da revista Sight & Sound, editada pelo Instituto Britânico do Cinema (BFI) e que estão publicados no site. Convém lembrar que estes resultados são publicados todos os 10 anos, sendo o anterior de 2002. Não querendo concordar ou discordar com as classificações, decidi apenas compilar os resultados e publicá-los neste post.

Para o ano de 2012, no site podemos encontrar duas listas, uma dos críticos e outra dos realizadores, a primeira com 250 títulos e a segunda com 100. Na lista dos críticos, votaram 845 críticos de todo o mundo em 2045 filmes. Nesta lista o cineasta Robert Bresson é o mais citado com sete filmes – nenhum nos 50 primeiros lugares da tabela- e três filmes são do ano de 2011: “ A Árvore da Vida” de Terrence Malick, “Melancolia” de Lars von Trier e o “Cavalo de Turim” de Béla Tarr e  Ágnes Hranitzky. O filme mais antigo é de 1902 e é “Viagem à Lua”, de Georges Méliès.

Nesta tabela principal, a dos críticos, houve algumas alterações, nomeadamente no lugar cimeiro. “O Mundo a Seus Pés”, de Orson Wells , que durante décadas foi unanimemente considerado o melhor filme de todos os tempos, perdeu essa honra para “A Mulher Que Viveu Duas Vezes”, de Alfred Hitchcok.  Vejamos então como ficou ordenada esta lista nos dez primeiros lugares:

  1. (2)A Mulher Que Viveu Duas Vezes (1958), de Alfred Hitchcok
  2. (1)O Mundo a Seus Pés (1941), de Orson Wells
  3. (5)Viagem a Tóquio (1953), de Ozu Yasujirô
  4. (3)A Regra do Jogo (1939), de Jean Renoir
  5. (7)Aurora (1927), de F.W. Murnau
  6. (6)2001: Odisseia no Espaço (1968), de Stanley Kubrick
  7. (-)A desaparecida (1956), de John Ford
  8. (-)O Homem da Câmara de Filmar (1929), de Dziga Vertov
  9. (-)A Paixão de Joana d’Arc (1928), de Carl Theodor Dreyer
  10. (9)Fellini Oito e Meio (1963), de Federico Fellini

Entre parêntesis podemos ver as classificações dos mesmos filmes na anterior publicação de 2002. As três saídas são “O Padrinho” de Francis Ford Coppola, “O Couraçado Potemkin” de Sergei M. Eisenstein e “Serenata à Chuva” de Stanley Donen e Gene Kelly. A lista continua e é extensa, com 250 títulos que nos fazem sonhar numa qualquer língua que não a nossa. Outra constatação do Top Ten é que não há títulos posteriores a 1968. Por isso mesmo é elaborada uma lista pós-1968 que fica ordenada da seguinte forma:

  1. (14)Apocalypse Now (1979), de Francis Ford Coppola
  2. (19)O Espelho (1975), de Andrey Tarkovskiy
  3. (21)O Padrinho (1972), de Francis Ford Coppola
  4. (24)Disponível Para Amar (2000), de Kar Wai Wong
  5. (28)Mulholland Drive (2001), de David Lynch
  6. (29)Stalker (1979), de Andrey Tarkovskiy
  7. (29)Shoah (1985), de Claude Lanzmann
  8. (31)O Padrinho: Parte II (1974), de Francis Ford Coppola
  9. (31)Taxi Driver (1976), de Martin Scorcese
  10. (36)Jeanne Dielman, 23 Quai du Commerce, 1080 Bruxelles (1975), de Chantal Akerman
  11. (36)Sátántangó (1994), de Béla Tarr

Entre parêntesis temos a classificação absoluta dos filmes na lista dos 250 filmes. Nesta lista pós-1968, podemos destacar três “nomeações” de Coppola e duas de Tarkovskiy. O primeiro filme do milénio é a linda história de Kar Wai Wong, “Disponível Para Amar”, como que demonstrando a pujança do cinema asiático (Hong Kong, neste caso) nos últimos anos.

Desta lista de 250 filmes, eleita pelos críticos, podemos ainda produzir uma outra que contempla o cinema mudo. Eis a lista dos dez filmes mudos melhor classificados:

  1. (5)Aurora (1927), de F.W. Murnau
  2. (8)O Homem da Câmara de Filmar (1929), de Dziga Vertov
  3. (9)A Paixão de Joana d’Arc (1928), de Carl Theodor Dreyer
  4. (11)O Couraçado Potemkin (1925), de Sergei M. Eisenstein
  5. (34)Pamplinas Maquinista (1926), de Buster Keaton e Clyde Bruckman
  6. (36)Metropolis (1927), de Fritz Lang
  7. (50)Luzes na Cidade (1931), de Charles Chaplin
  8. (59)Sherlock Holmes Jr. (1924), de Buster Keaton
  9. (84)Aves de Rapina (1924), de Erich von Stroheim
  10. (93)Um Cão Andaluz (1929), de Luis Buñuel
  11. (93)Intolerância (1916), de D.W. Griffith

Entre parêntesis está a classificação destes filmes na lista dos 250 melhor filmes para os críticos. A liderar a lista o belíssimo “Aurora”, filme da fase americana do alemão Murnau e que é presenteada com a presença de dois Keaton.

Uma outra lista que o site publica, é uma lista dos 100 melhores filmes feita pelos realizadores e para a qual contribuíram 258 cineastas, entre os quais Steven Spielberg, Martin Scorcese, Quentin Tarantino Woody Allen, Francis Ford Coppola entre outros. Passo a reproduzir os 10 primeiros dessa lista:

  1. Viagem a Tóquio (1953), de Ozu Yasujirô
  2. 2001: Odisseia no Espaço (1968), de Stanley Kubrick
  3. O Mundo a Seus Pés (1941), de Orson Wells
  4. Fellini Oito e Meio (1963), de Federico Fellini
  5. Taxi Driver (1976), de Martin Scorcese
  6. Apocalypse Now (1979), de Francis Ford Coppola
  7. A Mulher Que Viveu Duas Vezes (1958), de Alfred Hitchcok
  8. O Padrinho (1972), de Francis Ford Coppola
  9. O Espelho (1975), de Andrey Tarkovskiy
  10. Ladrões de Bicicletas (1948), de Vittorio de Sica

Nesta lista de dez, o que posso constatar é a ausência do cinema mudo que na lista do TopTen dos críticos tem três. Outra constatação é a inclusão de quatro títulos pós-1968 e a repetição do nome de Coppola (duas vezes).

Uma outra pesquisa interessante que podemos fazer é a de ver quem votou em quem. Nomes como Coppola, Scorcese e Tarantino têm as suas preferências e aqui podemos ver quais são. Por exemplo, as escolhas de Woody Allen são as seguintes:

  • Os quatrocentos Golpes (1959), de François Truffaut;
  • Fellini Oito e Meio (1963), de Federico Fellini;
  • Amarcord (1973), de Federico Fellini;
  • Ladrões de Bicicletas (1948), de Vittorio de Sica;
  • O Mundo a Seus Pés (1941), de Orson Wells;
  • O Charme Discreto da Burguesia (1972), de Luis Buñuel;
  • A Grande Ilusão (1937), de Jean Renoir;
  • Horizontes de Glória (1957), de Stanley Kubrick;
  • Às Portas do Inferno (1950), de Akira Kurosawa;
  • O Sétimo Selo (1957), de Ingmar Bergman.

Outra curiosidade é analisar a evolução da lista dos críticos. Esta lista é publicada desde 1952 e já teve 7 publicações (1952, 1962, 1972, 1982, 1992, 2002 e 2012). A lista de 1952 é a seguinte para os dez primeiros lugares:

  1. Ladrões de Bicicletas (1948), de Vittorio de Sica
  2. Luzes na Cidade (1931), de Charles Chaplin
  3. A Quimera do Ouro (1925), de Charles Chaplin
  4. O Couraçado Potemkin (1925), de Sergei M. Eisenstein
  5. Intolerância (1916), de D.W. Griffith
  6. Louisiana Story (1948), de Robert J. Flaherty
  7. Aves de Rapina (1924), de Erich von Stroheim
  8. Foi Uma Mulher Que o Perdeu (1939), de Marcel Carné
  9. A Paixão de Joana d’Arc (1928), de Carl Theodor Dreyer
  10. Breve Encontro (1945), de David Lean
  11. A Regra do Jogo (1939), de Jean Renoir
  12. O Milhão (1931), de René Clair

Desta lista Top Ten de 1952, dos doze filmes que nela constam, passados 60 anos só dois permanecem no Top Ten de 2012: “A Paixão de Joana d’Arc” e “ A Regra do Jogo”. Outro exercício que poderíamos fazer, seria procurar o lugar na tabela atual destes filmes da tabela de 1952… Outra constatação: “ O Mundo a Seus Pés” não consta dos 10 melhores filmes de sempre na tabela de 1952.

Enfim, listas de filmes para encontrar o melhor filme de todos os tempos que, para já e para a Sight and Sound, é “ A Mulher Que Viveu Duas Vezes” de Alfred Hitchcok.

http://explore.bfi.org.uk/sightandsoundpolls/2012

Ignatius Bk

2 comments on “O Melhor Filme de Todos os Tempos

  1. Alex diz:

    Podíamos aproveitar a onda e fazer a lista (um top 10, 50 ou 100) dos melhores filmes eleitos pelos membros/público/colaboradores da “Locus Cinemae” e “A Grande Ilusão”.

    Eis uma ideia a propor na sessão de amanhã.

    • baixinho diz:

      É uma excelente ideia que podemos promover. Não somos muitos mas, as listas e os debates que elas promoveriam junto de todos nós, seria outro motivo para prolongarmos as nossas conversas de sexta feira. Abraço Alex

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s